terça-feira, 29 de maio de 2007

Saúde e Educação de Cuba: uma análise baseada em fatos

O Sistema de Saúde CubanoA tese que pretendo provar é a de que a propalada excelência do sistema de saúde cubano não tem sustentabilidade nos fatos. O que iremos mostrar é que o sistema de saúde cubano apresenta resultados ligeiramente inferiores a de outros países da América Latina, como Argentina, Chile e Costa Rica.

Saúde e Educação em Cuba

Mostraremos, também, que o sistema de Educação cubano não é aprovado pelos sistemas de avaliação internacionais da UNESCO.Para corroborar minha tese, fundamentarei minha análise com dados de Intituições Internacionais, como Organização Mundial de Saúde e UNESCO.

Preliminarmente, vamos aos dados da Organização Mundial de Saúde:

Investimento em Saúde - per capita

Cuba, Investimento em Saúde, Comparativo



Investimento por habitante com Saúde em Cuba : US$ 251,00 / habitante

Investimento por habitante com Saúde no Brasil : US$ 597,00 / habitante

Investimento por habitante com Saúde nos EUA : US$ 5,700 / habitante

Esses dados nos mostram que mostra que: o Brasil gasta o dobro por habitante em Saúde que Cuba; os EUA gastam 10 vezes mais que o Brasil, e 20 vezes mais por habitante que Cuba.

Gasto em Saúde como proporção do PIB - Estatísticas da OMS (Organização Mundial de Saúde)

EUA – 15,2% / Canadá – 9,9% / Argentina – 8,9% / Brasil – 7,6%


Cuba, Investimento em Saúde, proporção do PIB

Como pode se verificar, o desempenho de Cuba, neste indicador,  é inferior ao El Salvador, Suriname, Uruguay, Argentina, Brasil, Colômbia, Panamá, Haiti e Costa Rica, com 7,3% do PIB de dispêndio em Saúde Pública.

Comparação Expectativa de Vida

Expectativa de Vida ao nascimento

Cuba 80 / 75  67,1 / 69,5

Costa Rica 80 /75  65,2 / 69,3

Argentina 78 / 71  62,7 / 68,1

Chile 81 / 74  64,9 / 69,7

Fonte : OMS Cuba  Costa Rica Argentina  Chile

Expectativa de Vida - Cuba



Conclusão: Cuba não é o melhor sistema de Saúde da América Latina. Seus indicadores são similares aos de muitos outros países da própria América Latina. Em determinados aspectos, como, por exemplo, investimento percapita em saúde, seus resultados são inferiores aos apresentados pelo Brasil.

Chile, Argentina, Costa Rica e Brasil apresentam indicadores melhores que os cubanos
Cuba é um país que historicamente apresentava bons indicadores de Saúde e Educação. Essa tradição de bons indicadores são muito anteriores à tomada do poder na Revolução, o que torna curioso o fato de usarem tais indicadores como mérito da revolução de Fidel Castro.

Um aspecto adicional que precisa ser avaliado é que, com o advento da revolução, e o alinhamento de Cuba ao bloco soviético, Cuba passou a receber um subsídio de aproximadamente US$ 2 milhões de dólares por dia da extinta União Soviética, o que correspondia a aproximadamente U$ 1 bilhão de dólares por ano. O governo cubano usou tais recursos para manter os bons indicadores de Saúde e Educação cubanos, mas, sobretudo, para financiar intervenções militares em outros países da América Latina (Bolívia) e África (Congo).

Cuba, hoje, é um país agrário, e questiona-se se não teria sido melhor para a população cubana se o governo cubano tivesse usado tais recursos para criar um parque industrial. Está claro que se Cuba fosse um regime democrático, no qual o povo tivesse voz e participasse das decisões coletivas, seria muito difícil usar os limitados recursos de um país para patrocinar guerrilhas e guerras em outros, pois a população provavelmente optaria por aplicar tais recursos na melhoria de sua própria qualidade de vida, ao invés de usar para produzir guerras e guerrilhas em outros países.

