sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Samy Dana: alteração no FGTS provocará valorização dos imóveis

O economista Samy Dana, da FGV, afirmou, em entrevista ao portal Infomoney, que a alteração nas regras do FGTS "poderá influenciar a valorização dos imóveis no curto prazo", enquanto que "no médio e longo prazos deverá haver um equilíbrio."


Essa fala de Samy Dana é paradigmática, tendo em vista que esse economista, ídolo daquele pessoal que sonha com bolha imóbiliária, já chegou a profetizar o estouro da suposta bolha imobiliária para depois da Copa do Mundo, com quedas de mais de 40% nos preços após esse evento.

Ou seja, o economista Samy Dana deu uma guinada radical em suas opiniões a respeito dos preços dos imóveis: se antes ele profetizava quedas de mais de 40%, agora ele diz que haverá valorização no curto prazo e estabilização em médio e longo prazo. Não se fala mais em queda.

A alteração no FGTS a qual o economista Samy Dana se refere é a possível subida do limite de valor dos imóveis que podem ser pagos com o FGTS, atualmente em R$ 500.000 reais, limite este que deve subir para R$ 750.000, segundo notícias públicadas recentemente, como a da jornalista Mara Luquet, da CBN (ouça abaixo).



Com informações: UOL Economia

69 comentários:

  1. Frase colocada fora de contexto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Negativo. Frase está exatamente no contexto: alteração de regras do FGTS.
      O fato: Samy Dana mudou de opinião sobre bolha.

      Excluir
    2. O Samy Dana não mudou de opinião. Em momento algum ele disse que com a alteração das regras do FGTS não existe mais bolha imobiliária no Brasil.

      E mesmo que ele tivesse dito algo neste sentido, não mudaria as situações fáticas do mercado imobiliário no Brasil:
      1. excesso de oferta de imóveis
      2. agionários desesperados por vender seus imóveis sem lucro, já que os preços estagnaram
      3. devolução de imóveis por compradores e agionários para as construtoras
      4. vendas estagnadas e imóveis antigos fazendo aniversário de anúncio: alguns 1 ano, outros 2 anos de aniversário.
      5. construtoras reduzindo número de lançamentos: quantos lançamentos tivemos este ano no Noroeste, Guará Park Sul, Águas Claras?
      6. governo reduzindo impostos para construtoras: se o mercado está pujante, vendendo tudo na planta, pessoas com renda alta, comprando tudo e financiando, por que o governo tem que ajudar?

      2013 promete!

      Excluir
    3. e ai Kássia?..ja vendeu seu apartamento na planta???

      Excluir
    4. rsrsrs... é por isso tanto desespero???... ontem foi a festa... amanha é a ressaca... agora aguenta !!!

      Excluir
    5. quantos vc comprou no setor noroeste?

      Excluir
    6. em qual quadra? quantos quartos?

      Excluir
    7. Poxa, você comprou somente um apartamento? Se eu soubesse que os imóveis iriam valorizar tanto, eu teria comprado logo uns 10 ágios para revender agora na entrega. E viveria feliz e rico.

      Você não fez bom negócio, deveria ter comprado mais de 1, Kássia Tavares.

      Excluir
    8. Para quem comprou somente um apartamento no Setor Noroeste "o ecológico que destrói o cerrado", você defende com muito fervor o Setor Noroeste.

      Suas atitudes condizem mais com alguém que comprou muitos ágios e com dono de construtora e de imobiliária que está com um grande pepino na mão de prejuízos futuros, por falta de compradores.

      Excluir
    9. Eu não defendo o Noroeste, só acho que será o melhor bairro de Brasília em um futuro próximo.

      O Noroeste estava previsto pelo Lucio Costa no planejamento de Brasília, tem um parque maravilhoso do lado, e é melhor que seja urbanizado e vendido para moradores, pois do contrário seria invadido e corria o risco de virar uma grande favela.

      Excluir
    10. Melhor bairro? Não existe melhor bairro do que as Asas Sul e Norte, querida. E mais, o Noroeste não estava previsto no planejamento inicial da cidade.

