sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Retrospectiva 2011 via Google Zeitgeist

O Google emite todo ano um relatório consolidado do mercado de buscas, e disponibiliza essas informações no Google Zeitgeist.

Retrospectiva 2011

A retrospectiva de 2011 já foi lançada junto com vídeo, que você confere abaixo.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Emplavi aciona judicialmente os manifestantes anti-noroeste

A Construtora Emplavi fez saber por meios de seus canais institucionais de comunicação, que entrou com ação judicial de reparação de danos materiais contra os manifestantes do Setor Noroeste que depredaram, destruíram e impediram suas operações no Setor Noroeste, em Brasília.

Emplavi - Setor Noroeste - Indígenas

A empresa impetrou na última terça-feira (06/12) ação contra os manifestantes (estudantes desocupados da UNB auto-intitulados "ambientalistas") que tentam impedir a livre consecução das obras no novo bairro ecológico de Brasília - o Setor Noroeste.

sábado, 26 de novembro de 2011

A primeira coisa que eu faço quando vejo uma bolha é comprar - George Soros

Enquanto alguns revoltados com o lucro alheio ficam torcendo por estouro de bolhas (já estão torcendo há mais de um ano), investidores estão surfando em subidas de preços. O mega especulador do mercado financeiro George Soros afirma, em entrevista ao The Wall Street Jornal que "quando vejo uma bolha primeiro que eu faço é comprar, porque se eu estiver certo, a bolha vai desenvolver e eu vou ganhar dinheiro. E se eu vejo uma bolha e vejo uma falha na bolha, então eu fico realmente feliz, porque eu sei que eu preciso vender - a maioria das bolhas você não sabe que elas são bolhas."


Mais algumas citações de George Soros:

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Decisão judicial garante continuidade das obras no Setor Noroeste em Brasília

O G1 informa que as obras no Setor Noroeste continuam paralisadas na manhã desta terça-feira (8), porém com previsão de serem retomadas na quarta-feira (9), às 7h da manhã. Será que serão retomadas mesmo? Já foram feitos anúncios de que as obras seriam "retomadas" algumas vezes e precisaram parar pois os maconheiros fascistas da UnB e demais desocupados insistem em agredir seguranças de empresas e tentar impedir os outros de trabalhar.


A verdade dos fatos é que esses facistóides da UnB que querem preservar o local "sagrado" onde queimam o seu fumo. Mas existem outros interesses envolvidos: militantes de partidos políticos estão infiltrados no movimento, e acabam manipulando alguns inocentes úteis que se juntam ao movimento com boa fé, para fazer valer os interesses de seus partidos e grupelhos políticos.

O trânsito influencia no preço dos imóveis

Ao longo dos últimos três anos, o preço dos imóveis nas capitais brasileiras tem aumentado de forma brutal. Alguns aumentos chegaram a atingir valorizações de mais de 100% nesse período, com bairros ultrapassando preços médios de 15 mil reais o m2. Quais as razões que motivam esses aumentos? Será que existe um vínculo entre o problema de transporte e a valorização dos imóveis? E o que acontece com os mercados considerados de “alto luxo”, mais conhecidos como bairros nobres?

A influência do trânsito no preço dos imóveis

É claro que o aumento no preço dos imóveis decorre primordialmente de outros fatores, sobretudo aqueles relacionados ao aumento no nível de renda da população e no acesso a crédito, este talvez o principal motor do mercado de habitação. O Brasil tem uma fortíssima demanda por habitação, ainda com inúmeras favelas. Então, ao lado das taxas de juros, os programas governamentais de habitação acabam, por via reflexa, também influenciando os preços dos imóveis em geral, alterando a relação custo e benefício do aluguel vs. compra.

sábado, 5 de novembro de 2011

Crescente influência do Brasil é alvo de protestos na América Latina

O presidente da Bolívia - Evo Morales - e objeto de raiva de manifestantes indígenas que o chamam de "lacaio do Brasil" em manifestações na frente da embaixada brasileira em La Paz que denunciam as tendências imperialistas do Brasil. Intelectuais bolivianos criticam a burguesia paulista, comparando-os aos caçadores de escravos que expandiram as fronteiras do Brasil colonial.

Imperialismo brasileiro é alvo de protestos na Bolívia

Imperialismo: esse tipo de crítica costumeiramente reservada aos Estados Unidos, há algum tempo é dirigida também ao Brasil, que tem exercido influência extraordinária em toda a América Latina. Da mesma forma que os Estados Unidos, o Brasil cada vez mais flexiona seu poder político e econômico na região, e começa a experimentar o mesmo tipo de reação contra a crescente influência.

Os índios do Setor Noroeste vestem GAP

Uma reportagem publicada no site da Revista Veja sobre a "eclética aldeia indígena da capital federal", localizada Setor Noroeste, mostra que a disputa é travada por índios que vestem GAP e Reebok, apoiados por estudantes em tempo integral (alguns dos quais apoiadores também da Marcha da Maconha) e advogados que chegaram a exigir R$75 milhões de reais para desocupar a área.

