quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Preço dos aluguéis dispara em São Paulo, Rio e Brasíla

Os preço dos aluguéis residenciais está em franco processo de elevação, conforme mostram dados do SECOVI e do FIPE-ZAP. O movimento de subida de preços de aluguéis acompanha a evolução dos preços que tem sido observado nos imóveis em geral.

Valor dos Aluguéis - Brasília - Asa Sul

No caso do Distrito Federal, quem procura um imóvel residencial para alugar, hoje, vai pagar, em média, 25% mais caro do que há um ano. Enquanto isso, o reajuste aplicado nos contratos antigos, no mesmo período, foi de apenas 8%, de acordo com o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M). Os dados fazem parte do Boletim da Conjuntura Imobiliária, divulgado mensalmente pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (Secovi-DF).

Brasília - Asa Sul

Em algumas regiões, como Ceilândia e Taguatinga, o percentual de valorização do aluguel chega a 43% em um ano. Para se ter ideia do aumento no preço da locação, um apartamento de três quartos em Taguatinga, que em 2010 era anunciado por R$ 630, este ano não sai por menos de R$ 900.

Evolução aluguel - Brasília

“Essa valorização dos imóveis é normal. Quanto mais pessoas procuram o mesmo bairro para morar, mais caro será o preço da unidade para venda e, consequentemente, para locação”, explica Ovídio Maia, vice-presidente do Secovi-DF.

De acordo com levantamento da Fundação Getulio Vargas (FGV), o valor gasto com aluguel consome 5% da renda das famílias que ganham de um a 30 salários-mínimos. “É um percentual alto, mas verificamos o mesmo gasto em outras capitais, tais como São Paulo e Rio de Janeiro”, explica o economista André Braz.

Por outro lado, os indicador de preços e aluguéis de imóveis também mostra evolução dos preços em Brasília.

Evolução aluguel - São Paulo

Em São Paulo o movimento se repete com maior intensidade ainda, com evolução dos aluguéis em um índice superior aos 25% verificados em Brasília.

Evolução aluguel - Rio de Janeiro

Por fim, no Rio de Janeiro, temos outra evidência da evolução dos preços dos aluguéis, como mostram o gráfico abaixo.

Com informações [Jornal de Brasília]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões) ou conteúdo ofensivo, racista, homofóbico ou de teor neonazista ou fascista (e outras aberrações do tipo) serão apagados sem prévio aviso.

Postar um comentário