Diante disso, é importante ressaltar que os demais países da América Latina, sobretudo Chile e Argentina, não tiveram esse tipo de auxílio da ex-URSS e mesmo assim lograram êxito em obter indicadores de Saúde e Educação melhores que os cubanos, mesmo com populações que crescem constantemente, ao contrário de Cuba, que exportou quase 30% da população para os Estados Unidos da América. Esses quase 3 milhões de cubanos que vivem nos EUA usam os sistemas de saúde e educação dos EUA, e não de Cuba, além de contribuirem com envio de recursos à seus familiares.

Cuba: subsídios de outros países
Cuba é um país que consegue sobreviver apenas quando existe algum tipo de subsídio de outros  países. Inicialmente Cuba viveu de subsídios mensais da ex-URSS.  Atualmente, quem subsidia o estado cubano é o petróleo da Venezuela, tendo em vista que Hugo Chavez  fornece 100 mil barris de petróleo diários, a preços altamente subsidiados, ao governo cubano.

Fidel Castro, ditador de Cuba, é um homem acostumado ao poder, pois é oriundo da aristocracia rural cubana. Em seu reinado de 50 anos à frente do poder em Cuba não conseguiu fazer com que seu país, antes uma potência econômica e social, produza bens para a população, mas especializou-se na produção de produtos elitistas e comprados por mega-empresários, como os charutos HAVANA, e os hotéis de luxo em Varadero, praia na qual os cubanos nativos não podem entrar.

Dados da UNESCO

Costa Rica – expectativa média de vida – 79 / Fertilidade: 2 filhos / mulher

Cuba - expectativa média de vida – 77 / Fertilidade: 1.6 filhos / mulher

Cuba – 3% das crianças em idade escolar fora da escola

Costa Rica – ZERO% das crianças em idade escolar fora da escola

Brasil – 3% das crianças em idade escolar fora da escola

Argentina – 1% das crianças em idade escolar fora da escola

Chile – ZERO % das crianças em idade escolar fora da escola

Universalização do Ensino Básico - Cuba


Educação em Cuba: indicadores não são favoráveis

Desempenho dos alunos cubanos no TIMSS

O teste quadri-anual que feito pela UNESCO chama-se TIMSS, e os alunos cubanos não conseguiram classificação para entrar no ranking. Conforme pode ser observado no Relatório Anual de Avaliação Educacional, os campeões nesses rankings são Cingapura, Coréia, República Checa , Japão, Bulgária, Eslovênia, Bélgica, Áustria, Hungria, Países Baixos, Inglaterra, República Eslovaca, Estados Unidos, Austrália, Alemanha, Canadá, Irlanda, Tailândia, Suécia.

Cuba nem aparece no ranking do teste da UNESCO

Diante do fato de que os alunos cubanos não conseguem passar nas preliminares das provas da UNESCO, pode-se concluir que o sistema de educação de Cuba está em nível muito inferior ao dos demais países da América Latina.

Os resultados do TIMSS, acesse aqui.


Evolução dos dispêndios em Saúde como proporção do PIB

Os seguintes percentuais de gasto em Saúde como proporção do PIB: Gastos totais em Saúde como proporção do PIB

Gastos em Saúde como proporção do PIB

1999 2000 2001 2002 2003

Cuba 6,9 7 7,1 7,2 7,3

Costa Rica 6 6,3 6,8 7,2 7,3

Argentina 9,1 8,9 9,5 8,6 8,9

Brasil 7 ,8 7,7 7,8 7,7 7,6

Grã-Bretanha 7,2 7,3 7,5 7,7 8

EUA 13,1 13,3 14 14,7 15,2

Portanto, como podemos verificar pelos dados acima, Cuba investe, como proporção do PIB, valores similares aos demais países em seu sistema de Saúde.

Socialismo: ineficiência econômica cobra seu preço dos mais pobres
O sistema socialista é caracterizado por sua tradicional ineficiência econômica, o que ficará claro ao longo deste artigo.  Se analisarmos a situação cubana em seu todo, verificamos que Cuba consegue obter resultados em Saúde quase tão bons quanto os de países como Chile, Argentina e Costa Rica. Entretanto, tais resultados são os únicos indicadores favoráveis da Ilha. Entretanto, a quantidade de pessoas que precisam ser alocados em tais sistemas é enorme - em média 5 vezes maiores que a comparação com outras nações da América Latina.