Índios do Setor Noroeste  vestindo GAP

O Noroeste é reivindicado por moradores, integrantes de tribos Fulniô, Guajajara, Kariri-Xocó e Terena, que afirmam que a área começou a ser ocupada por tais tribos em em 1957 por "parentes" que se mudaram para o Centro-Oeste com o intuito de trabalhar na construção da nova capital. Entretanto, estudos antropológicos mostram que quando Brasília começou a ser construída não havia sinal da presença indígena e a área era apenas um ponto de passagem de grupos nativos que nunca se fixaram na área onde hoje é o Distrito Federal. A própria Fundação Nacional do Índio - FUNAI - não reconhece o local como uma área tradicional dos indígenas.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

FHC em 80 atos que transformaram o Brasil contemporâneo

Como etapa comemorativa do aniversário de 80 anos de FHC, o Instituto Fernando Henrique Cardoso (iFHC) publicou um estudo extraodinário que analisa o governo de FHC e lista 80 ações de seu governo que mudaram o Brasil. 

FHC e Dona Ruth Cardoso

O documento destaca “que a herança deixada por Fernando Henrique Cardoso ao seu sucessor ultrapassa certos números simplistas comumente utilizados no mundo político para se comparar a gestão presidencial” e que os pontos selecionados são “de natureza estruturantes, executadas pela equipe dirigente que governou o país nos 8 anos de FHC na presidência da República do Brasil”.

Mercado imobiliário em outubro de 2011: preços sobem em ritmo menor

A indicador de valorização imobiliária FipeZap Composto apontou, em outubro/2011, evolução de 1,6%, indicando que os preços dos imóveis continuam a subir no Brasil, porém a um ritmo menor que o verificado em setembro, quando a valorização média foi de 1.9%.

Valorização dos Imóveis - Outubro de 2011

O indicador de preços vem reduzindo seu ritmo desde abril, quando aumentou 2,7%. No acumulado em 12 meses, o preço médio das 7 regiões pesquisadas aumentou 29%, com Rio de Janeiro liderando a alta com 40% de valorização, onde os maiores valores estavam no Leblon, onde o m2 foi anunciado por R$ 16.608, lidera a lista dos maiores preços.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Loucos, desajustados e rebeldes

"Isto é para os loucos. Os desajustados. Os rebeldes. Os encrenqueiros. Os pinos redondos em buracos quadrados. Os que enxergam as coisas de um jeito diferente. Eles não gostam muito de regras. Eles não respeitam o status quo. Pode-se citá-los, discordar deles, exaltá-los ou difamá-los. A única coisa que não se pode fazer é ignorá-los. Porque eles mudam as coisas. Eles empurram a raça humana para a frente. E, enquanto alguns os julgam loucos, nós os julgamos gênios. Porque as pessoas que são loucas o suficiente para achar que podem mudar o mundo...são as que mudam." (by Steven P. Jobs).

Santuario dos Pajes - Setor Noroeste - Brasilia

Think diferent. Crazy. Stupid.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Mercado Imobiliário no DF - Arrecadação do ITBI

Os indicadores do mercado imobiliário em 2011 apontam números aparentemente conflitantes. Enquanto os dados do SECOVI apontam uma redução nos negócios em relação à 2010, o índice FIPE-ZAP, assim como os valores médios de comercialização, continuam a apontar uma tendência de valorização nos imóveis. O paradoxo fica evidente: vendas em queda e preços em alta, como é possível? O fato é que o mercado em 2010 estava vivendo um climax, onde lançamentos imobiliários eram vendidos em um ou dois meses, sendo que em alguns casos, em semanas ou dias, o que indicava que o mercado não suportava aquele nível de demanda, provocando uma elevação dos preços e equilibrando novamente a demanda e a oferta de imóveis em um nível mais elevado de preços.

Arrecadação ITBI - Distrito Federal - 2011 x 2010 x 2009

Um indicador relativamente confiável do desempenho do mercado imobiliário é a arrecadação do ITBI - Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis - que incide a uma alíquota de 2% sobre uma transferência de imóveis. Assim, uma elevação na arrecadação do ITBI indica um mercado imobiliário mais aquecido, e vice-versa. O primeiro gráfico (acima) mostra uma comparação da arrecadação acumulada de ITBI de Janeiro a Junho relativo aos anos de 2009, 2010 e 2011. Como podemos observar, 2011, apesar da retração nas vendas, ainda mostra maior arrecadação 3,22% maior que a de 2010, que por sua vez foi 37,8% superior à verificada no mesmo período de 2009.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

A ideologia da inveja e o movimento contra o Setor Noroeste

O movimento contrário à construção do Setor Noroeste em Brasília e à favor da manutenção do Santuário dos Pajés é um relativo sucesso — nem tanto de público, mas certamente de uma certa mídia. Como qualquer iniciativa da esquerda, sua principal denúncia é a "desigualdade" produzida pela especulação imobiliária promovida pelas malvadas construtoras de Brasília. Auto-proclamando-se representantes dos índios, destilam todo seu ódio contra os que têm dinheiro para comprar um apartamento no Noroeste, segundo eles os responsáveis e principais beneficiários da especulação imobiliária e destruição do cerrado.