      Excluir
  2. Kássia Tavares, releia o que você escreveu:

    "O economista Samy Dana, da FGV, afirmou, em entrevista ao portal Infomoney, que a alteração nas regras do FGTS "poderá influenciar a valorização dos imóveis no curto prazo", enquanto que "no médio e longo prazos deverá haver um equilíbrio."

    "Essa fala de Samy Dana é paradigmática, tendo em vista que esse economista, ídolo daquele pessoal que sonha com bolha imóbiliária, já chegou a profetizar o estouro da suposta bolha imobiliária para depois da Copa do Mundo, com quedas de mais de 40% nos preços após esse evento."

    Entenda, ele disse que os valores podem subir no curto prazo, em virtude da euforia do mercado em relação aos que tem FGTS. Mas esta afirmação não desmente que após a Copa do Mundo os preços cairão.

    Ou seja, será uma espécie de "último suspiro" do mercado imobiliário, que terá uma euforia por conta do aumento do FGTS.

    No entanto, "Um parecer da Caixa Econômica Federal - que faz a gestão do FGTS - enviado ao Ministério da Fazenda estimou que só 0,2% dos cotistas atuais se enquadrariam na faixa de renda compatível com imóveis nesta faixa de preço".

    Ou seja, de pouco irá adiantar esse incremento no valor de 500 para 750 mil.

    E em Brasília, menos ainda, pois a maioria dos compradores de imóveis aqui são servidores públicos, que não tem FGTS.

    Sorry!

    ResponderExcluir
  3. Como vocês acham que esta febre de investimento em fundos imobiliários irá influenciar o preço dos imóvel residencial? Eu acho que isso tende a afastar ainda mais o investidor do imóvel residencial. Para o investidor médio já está muito caro comprar imóvel e mesmo aquele acredita em valorização, tem que se conformar com um aluguel barato e todas outras limitações do imóvel como investimento (manutenção, vacância, corretagem, liquidez baixa).
    Hoje os fundos imobiliários são bem mais atrativos, não é pago imposto de renda, é possível diversificação mesmo com baixo investimento, há mais liquidez. Eu acho que quem quer investir em imóveis e tem um mínimo de educação financeira vai comprar cotas em FII.
    Não sei se isso vai influenciar muito o preço do imóvel, porque não há estatísticas confiáveis sobre venda de imóveis. O mais provável é que o Brasil continue crescendo 5% ao ano e a valorização dos imóveis seja eterna e crescente, em contraste com tudo que já existiu, em qualquer tempo ou lugar, já que é consenso entre as Secovis que até 2016 todo o brasileiro terá uma renda maior que 20k por mês e poderá financiar qualquer imóvel. É melhor comprar neste momento porque daqui 5 min você estará pagando mais caro.

    ResponderExcluir
  4. 5 minutos não. Agora:

    Olha os preços no Setor Noroeste

    2009 R$ 8.000
    2010 R$ 9.000
    2011 R$ 10.000
    2012 R$ 11.000
    2013 R$ ......
    2014 R$ 20.000

    E tem um profeta de uma grande imobiliária de Brasília que falava que em 2014 os preços chegariam a R$ 20.000.

    ResponderExcluir
  5. Segue o link original da reportagem: http://www.infomoney.com.br/minhas-financas/imoveis/noticia/2630405/especialistas-divergem-sobre-valorizacao-imoveis-com-possiveis-mudancas-fgts

    Este blog alterou o contexto do que foi dito. Depois ainda critica o Bolha Imobiliária por fazer o mesmo.

    Sinceramente, ambos os sites são parciais e querem vender uma ideia com a paixão e não com a razão. Eu gosto de acompanhar os dois porque assim consigo formar a minha própria opinião, é interessante.
    Falar com paixão não tem problema, mas pegar uma notícia e tirá-la do contexto para provar uma teoria afeta a credibilidade do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não alterei contexto nenhum. O Samy Dana falou que a elevação do limite do FGTS leva a valorização dos imóveis. Se vcs não querem ouvir o economista queridinho de bolhotas falando que imóveis vão subir de preço, sorry. Como já disse, neste blog nós ficamos com os fatos.