Esse é um exemplo emblemático da ineficiência do sistema cubano: para conseguir resultadores piores que o de outros países, precisa empregar 5 vezes mais recursos humanos.

Qual o resultado disso na prática: os salários são muito baixos (médicos ganham em média R$ 40,00/mês) e a população fica submetida a racionamentos de produtos básicos, como papel higiênico, produtos de higiênie pessoal, alimentos, carnes e leite, que são racionados por meio da livreta de racionamento

O fenômeno do racionamento e da escassez generalizada ocorre em Cuba pois o sistema precisa de 5 vezes mais pessoas para produzir as mesmas coisas que um país capitalista. Ou seja, no capitalismo, a mesma população produz mais alimentos, mais serviços de Saúde, mais serviços de Educação, com os mesmos recursos, pois as pessoas estão inseridas em um sistema de produção livre e mais eficiente.

Além disso, poderíamos aludir as razões pelas quais gasta-se tão pouco em Cuba com saúde da população: um médico cubano ganha em torno de US$ 200 dólares por ano. Um inglês em torno de US$ 100 mil dólares! Um americano mais ou menos isso, em início de carreira. Um brasileiro ou argentino em torno de US$ 50 mil dólares / ano.

Médicos cubanos são dispõem de equipamentos modernos como sistemas de tomografia computadorizado, como os disponíveis para os ingleses, americanos, brasileiros e argentinos em seus hospitais públicos.

Ademais, produtos básicos são negados negadas aos cubanos pobres, como aspirinas, analgésicos, anti-bióticos. A não oferta de tais produtos para o povo cubano é um dos meios para se reduzir os dispêndios no sistema de Saúde.

Fidel Castro : um dos homens mais ricos do mundo
Outra questão que pode ser verificada é que Fidel Castro é um dos homens mais ricos do mundo, segundo a revista Forbes. Essa riqueza provavelmente provém, provavelmente, de transações financeiras que as multinacionais que operam em Cuba pagam para poder operar naquele país. Tais recursos poderiam ser investidos nos sistemas de Saúde e de Educação dos cubanos, mas são usados para irrigar a fortuna de Fidel Castro e sua família.

Além disso, é preciso considerar que Cuba tem uma população estável em torno de 11 milhões de habitantes, sendo os demais países em geral tem populações crescentes. Os EUA, por exemplo, além de ter uma população 30 vezes maior que a cubana, ainda absorvem um contingente de migrantes equivalente a metade da população cubana, todos os anos.

Eficiência de sistemas públicos de saúde

Esse é um componente que tem peso significativo na economia. Como proporção do PIB, o gasto de Saúde cubano - em torno de 7% - é similar ao de outros sistemas de saúde da América Latina.
Entretanto, os trabalhadores cubanos recebem salários muito baixos. A comparação entre os salários dos trabalhadores em outros países e os salários dos trabalhadores cubanos é clara. Um beneficiário do Bolsa Família brasileiro ganha, por mês, só de benefícios estatais, um valor que é 3 vezes superior ao que aufere um médico cubano.

Outra medida que ajuda a reduzir os custos do sistema de saúde cubano é que não são oferecidas aspirinas e outros gêneros dessa natureza nas farmácias estatais cubanas. Não existem anestesias e diversos outros remédios que obrigam os médicos cubanos promover amputações de membros por falta de medicamentos.

Todas essas medidas mostram como é possível a um país gastar US$ 250 dólares por ano em saúde por habitante, e ter o seu presidente como um dos homens mais ricos do mundo.

Os EUA, por exemplo, gastam 22 vezes mais por cidadão em Saúde. Na Cuba "SOCIALISTA" os médicos ganha US$ 250,00 por ano e vivem no país onde supostamente não existe exploração do homem pelo homem. Entretanto, nos países capitalistas, os médicos explorados em outros países ganham em média 200 vezes mais.

Eficiência do sistema cubano de Saúde.

Já verificamos que o gasto por habitante em saúde nos países é proporcional a renda. Pode-se usar tal indicador de gasto em saúde per capita como indicador a "eficiência" do sistema de Saúde.