Setor Noroeste - Brasilia (DF)

As ações do movimento em defesa do Santuário dos Pajés, porém, encerram enormes contradições: os maiores beneficiários da construção do Setor Noroeste em Brasília são a classe média e a população de baixa renda. As construtoras, o GDF e os proprietários dos apartamentos comprados no Noroeste estão financiando a construção de um bairro moderno, sintonizado com os melhores padrões de sustentabilidade. O resultado: geração de empregos, e elevação da oferta de imóveis, que aumenta a renda da população e reduz os preços das moradias, beneficiando, portanto, toda a coletividade.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Setor Noroeste obtém vitória judicial e Estado de Direito triunfa

A Democracia e o Estado de Direito estão prevalecendo na disputa envolvendo áreas do Setor Noroeste de Brasília. Audiência Pública na 2º Vara de Justiça do TRF de Brasília, conduzida pela desembargadora Selene Maria de Almeida, estabeleceu não só que as obras poderão continuar, mas definiu garantias para que as construtoras possam trabalhar em paz livre dos estudantes desocupados da UnB.

Setor Noroeste - Brasília

Nesse sentido, a Polícia Federal estará presente a partir de agora no Setor Noroeste para fazer cumprir a Lei e permitir que as obras dos edifícios possam avançar.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Chapa liberal vence a eleição para o DCE da UnB

A chapa Aliança pela Liberdade foi declarada vencedora das eleições para o Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade de Brasília (UnB), obtendo 1.280 dos 5.782 votos válidos. A chapa vitoriosa alinha-se com os idéias de liberdade, meritocracia e democracia.

Aliança pela Liberdade - UnB

Um dos principais pontos da campanha da chapa Aliança pela Liberdade é a adoção de um sistema parlamentarista no DCE. Outros aspectos apoiados pela Aliança pela Liberdade da UnB é o retorno ao policiamento no campus, e um maior foco nos problemas vividos pelos estudantes, afastamento dos movimentos sociais e de partidos políticos que historicamente dominam a política estudantil.

INCC com perspectiva de aceleração em novembro de 2011

Em outubro, o Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M) subiu 0,20%, puxado em grande parte pelo aumento do custo com mão de obra. Responsável pela metade do índice, o grupo vai subir ainda mais em novembro, de acordo com Ana Maria Castelo, coordenadora de projetos do Instituto Brasileiro de Economia (IBRE) da Fundação Getúlio Vargas (FGV), que apura o índice.

Evolução do INCC 2011

Responsável por 0,16 pontos no INCC-M de outubro, a mão de obra no mês foi puxada pela antecipação de aumento salarial por parte de algumas empresas mineiras. Como resultado, o índice em Belo Horizonte ficou em 0,86% no mês, o maior entre as sete capitais pesquisadas pela FGV. Em São Paulo, o acréscimo foi de 0,12%, enquanto no Rio de Janeiro ficou em 0,15%.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

O Setor Noroeste em Brasília, os índios, os mitos e os fatos

Tendo em vista a ampla desinformação que ocorre na mídia em geral sobre a questão indígena do Setor Noroeste, este artigo pretende esclarecer os principais pontos de polêmica sobre o novo bairro de Brasília, o qual é objeto de  algumas manifestações contrárias à sua construção.

 Setor Noroeste em Brasília, os índios, os mitos e os fatos

A seguir relacionaremos os mitos e os fatos sobre o setor Noroeste de Brasília.

Bancos buscam formas de surfar o boom imobiliário

Após uns 16 anos de relativa estabilidade econômica, com a inflação em níveis historicamente baixos, os bancos e compradores de imóveis começam a olhar seriamente para os financiamentos imobiliários pela primeira vez na história do Brasil.

Crédito Imobiliário

Com o mercado brasileiro de crédito imobiliário começando a ganhar tração, os bancos estão procurando novas maneiras de conseguir os recursos de longo prazo necessários para sustentar o rápido crescimento.

Mercado imobiliário pode sofrer correção suave de preços

O portal Infomoney traz uma matéria sobre Bolha Imobiliária, suspeita recorrente após uma valorização de 90% de valorização nos últimos 3 anos, e, de quase 30% no último ano, na cidade de São Paulo.