      Excluir
    2. nesse caso, o blog ficou com o meio-fato... segue o fato completo: "O professor de Economia da FGV (Fundação Getúlio Vargas), Samy Dana, por outro lado, acredita que se a medida do Governo for concretizada, ela poderá influenciar a valorização dos imóveis no curto prazo; já no médio e longo prazos deverá haver um equilíbrio. “No entanto, o setor imobiliário precisa não apenas de juros mais baratos, mas de preços mais razoáveis”, diz ele a respeito dos juros dos financiamentos pelo FGTS, que são mais baratos.

      Excluir
    3. Essa segunda parte é apenas opinião dele. Tudo está caro no Brasil e precisa de preços mais razoáveis.

      Excluir
    4. Se vc tem tanta certeza que os preços vão subir, devia parar de dizer isso aqui no blog e usar essa sua certeza absoluta para fazer dinheiro. Capte a maior quantidade de recursos que puder e compre imóveis.
      Se vc contar esse "segredo" que apenas sua mente evoluída descobriu, outros podem ter a mesma genial ideia que você!
      Largue o blog e vá comprar imóveis! E vá logo porque amanhã os preços já terão subido.

      Excluir
    5. Preços mais razoáveis, inclusive dos imóveis. E estão tão caros, por isso ninguém está comprando. Não somente pela sensação de que está caro, porque subiu 100% em poucos anos, mas também porque os preços estão acima do valor que as pessoas conseguem pagar.

      Tem gente que nem procura mais imóvel para comprar. Gente pobre, com salário familiar de R$ 20.000 ou mais.

      Excluir
    6. A tendência dos preços é de subir mesmo, mas não acho que seja bom investimento, nem na planta e nem pronto, salvo em situações excepcionais.
      O que pode ser bom investimento é procurar imóveis de "investidores" desavisados que estão desesperados para entregar o que compraram por um preço baixo, pois não têm dinheiro para pagar as chaves.

      De qualquer forma, o momento é favorável ao comprador sim, e isso é muito bom.

      A minha opinião é a de que não há bolha, mas o momento também não é adequado para investir em imóveis.

      Mas para quem quer comprar para morar, sim, acredito que deve procurar bastante e comprar, caso tenha condições, pois os preços vão subir ainda mais, pelo menos acompanhando a inflação, e, se a economia crescer mais, mais que isso, com ganhos reais.

      Excluir
    7. peraí deixa eu ver se entendi seu raciocínio... primeiro você celebra o fato do sujeito ter mudado de opinião como se isso fosse algo extraordinário, depois vc diz que "essa segunda parte é APENAS opinião dele" (e a primeira parte não era?) como se a opinião dele fosse irrelevante... então uma hora a opinião do cara é importante e na outra a opinião dele não vale nada (me parece haver um conflito de interesses aí)...

      agora vc diz que o momento não é bom para investir mas que os preços vão subir ainda mais... mas se os preços vão subir ainda mais, então não seria um bom momento para investir? Afinal se vc pode comprar agora e vender mais caro no futuro, como isso não seria adequado para um investidor?

      tá difícil...

      Excluir
    8. Se o preço subir, mas não subir tanto, existem custos de transações que afetam a rentabilidade do imóvel como investimento. Ou seja, se a valorização ficar muito próxima da inflação não vale a pena do ponto de vista de investimento.

      Continua valendo, porém, comprar imóveis na planta cujo preço do metro quadrado de lançamento seja menor do que o praticado na área do empreendimento. Isso continua a ser um bom investimento.

      Excluir
    9. Se? Há dúvida? Você está se influenciando por estes bolhotas? É lógico que vai subir, e mais que a inflação! Você esqueceu o que postou antes? 10% só nos primeiros seis meses de 2013.