Vamos comparar dois países latino americanos. Cuba (o mais socialista da América Latina) e Chile (o mais capitalista da América Latina).

Em termos de indicadores de Saúde, o Chile empata com Cuba na maioria dos indicadores. Vejamos

Chile : http://www.who.int/countries/chl/en/)

Expectativa de vida ao nascer homens/mulheres (anos): 74.0/81.0

Healthy life expectancy at birth h/m (years, 2002): 64.9/69.7

Mortalidade infantil h/m (per 1000): 10/9

Mortalidade adulta h/m (per 1000): 133/66

Total dispêndio em saúde per capita (Intl $, 2003): 707

Total dipêndio em saúde como % do PIB s (2003): 6.1

Cuba : (http://www.who.int/countries/cub/en/)

Total population: 11,269,000

PIB per capita (Intl $, 2004): 3,649

Expectativa de vida ao nascer homem/mulher (years): 75.0/80.0

Healthy life expectancy at birth h/m (years, 2002): 67.1/69.5

Mortalidade infantil h/m (per 1000): 8/7

Adult mortality h/m (per 1000): 131/85

Total dispêndio em Saúde per capita (Intl $, 2003): 251

Total dispêndio em Saúde como % do PIB (2003): 7.3

Agora vejamos a quantidade de profissionais de saúde em cada país: Cuba

http://www3.who.int/whosis/core/core_select_process.cfm?country=cub&indicators=healthpersonnel&intYear_select=all&language=en

Chile

http://www3.who.int/whosis/core/core_select_process.cfm?country=chl&indicators=healthpersonnel&intYear_select=all&language=en

Cuba Médicos (density per 1 000 habitantes) (:) 5.91

Enfermeiros (density per 1 000 habitantes) (:) 7.44

Dentistas (density per 1 000 habitantes) (:) 0.87

Chile

Médicos (density per 1 000 habitantes) (:) 1.09

Enfermeiros (density per 1 000 habitantes) (:) 0.63

Dentistas (density per 1 000 population) (:) 0.43

Desses dados concluímos que Cuba precisa de 5,4 mais médicos, 11,8 mais enfermeiros e o dobro de dentistas, para cada grupo de mil habitantes, para obter os mesmos resultados de Saúde que o Chile.

Cuba gasta 7% do seu PIB.

Agora uma questão importante: o PIB de Cuba, calculado pela PPP – Paridade do Poder de Compra, atinge (http://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_pa%C3%ADses_por_PIB_(Paridade_do_Poder_de_Compra) o valor de US$ 37,24 bilhões de dólares. Porém deste site aqui vemos o gasto percapita.

http://www3.who.int/whosis/country/compare.cfm?country=CRI&indicator=PcTotEOHinIntD&language=english

O que se observa é que existe uma correlação entre renda-percapita e gasto por saúde percapita. Se usaármos países com resultados similares em Saúde verificamos que o gasto percapita em saúde sobre o pib percapta é igual a relação de gasto com saúde sobre o PIB.

Dispêndio percapita PIB Percapta gasto/

PIB EUA USD 6.621,43 USD 44.142,86 0,15

Argentina USD 1.149,70 USD 16.424,24 0,07

Costa Rica USD 566,16 USD 8.088,00 0,07

Cuba USD 236,98 USD 3.385,45 0,07
A explicação para tal fenômeno é que a maior parte do gasto dos sistemas de Saúde é exatamente com a remuneração dos profissionais de Saúde.

Portanto, países com baixos salários terão gasto menor, e países com altos salários, terão gastos maiores. Assim, Cuba obtém baixos dispêndios percapita em Saúde pagando baixos salários a seus trabalhadores.

Cuba obtém resultados similares que outros países em Saúde. Entretanto, Cuba não tem eleições livres, não tem liberdade de expressão, os cubanos não tem liberdade de ir e vir, os salários dos cubanos são uns dos mais baixos do mundo e ocorrem violações dos Direitos Humanos em Cuba, como observa a HRW (Human Rights Watch), uma ONG internacional que analisa a situação dos Direitos Humanos nos países.

Apesar disso, Cuba e seu ditador multimilionário contam com a admiração de pessoas na América Latina. A questão que fica é: por qual motivo ocorre esse fenômeno?