Valorização de imóveis no Brasil

A elevação de preços dos imóveis no Brasil decorre da expansão da demanda, a qual foi influenciada pela alteração no sistema de crédito. Ocorre que, como essa demanda não encontrou um ambiente de ofertas, sobretudo nos centros urbanos, os preços subiram.

Bolha Imobiliária onde? Ibope: não há sinais de acomodação nos preços dos imóveis

O preço dos imóveis aumentou em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Recife no mês de outubro segundo pesquisa divulgada nesta quarta-feira pelo Ibope Inteligência. "Ainda não há sinais de acomodação dos preços, uma vez que as altas são expressivas", afirmou o diretor de GEO negócios do Ibope Inteligência, Antonio Carlos Ruótolo.

Preço dos Imóveis em São Paulo continua a subir

Segundo a pesquisa semestral, em São Paulo o preço de novos imóveis cresceu 14% em outubro ante abril. O valor médio do m² dos imóveis novos na capital paulista foi de R$ 6.019. A região com maior elevação de preços foi a zona Norte, com aumento médio de 28%, seguida pela região central, com alta de 21% e regiões Sudoeste e Sul, ambas com 17%. Na outra ponta da tabela, aparece a região Noroeste, onde os imóveis, em média, tiveram alta de 3% nos preços.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Setor Noroeste obtém vitória judicial contra índios do Santuário dos Pajés

A Juíza Selene Maria de Almeida derrubou, em 24/10/2011, a liminar que impedia as construtoras Emplavi, Brasal e João Fortes de iniciar as construções de seus empreendimentos imobiliários no Setor Noroeste de Brasília. Essa importante vitória das construtoras segue-se ao acordo celebrado com as demais comunidades indígenas que estavam ocupando a área de forma irregular.

Setor Noroeste - Indígenas

A liminar que caiu ontem tinha sido proferida pela juíza Clara Santos Mota, pois esta pretendia ouvir as razões pelas quais a FUNAI não acatava o laudo antropológico, feito a seu pedido, para avaliar se a área ocupada pelos índios no Noroeste era ou não indígena. Ocorre que o laudo foi feito de forma tão tendenciosa que a própria FUNAI se recusou a acatar tal absurdo, tendo em vista que tal "laudo" seria facilmente derrubado em instâncias judiciais.

domingo, 23 de outubro de 2011

Os efeitos do Consenso de Washington na economia brasileira

O termo Consenso de Washington ficou conhecido como um conjunto de medidas de ajuste macroeconômico formulado por economistas de instituições financeiras como FMI e o Banco Mundial, elaborado em 1989. Entre essas "regras" que deveriam ser adotadas pelos países para promover o desenvolvimento econômico e social estavam: disciplina fiscal, redução dos gastos públicos, reforma tributária, juros de mercado, câmbio de mercado, abertura comercial, investimento estrangeiro direto, com eliminação de restrições, privatização das estatais, desregulamentação e desburocratização, direito à propriedade intelectual.

Consenso de Washington

Como fica evidente neste artigo, as medidas do consenso de Washington aplicadas ao Brasil foram fundamentais para o que o País conseguisse se ajustar e promover o desenvolvimento econômico que hoje caracteriza a economia brasileira.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Mercado Imobiliário SP mostra crescimento de vendas e valorização em agosto de 2011

O SECOVI-SP divulgou hoje os dados relativos ao desempenho do mercado imobiliário na RMSP - Região Metropolitana de São Paulo em agosto. Os números mostram um cenário bastante promissor, com recuperação de vendas e de valorização em relação a 2010.

Mercado Imobiliário - São Paulo - Agosto - 2011

Em termos de lançamentos de imóveis, o gráfico abaixo mostra que o mercado vem se recuperado sistemativamente desde a eclosão da crise financeira internacional em 2008. O número total de lançamentos  ainda não atingiu o total de 2008, mas já é o segundo mais elevado de toda a série histórica.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Preço dos aluguéis dispara em São Paulo, Rio e Brasíla

Os preço dos aluguéis residenciais está em franco processo de elevação, conforme mostram dados do SECOVI e do FIPE-ZAP. O movimento de subida de preços de aluguéis acompanha a evolução dos preços que tem sido observado nos imóveis em geral.

Valor dos Aluguéis - Brasília - Asa Sul

No caso do Distrito Federal, quem procura um imóvel residencial para alugar, hoje, vai pagar, em média, 25% mais caro do que há um ano. Enquanto isso, o reajuste aplicado nos contratos antigos, no mesmo período, foi de apenas 8%, de acordo com o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M). Os dados fazem parte do Boletim da Conjuntura Imobiliária, divulgado mensalmente pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (Secovi-DF).

Estados Unidos querem dar visto a quem comprar imóveis

O mercado imobiliário americano chegou a este ponto: para reanimá-lo, dois senadores estão se preparando para apresentar nesta quinta-feira um projeto de lei bipartidário que dará vistos de residência para estrangeiros que investirem pelo menos US$ 500.000 para comprar imóveis residenciais os Estados Unidos.

