terça-feira, 26 de junho de 2007

Socialismo: fuzilamentos, assassinatos e terror

Os fuzilamentos e a repressão política são decorrencias naturais da adoção de sistemas de corte socialista. A lógica que explica essa característica é simples.

Socialismos e Fuzilamentos

Como os sistemas socialistas retiram, por meio da repressão, os mecanismos de incentivos econômicos das pessoas, as pessoas tem que ser incentivadas a trabalhar de outra forma, e essa forma é a seguinte: trabalho obrigatório e a perspectiva de ser morto. Sendo assim, as pessoas trabalham sob a égide do terror.

É simples assim. Se não existir nenhum tipo de incentivo, a economia cairá ao nível de subsistência, com a produção total da sociedade sempre declinando.

Porque isso? É simples: se o governo estabelece que todos ganham a mesma coisa, mesmo se você trabalhar muito ou pouco, ou se você trabalhar melhor ou pior, tanto faz. Ou seja, se você trabalha bastante e o seu colega do lado não trabalha nada, e vocês ganham a mesma coisa, então essa realidade vai fazer você se acomodar e tender a trabalhar igual a seu colega que não faz nada.

A soma desses comportamentos na sociedade socialista produz o famoso "desasbastecidmento", ou seja, as lojas estatais vazias. Lógico, a produtividade das economias socialistas é sempre declinante, ou seja, produz-se cada vez menos com cada vez mais pessoas, e mais pessoas precisam de mais serviços e como a produção é declinante, então ocorrem os racionamentos. O fato da produção de alimentos cubana ser, hoje, inferior à produção de 1959 não é um fato isolado, é uma decorrência natural da economia planificada. Esse processo ocorre com todas as economias socialistas, só muda o ditador de plantão, porém não muda a desculpa: EUA, claro!

A repressão política é outro traço natural, porque se você tiver liberdade política, com liberdade de outros partidos se estabelecerem, então, essa insatisfação social começará a se fazer refletir nas propostas dos partidos. Um partido que comece a falar assim: "voce trabalha muito e seu colega não trabalha nada e vocês dois ganham a mesma coisa. Isso está errado, isto tem que mudar", então esse partido naturalmente começará a ganhar adeptos, ou seja, um partido que irá começar a propor uma nova forma de incentivos, que quem trabalha mais deve ganhar mais e etc. O mesmo partido começará a criticar a falta de bens básicos como papel higiênico e etc. E aí o regime começa a ruir.

Sendo assim, para o regime não ruir só resta uma alternativa: violência estatal sobre os cidadãos, proibindo o estabelecimento de partidos políticos (só é permitido o partido comunista). O governo reprime também a liberdade de manifestação de pensamento (não existe imprensa livre nos países socialistas), e reprime também com violência a liberdade de associação e a liberdade de locomoção (as pessoas só podem se movimentar dentro de rígidos limites estabelecidos pelo governo).

Um comentário:

  1. Luiz Gustavo Lima Galvão5 de outubro de 2008 18:42

    Concordo mais uma vez c/ quase tudo que foi escrito. A culpa de TUDO não é dos EUA mas grande parte sim. O que dizer das ditaduras instauradas na América latina? De esquerda ou direita ambas repressoras. O fato de que tudo mundo ganhar igual pode até acomodar. O problema é que todos nasceram segundo a lógica capitalista: 'consumir, ganhar dinheiro, ganhar mais e mais, ser rico etc.' logo torna-se quase inviável fazer justiça social. Quem vai querer ceder seus privilégios em prol de alguém? É cada um por si

    ResponderExcluir

Observação: comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões) ou conteúdo ofensivo, racista, homofóbico ou de teor neonazista ou fascista (e outras aberrações do tipo) serão apagados sem prévio aviso.