12 comentários:

  1. Você esqueceu de um pequeno detalhe em relação ao Estados Unidos, lá não existe saude publica, lembre-se que o Medicare (O SUS Americano) só atende deficientes fisicos, idosos com mais de 65 anos e pessoa com insuficiencia renal.

    ResponderExcluir
  2. E o Medicare é o que? Privado? E mais, a reforma do sistema de saúde dos EUA pelo Obama está criando outro sistema publico complementar ao Medicare. E, além disso, o fato de ser ou não publico o sistema de saúde em nada tem a ver com o meu artigo, o qual demonstra, de forma cabal, a absoluta ineficiência do sistema de saúde cubano, o qual é estatal e público, e que muitos falam que é um exemplo, mas meu artigo demonstra que é bastante sofrível.

    ResponderExcluir
  3. Em toda essa lenga lenga esqueceu-se o bloqueio economico mais longo da história. Não seria coerente avaliar a realidade de acordo a realidade, isonomicamente, e não lançando a esmo factóides que dificilmente passariam pelo crivo mais obtuso (antes de Fidel Cuba era uma potência economica e social?, faça-me o favor...)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia os livros MANUAL DO PERFEITO IDIOTA LATINO-AMERICANO e A VOLTA DO IDIOTA LATINO-AMERICANO, de PLINIO APULEYO MENDONZA, CARLOS ALBERTO MONTANER e ÁLVARO VARGAS LLOSA. Voce verá que Cuba era sim um grande país. Comparavel a países da Europa. Cuba recebeu muitos bilhões de dolares da antiga URSS. Onde foi para esse dinheiro? Pergunte para o COMA-NDANTE!!!!!

      Excluir
    2. Esse comunistas de Iphone gostam de usar essas palavrinhas que terminam com "oides" e etc... pqp ridículo... pior raça de gente...

      Excluir
  4. Eu acabo de chegar de Cuba, e como o que vi foi uma situação miserável...quis pesquisar um pouco sobre a atual situação de Cuba, e fiquei emocionada com o que li, pois é completamente condizente com o que vi...
    A condição das moradias, dos prédios que estão desmoronando (e há pessoas morando neles)...pessoas pedindo esmola, inclusive tirei foto de um idoso deficiente físico pedindo dinheiro na rua....
    Conversei com uma senhora, que me confessou que seu sonho era ter uma dentadura, mas que era impossível, pois o valor era alto demais. E que ela não conseguia conservar os dentes, pois só há anestesia dentária para extração...então para caries ou canais..tem que suportar a dor, e por isso ela acaba exraindo os dentes, pq não suporta a dor....apesar de ser extremamente vaidosa e ter vergonha da falta dos dentes.
    Também estive uma clinica médica...era uma clinica internacional...e a situação é completamente precária, falo isso em realação a tudo...dos equipamentos à higiene...lamentável!
    Bom, o pais que visitei não é a ilha da fantasia de Fidel ... e muito menos o pais que os esquerdistas acreditam existir...

    ResponderExcluir
  5. Estaremos assim em 2023?

    ResponderExcluir
  6. Isso sobre os amputados e similares é muito real. Quando virem um documentário sobre Cuba, qualquer um, seja pró ou contra governo e sobre assunto aleatório, veja como SEMPRE tem alguém encostado na varanda ou na porta de entrada da casa por dificuldade de andar e sempre tem alguém andando de muletas na rua.

    Gordos há poucos, pois de fato a NÃO INGESTÃO de carne vermelha é benéfica em geral, embora o povo cubano faça isto à força.

    Para saber mais sobre este último detalhe, leiam "Cubano por 30 dias" de Patrick Symmes. Basta botar no Google.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://somosandando.com.br/2011/02/04/reporter-americano-escreve-sobre-cuba-sem-comentar-embargo/
      Leia sobre Patrick Symmes nesta página, talves possa te ajudar entender a leitura.