Green Card para quem comprar imóveis nos EUA

O projeto faz parte de um pacote maior de medidas de imigração de coautoria dos senadores Charles Schumer (Partido Democrata, Nova York) e Mike Lee (Partido Republicano, Utah), com a intenção de atrair mais investimento estrangeiro aos EUA.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Santuário dos Pajés: chega ao fim a "viagem" dos desocupados da UNB

Está chegado ao fim o impasse entre alguns índios de araque do DF e as construtoras do Setor Noroeste em Brasília. Segundo informa o Correio Braziliense, decidiu-se que os "índios" que habitam irregularmente a área serão removidos para outro local localizado entre a Água Mineral e o Noroeste.

Santuário dos Pajés - Noroeste - Brasília

Esse evento é interessante e cômico, pois despertou o interesse de alguns dos desocupados que se eternizam em cursos de humanas da UNB - como Letras ou Antropologia. Esses "estudantes", alguns dos quais adeptos de produtos famígeros heterodoxos - como a maconha, por exemplo - após o consumo desse produto, permaneciam em um estado alucinógeno acreditando estar dentro do próprio filme AVATAR, protegendo a "Grade Árvore".

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

China sofrerá redução abrupta do crescimento econômico, afirma Noriel Roubini

O economista Noriel Roubini, que ficou famoso por prever o estouro da Bolha Imobiliária nos EUA em 2008, afirmou que "a China não vai conseguir escapar a uma aterrissagem forçada de sua economia, o que deverá acontecer em 2013 ou 2014. 

China Economia

A perspectiva de uma “aterragem suave” é uma “missão impossível”, disse o economista, argumentando que o sobre-investimento “sempre” conduziu aterragens forçadas. Nunca é demais lembrar que a China apresenta uma taxa de investimento agregada superior a 40% do PIB, mais do que o dobro da taxa brasileira, a qual situa-se entre 17% e 20% do PIB.

A Loja da Armani na 5ª Avenida em Nova York: o climax do luxo

A loja Armani na 5th Avenue, em Nova York, deixa boquiabertos os consumidores que visitam o espaço. A localização exata é no cruzamento da 5ª avenida com a rua 56ª. Muito mais do que compras, o local oferece sensações. Já do lado de fora, o prédio revestido de vidro – com 50 metros de largura e 14 metros de altura, em uma área total de 4 mil metros quadrados – chama a atenção. Uma tela de LED projeta imagens do espaço interno da loja, que reserva grandes surpresas aos visitantes.

Loja da Armani na 5ª Avenida em Nova York - fachada

Inovadora tanto no layout como no conteúdo, a Armani/5th é a primeira loja conceito em que os produtos Armani são apresentados em um único espaço, onde o mesmo design foi adotado por toda parte.

domingo, 16 de outubro de 2011

Especulação imobiliária é imoral ou ilegal?

Um comentário no blog HousingMarketBR me chamou a atenção de que algumas pessoas consideram a especulação imobiliária como algo condenável do ponto de vista moral. Que seria tão imoral quanto "especular com remédios para cancer". Além disso, afirmam que a especulação imobiliária seria "inconstitucional" conforme o previsto no artigo 182 da Constituição Federal.

Especulação Imobiliária

Assim, este artigo tem o objetivo de mostrar que a atividade da especulação imobiliária é algo perfeitamente aceitável e, mais que isso, saudável para o mercado e para a sociedade brasileira. Além disso, a atividade de especulação imobiliária é até mesmo incentivada pelo artigo 182 da Constituição Federal, conforme veremos a seguir.

Gisele Bundchen reduz preço de seu apartamento em Boston

A Super Hiper Mega Über modelo Gisele Bündchen e seu marido, o jogador de futebol americano Tom Brady, tentam, pela segunda vez vender sua cobertura em Boston, por US$ 10,5 milhões de dólares.

cobertura Gisele Bundchen nos EUA

Este preço representa um desconto de US$ 400.000 dólares do que foi pedido em 2009, quando o apartamento do casal foi à venda pela primeira vez.

sábado, 15 de outubro de 2011

O Brasil cria sua própria Manhattan: São Paulo

O aquecimento do mercado imobiliário em São Paulo é destaque no jornal New York Times. Segundo o NYT, São Paulo beneficia-se do crescimento econômico do Brasil, o qual decorre, em parte, da evolução do preço das commodities e também dos recursos oriundos da exploração do petróleo do pré-sal.