      Excluir
    10. Bolhotas estão dizendo que a bolha estourou desde 2010...kkkk

      Excluir
    11. Não me importa o que dizem os bolhotas, o que quero saber é se você já mudou de ideia quanto a valorização de 2013, o ano do Pico. Este seu comentário de valorização muito próxima da inflação....esqueceu que você mesma já previu que a valorização vai aumentar em 2013? Como você pode agora vir com estas suposições infundadas se "o preço não vai subir tanto"?! Vai subir muito! No mínimo 10% nos 6 primeiros meses de 2013. O que estamos vendo agora é o início da retomada do crescimento. Você já foi mais incisiva, Kássia. Lamentável.

      Excluir
    12. Eunão previ valorização de 10%. Eu postei um artigo onde um professor da FGV previu uma valorização de 10% nos primeiros seis meses de 2013:

      http://www.politicaeconomia.com/2012/10/imoveis-vao-subir-no-minimo-10-nos.html

      Essa é a opinião dele.

      A minha opinião é que os preços vão subir em 2013, acima da inflação. Quanto? Não sei, até mesmo porque as próprias estimativas de crescimento de PIB estão variando muito. Se for como o CS disse de 4% em 2013 e entrarmos em 2013 com a economia girando a 4%, 10% nominais nos imóveis nos primeiros 6 meses de 2013 é bem provável acontecer.

      Ocorre que, antes, achava-se que a economia estaria girando a 4% agora, e até mais que 4% no começo de 2013. Ocorre que, agora, a economia brasileira está crescendo a 2.4% e não a 4%. Logo, se não entrar crescendo 4% em 2013, os preços dos imóveis não vão subir tanto, mas vão subir.

      Enfim, continuo afirmando o que sempre afirmei: os preços dos imóveis vão subir em 2012 e em 2013, e, inclusive, estão se acelerando agora, como mostrou o FIPE-ZAP.

      E, quem não comprar agora, vai pagar mais caro no futuro. Quanto? Não sei.

      Excluir
  6. Kassia, por favor.

    Você age exatamente como a grande mídia: presta um grande desserviço com seu serviço de desinformação voluntária e premeditada.

    Às vezes fico espantado com o medo que você tem da bolha imobiliária (sim, você já sabe que ela existe).

    Segue abaixo transcrição literal da reportagem que você menciona, na parte referente ao Samy Dana:

    "O professor de Economia da FGV (Fundação Getúlio Vargas), Samy Dana, por outro lado, acredita que se a medida do Governo for concretizada, ela poderá influenciar a valorização dos imóveis no curto prazo; já no médio e longo prazos deverá haver um equilíbrio. “No entanto, o setor imobiliário precisa não apenas de juros mais baratos, mas de preços mais razoáveis”, diz ele a respeito dos juros dos financiamentos pelo FGTS, que são mais baratos.

    Quanto aos bancos privados, Dana conta que eles vão ter que ajustar suas taxas, já que é um setor importante para a realização de financiamentos imobiliários. Quem faz a gestão de financiamentos pelo FGTS é a Caixa Econômica Federal."

    Bem diferente do que você retratou, não é? E tem outra, para bom entendedor, meia palavra basta, ou melhor, a palavra "equilíbrio" basta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente igual ao que eu publiquei, ou seja: Samy Dana falou que a elevação do limite do FGTS leva a valorização dos imóveis. Óbvio.

      Excluir
    2. e ele também falou que depois haverá um equilíbrio... equilíbrio nesse caso pode significar estabilização OU um ajuste de preços que equilibre a oferta e a demanda... nesse caso ele parece se referir à segunda opção, pois ele afirma que "o setor imobiliário precisa não apenas de juros mais baratos, mas de preços mais razoáveis".

      Tá difícil de engolir hein...

      Excluir
    3. Anônimo de 8 de dezembro de 2012 18:29, concordo plenamente com você. A Kássia presta um grande desserviço mesmo, sobretudo no artigo dela a respeito da comissão de corretagem.