      Excluir
    2. As fontes que utilizo para comentar sua publicação com certeza não podem ser taxadas de comunistas. Viajando pela América Latina, pelo Caribe e por todo o território nacional, vi além de belas paisagens, muita miséira, com uma única excessão de Cuba, ali vi gente pobre mas não miséraveis e mesmo tendo muitas críticas a Fidel Castro, os princípios pelos quais me pauto não me permitem negar as vantagens do regime de Havana no que tange as questões sociais, quando comparadas ao governo de Fugêncio Batista. Em minha jornada contudo aprendi que a verdade é para muitos somente uma palavra vazia utilizada nos discursos das ideologias facistas para camuflar seus interesses mesquinhos e egoistas.
      "Cuba tem a menor taxa de mortalidade infantil nas Américas. Após 54 anos de revolução e quase 53 de embargo, o índice cubano é melhor que o de países como os Estados Unidos, Canadá e Brasil". Caros Amigos. Fonte: UNICEF: Estado Mundial da Infância 2012.
      "Cuba era, na década de 50, uma quase província americana. Washington mandava em Havana, e famílias mafiosas mandavam nos cassinos. Sempre apoiando governos locais marcadamente corruptos. É nesse quadro que surgiu Fidel, que já tentara um golpe em 1953." (o globo /2013 )
      "O ex-embaixador norte amaericano Wayne Smith revela mentiras divulgadas por Washington para responsabilizar Cuba por fracasso de negociações." 20/07/2013 - 09h00 | Salim Lamrani | Paris
      "Os principais êxitos do regime implantado pela Revolução Cubana de 1959 estão na área social, onde a ilha apresenta indicadores superiores à maioria dos países do continente, incluindo aí os mais ricos."
      "Nos casos de pessoas com deficiências físicas ou mentais, o governo chega, inclusive, a pagar um salário para que elas recebam os cuidados necessários."
      "Já nas cidades, foi proibido o despejo de inquilinos e decretada a redução dos aluguéis. Finalmente, foi realizada uma reforma urbana que transformou 85% dos cubanos em proprietários de suas casas, uma realidade que se mantém até os dias atuais."
      "Mas eles não são exceção, já que 100% das crianças e adolescentes cubanos freqüentam a escola, que é obrigatória por nove anos e segue sem custar um centavo até o nível universitário, onde até mesmo os livros são gratuitos."
      "Nenhuma criança fica de fora da rede educacional. Os cerca de 60 mil menores de idade com limitações físicas ou psíquicas da ilha freqüentam escolas especiais, onde, além de aulas, recebem tratamento fisioterápico e atendimento psicológico, uma combinação que permite com que eles desenvolvam ao máximo suas habilidades."
      "Nenhuma doença fica de fora do sistema de saúde cubano, que oferece tratamentos a problemas que vão desde simples dores de cabeça a enfermidades relacionadas à Aids, passando por assistência odontológica e até mesmo cirurgias plásticas."
      "Já em relação à mortalidade infantil, as estatísticas da ONU apontam que o índice de Cuba é de cinco mortes a cada 1.000 nascimentos, o que situa o país em um nível só comparável ao do Canadá no continente americano."
      "Também são poucas as pessoas que morrem por causa da violência. Na verdade, a insegurança pública na ilha é ínfima."
      "Mesmo quando comparada aos países mais ricos da região, Cuba pode ser considerada uma das sociedades mais pacíficas do continente."
      Trechos de matéria do BBC Brasil publicada pelo Estadão. 01 de janeiro de 2009 | 5h 45

      Excluir
  7. Morei por 1 ano Em Cuba ,entre os anos 98 e 99.
    Morei por 2 anos na Venezuela e 2 na Colômbia.
    Passei 6 meses do ano viajando pela China.
    Só vendo pra crer, só dentro da realidade tempo/espaço é possível quebrar a confusão entre o ideal e o real.

    ResponderExcluir
  8. A Rússia e Europa do Leste, são a Tumba do comunismo! Em 1989, o covarde comunismo foi derrubado em um dia e, os covardes comunistas se cagando de medo! Hoje, o comunismo serve só para Idiotas Subdesenvolvidos da América Latina, o continente mais miserável do planeta, junto com a África!

    ResponderExcluir

Observação: comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões) ou conteúdo ofensivo, racista, homofóbico ou de teor neonazista ou fascista (e outras aberrações do tipo) serão apagados sem prévio aviso.