Cobertura do Hotel Unique com vista panorâmica para o parque do Ibirapuera

Esse boom econômico está promovendo uma revolução no mercado imobiliário, e, em especial nos bairros nobres de São Paulo. A reportagem destaca o caso de um banqueiro que comprou um apartamento no Jardim América há dois anos e hoje o preço do imóvel dobrou.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Derrubando mitos da Bolha Imobiliária: a insuficiência de renda

A excepcional valorização dos imóveis no Brasil nos últimos três anos suscitou as suspeitas de que poderia estar em formação no Brasil uma Bolha Imobiliária, nos moldes da que ocorreu nos EUA na primeira década do século XXI.

Zona Sul - Rio de Janeiro- Ipanema

Desaceleração na demanda chinesa por commodities

Os sinais de redução da atividade econômica na China começam a ficar cada vez mais evidentes. Primeiro foi a redução de preços e de vendas de imóveis nas principais regiões metropolitanas da China, e agora indicadores que o maior consumidor mundial das principais commodities está fazendo dieta.


Uma redução de preços de commodities será extremamente benéfica para a economia brasileira, apesar do que pensa o senso comum. Sim, com redução de preços de commodities nosso saldo comercial se reduzirá, podendo, inclusive, inverter o sinal de superavitário para deficitário. E, com isso, o Dólar se valorizará em relação ao Real, o que levará a uma redução da atividade econômica, seja por meio de uma contração monetária, seja por uma política fiscal mais austera.

Cadê a bolha? Vendas de imóveis e lançamentos crescem em SP

Em mais um indicativo que não existe bolha imobiliária no mercado brasileiro, as vendas de imóveis residenciais novos na cidade de São Paulo cresceram 36,4% em agosto de 2011 na comparação com o mesmo mês em 2010, somando 2.234 unidades, conforme informa o SECOVI-SP.

Vendas de imóveis e lançamentos crescem em SP

Apesar do avanço sobre agosto de 2010, quando a base de comparação é julho de 2011 os números mostram recuo de vendas - 17,9% - e de velocidade de vendas -medida pela relação de venda sobre oferta- caiu de 16,9% para 13,3%.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Site anuncia imóveis 30% mais caros que o mercado e diz que é "promoção"

O site da revista Exame publicou uma notícia anunciando, com certo sensacionalismo, que "site faz queima de estoque de imóveis". Além disso, a notícia diz que "Unidades que há tempos buscam um comprador podem ser adquiridas com descontos que chegam a 30% sobre o valor de tabela". Então vamos investigar se os anunciados descontos de 30% são fato ou é apenas uma "nova" estratégia de marketing.

Promoimoveis

Ao entrar no site Promoimoveis, a primeira "oferta" que me deparei foi com o de uma promoção em destaque - Edifício Mosaico - Vila Madalena, de R$ 820.000 por R$ 648.000 reais. Entretanto, o imóvel que está sendo vendido a R$648.000 é uma unidade de 2 quartos de 67 metros quadrados, o que resulta em um preço médio de R$ 9.671 reais o metro quadrado.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Déficit habitacional sepulta hipótese de bolha imobiliária

O Programa Minha Casa, Minha Vida vai entregar até o final de 2011 120 mil novas moradias. Até dezembro do ano passado, na primeira etapa do programa, foram totalizadas as contratações para a construção de 1 milhão de moradias. 

Déficit Habitacional no Brasil afasta hipótese de Bolha Imobiliária

Em que pese a conhecida capacidade de exagero dos burocratas governamentais, é fato que o programa Minha Casa Minha Vida vem promovendo o acesso da população de baixa renda à moradia. Entretanto, apesar dos números atuais parecerem grandiosos, segundo a secretária nacional de Habitação, Inês Magalhães, o Brasil precisará construir nos próximos 20 anos 23 milhões de habitações para suprir a demanda.

Campanha: O Dia do Homem

Um grupo de mulheres esclarecidas, entre as quais me incluo, está iniciando uma campanha mundial para a instauração do Dia Internacional do Homem. Já existe dia da mulher, dia do cachorro, dia do gay, até dia do contador de piada, por que não o Dia Internacional do Homem?

Dia do Homem

Algumas razões que sustentam a criação do Dia Internacional do Homem:

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Bolha, só se for de equívocos

Desde o início do ano temos presenciado alertas quanto aos riscos de estouro de uma possível bolha crédito no Brasil. O crescimento acelerado do crédito no país, o alto comprometimento de renda do brasileiro com pagamento de dívidas e a escalada dos preços dos imóveis nos principais centros urbanos costumam ser elencados como sinais da existência desta bolha em terras brasileiras. Assim, mais cedo ou mais tarde, sucumbiríamos a uma crise tal qual vem ocorrendo no hemisfério norte.

Bolha imobiliária no Brasil

Em primeiro lugar, o termo “bolha” não é, a rigor, adequado ao mercado de crédito pois, tecnicamente, “bolha” representa o descolamento significativo e prolongado do preço de algum ativo financeiro ou real dos seus fundamentos. Mas, como bolhas especulativas costumam ser precedidas por “booms” de crédito, acaba-se utilizando, alternativamente e com certa liberalidade, o termo “bolha”.

Bolha imobiliária na China começa a desinflar

Com uma série de medidas adotadas pelo governo chinês, o mercado imobiliário do país começou a esfriar, causando uma queda nos preços dos imóveis. Segundo especialistas, limitar a compra de imóveis e reduzir a oferta monetária são as principais causas para a diminuição das especulações.

Bolha imobiliária - China

Os preços dos imóveis nas 16 principais cidades chinesas registraram uma baixa mensal em agosto. Em outras 30 cidades, os valores se mantiveram iguais aos do mês anterior. É a primeira vez que os preços imobiliários em metade das cidades de grande e médio porte param de subir.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Queda da Bolsa de Valores direciona investidores para o mercado imobiliário

Entre 2008 e 2011, o preço dos imóveis deu um grande salto em todo o País. Para muitos especialistas, o forte aumento dos preços não passou de uma correção, depois de anos sem reajustes consideráveis no valor dos empreendimentos.

Queda na Bolsa de Valores - Investimento Imóveis

Seja como for, os imóveis, que sempre foram vistos como uma opção segura de investimento e consolidação de patrimônio, ficaram ainda mais no foco de investidores em busca de rentabilidade e uma certa segurança.

Valorização de imóveis se acelera em setembro de 2011

A valorização média dos imóveis no Brasil em setembro de 2011 foi de 1,9%, conforme a medição do Índice FipeZap Composto. Após quatro meses de desaceleração na variação dos preços, setembro de 2011 mostrou que os preços de imóveis no Brasil voltara a se acelerar.

Leblon - Rio de Janeiro

Nos últimos 12 meses, o preço médio das sete regiões brasileiras pesquisadas aumentou 29%, com Rio de Janeiro (+41%) e Recife (+30%) liderando a alta.

domingo, 2 de outubro de 2011

A influência do Dólar no INCC - Índice Nacional de Construção Civil

O blog absoluto publicou um artigo que procura estabelecer os padrões pelos quais a variação da moeda norte-americana influencia os indicadores de preços de construção civil.

Prédio STJ

O artigo conclui que existe sim uma influência direta da variação do dólar sobre o INCC, que é o indicador por meio do qual o saldo devedor dos imóveis na planta são reajustados. O primeiro gráfico, mostrado abaixo, relaciona a cotação do dólar com o INCC tomado como base 100 em janeiro de 2000.

Mercado imobiliário no Brasil tem espaço para expansão, segundo Standard and Poor´s

A analista de crédito da Standard and Poor´s, Debora Confortini, fala sobre os fundamentos do setor de construção civil no Brasil, os quais, segundo a economista, se mostram sólidos em função da boa e imediata disponibilidade de crédito tanto para incorporadoras quanto para os compradores finais.

Mercado Imobiliário no Brasil

Segundo, Débora, o mercado imobiliário brasileiro ainda está na fase inicial e apresenta grande potencial de expansão, pois há há uma forte demanda reprimida que as incorporadoras podem atender. No link a seguir você ouve o podcast com a análise da economista da SP no Brasil.

sábado, 1 de outubro de 2011

Standard & Poor’s: não há bolha imobiliária no Brasil

A ascensão da economia brasileira atrai investidores, turbina o crescimento e também preços em mercados onde a oferta é inelástica, como o caso dos imóveis.

Bolha Imobiliária - Brasil

Entretanto, suscita algumas dúvidas também, como quanto à sustentabilidade do mercado de crédito. Mais de 30 milhões de pessoas no Brasil têm acesso a serviços financeiros, levantando questionamentos sobre quantos têm capacidade de honrar seus compromissos.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Sociedade condenada

"Quando você percebe que, para produzir, precisa obter a autorização de quem não produz nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos mais pelo suborno e influência do que pelo trabalho e que as leis não nos protegem deles, mas, pelo contrário, são eles que ficam protegidos de você; quando perceber que a corrupção é recompensada e a honestidade se converte em auto-sacrifício, então poderá afirmar, sem temor de errar, que sua sociedade está condenada!"


Frase da filósofa russo-americana Ayn Rand (judia, fugitiva da revolução russa, que chegou aos EUA na metade da década de 1920).

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

FT: governo brasileiro é o culpado pelo Real forte

O país que inventou o termo "guerra cambial" acaba de acrescentar mais uma novidade ao seu arsenal retórico. O Brasil quer que a Organização Mundial do Comércio permita o uso de medidas anti-dumping contra países que promovem desvalorizações competitivas de suas moedas através de políticas de expansão monetária. A proposta não tem a menor chance de ser aprovada, mas é um sinal preocupante do tipo de protecionismo que o mundo até agora evitou em quatro anos de crise financeira e recessão.

Real Valorizado é culpa do governo brasileiro

Apesar da recente desvalorização do Real, o Brasil está preocupado que o Real pode voltar a se apreciar ainda mais se os EUA eo Reino Unido embarcarem em mais flexibilização quantitativa (QE). Brasília, assim, se vê como vítima inocente de uma guerra cambial entre potências, ainda que a apreciação do Real seja, em grande parte, culpa do próprio governo brasileiro.

Crédito imobiliário começa a desacelerar no Brasil

O presidente da CEF afirmou que a alta dos preços de imóveis e do crédito imobiliário no Brasil já começaram a moderar, afastando o risco de criação de uma eventual bolha nesse mercado. Segundo Hereda, o "crescimento do crédito moderou, até porque as classes A, B e C têm um limite de quanto podem pagar por um imóvel”.

Crédito Imobiliário em desaceleração no Brasil

Esta semana, o FMI divulgou relatórios apontando o risco da rápida expansão do crédito no Brasil e da valorização dos imóveis. O organismo aponta em especial o avanço dos preços dos imóveis em São Paulo, que ocorre na velocidade das cidades com mercado mais aquecido da Ásia. Entretanto, segundo a CEF a elevação dos preços fez com que a expansão reduzir o ritmo.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Expansão do crédito imobiliário no Brasil depende de decisões governamentais

O crédito é um dos principais responsáveis pela expansão do setor imobiliário no Brasil nos últimos anos. Entretanto, em que pese sua expansão, que passou de cerca de 1,5% do PIB em 2003 para os atuais 4% do PIB, com estimativa de chegar a 6% em 2014, o fato é que essa parcela ainda é muito pequena quando comparada com outros países. Nações desenvolvidas como Austrália, Estados Unidos e Reino Unido, por exemplo, o crédito imobiliário atinge algo como 80% do PIB, e mesmo em mercados de países latino-americanos, como Chile e México, esse indicador atinge valores como 15% do PIB. Esses números evidenciam que há muito espaço para a expansão do crédito imobiliário no Brasil, mas a questão que fica é: de onde virão os recursos?

Credito imobiliario no Brasil - poupança : captação x concessão de financiamentos

O gráfico acima, elaborado pelo Núcleo de Real State da POLI-USP, mostra que o principal instrumento de fornecimento de recursos para o setor imobiliário - a Caderneta de Poupança - mostra sinais de esgotamento, tendo em vista o descompasso entre a captação e a concessão de empréstimos. Caso esse problema não seja resolvido, em um curto espaço de tempo o crédito imobiliário no Brasil pode entrar em colapso.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Os limites à política econômica populista do governo brasileiro

A estratégia populista de ampliação do curral eleitoral governamental segue firme e forte, com as informações de que o governo brasileiro tem a meta de colocar mais 800 mil famílias no Bolsa Família até 2013. A pergunta que fica é: até que ponto é sustentável a estratégia do governo de criação de currais eleitorais por meio do Bolsa Família?

Bolsa Família

O fato é que o estoque de "elegíveis" ao Bolsa Família está chegado ao fim, já que a atual maratona da miséria parece ser ápice do processo de ampliação do Bolsa Família. Movimentos posteriores terão que ser feitos com base em elevação do limite de renda, o que evidenciaria ainda mais o caráter eleitoreiro com o qual o programa é tratado.

O reflexo da alta do dólar nas ações e nos imóveis

O movimento de redução das taxas de juros primárias colocado em curso pelo Banco Central do Brasil teve como reflexo mais evidente a apreciação do dólar, que passou, em questão de poucos dias do patamar de de R$ 1,55 / dólar para o atual na faixa de R$1,8 / dólar. Isso porque, segundo o boletim Focus do BC, a expectativa do mercado era de uma taxa ao redor de R$1,65 por dólar no final do ano.

subida do dólar

Mas a grande questão para os investidores é: como a alteração do dólar se reflete nos ativos brasileiros? Segundo os analistas de mercado, no caso das ações, deve ganhar fôlego os papéis atrelados às exportações, como commodities, papel e celulose, Petrobras e siderurgia.

domingo, 18 de setembro de 2011

Quem tem medo do voto distrital? Os corruptos, é claro!

A movimentação da sociedade por um sistema político mais decente e honesto, que pretende dar mais poder ao cidadão de fiscalizar os políticos, o movimento Eu Voto Distrital, ao que parece, já está incomodando bastante os poderosos de plantão. Incomodando o suficiente para fazer com que os atuais donos do poder no Brasil acionem seus simpatizantes na mídia para tentar associar o voto distrital com à "direita".

Quem tem medo do voto distrital?

Em um período de uma semana, o senhor Marcos Coimbra, dono do Instituto Vox Populi, instituto contratado pelo PT para fazer suas pesquisas de opinião internas, escreveu dois artigos na imprensa tentando apontar problemas do voto distrital. O primeiro artigo não tinha fundamentação alguma, e tratava-se apenas de um panfleto, como pode ser visto aqui.