      Este é o artigo da Kássia:

      SEGUNDA-FEIRA, 18 DE JUNHO DE 2012
      Taxa de corretagem de imóveis na planta: é direito do consumidor saber quanto está pagando

      Entre outras coisas, a Kássia afirma que:

      Ocorre que existem Ministérios Públicos e Juízes de primeira instância e de tribunais adotando posturas francamente desfavoráveis aos consumidores. O Ministério Público de São Paulo, por exemplo, obrigou a Abyara Brokers Intermediação Imobiliária Ltda. a camuflar a taxa de corretagem no sinal das unidades vendidas, conforme pode ser visto neste TAC. Esse TAC contribui para reduzir a transparência dos custos, e obriga aos consumidores a pagar maiores valores de ITBI e Imposto sobre Ganho de Capital.
      O pior de tudo é que a prática está se proliferando, com outros Ministérios Públicos adotando o mesmo entendimento, entendimento este que, como já vimos, é prejudicial aos consumidores, já que aumenta os preços e os impostos devidos pelos consumidores, o quais já são obrigados a arcar com elevados preços de metro quadrado, e agora ainda terão que pagar mais ITBI e mais Imposto por Ganho de Capital, em função de ações de Ministérios Públicos Estaduais.
      Os consumidores de imóveis na planta precisam exigir dos Ministérios Públicos estaduais que revejam essa postura prejudicial aos consumidores, pois além de preços e impostos menores, a explicitação da taxa de corretagem incorre em outros benefícios, como maior transparência de custos para o consumidor, e maior possibilidade de negociação de preços e condições de pagamentos.

      O desespero é muito grande mesmo, ao afirmar tanta besteira. Compradores de imóveis sabem muito bem o quanto as construtoras é que estão prejudicando os compradores, e o Ministério Público está agindo para acabar com esta atutide prejudicial aos compradores.

      Maiores informações, basta procurar no google:

      Corretagem paga pelo comprador do imóvel é indevida

      Taxa SATI

      Construtoras respondem por taxa de corretagem

      Excluir
    4. Esse assunto não tem nada a ver com o post. Não sei porque vc insiste em falar dessa papagaiada de taxa de corretagem.

      Excluir
    5. Não é papagaiada Kássia, é cobrança ilegal que você insiste, em outro post, em afirmar que é legal, usando da MENTIRA para enganar os compradores de imóveis, fazendo afirmações equivocadas, do tipo:

      Kássia Tavares disse: "Ocorre que existem Ministérios Públicos e Juízes de primeira instância e de tribunais adotando posturas francamente desfavoráveis aos consumidores. O Ministério Público de São Paulo, por exemplo, obrigou a Abyara Brokers Intermediação Imobiliária Ltda. a camuflar a taxa de corretagem no sinal das unidades vendidas, conforme pode ser visto neste TAC. Esse TAC contribui para reduzir a transparência dos custos, e obriga aos consumidores a pagar maiores valores de ITBI e Imposto sobre Ganho de Capital".

      Caros leitores deste blog, os juízes e Ministério Público adotam esta postura em favor do consumidor, pois muitas construtoras e imobiliárias estão repassando, indevidamente, e ilegalmente, a taxa de corretagem, que é obrigação da construtora pagar, para o consumidor.

      E mais, fazem propaganda enganosa, pois não informam nas propagandas que quem irá pagar é o consumidor.

      Portanto, Kássia, quando você fala em MENTIRA, vejo que é você que fala mentira, pelos motivos acima.

      Se você quer defender o ponto de vista da sua imobiliária ou construtora, defenda, mas não altere a verdade dos fatos.

      Excluir
    6. Já tem decisão transitada em julgado sobre esse assunto a favor da transparência - que eu defendo - ou seja, tudo discriminado separadamente, o que é comissão, o que é sinal e etc. Eu acho que quanto mais transparência melhor e acho que o consumidor tem direito de saber quanto paga de comissão e etc. Se vc é contra a transparência nas relações de negócios, sorry. Eu sou a favor, e deixei claro no meu post.
      É triste ver pessoas querendo a obscuridade.

      Excluir
    7. Kássia, me desculpe, mas nunca vi corretor informando valor de corretagem.

      Quando você vai no stand de vendas, eles se resumem a falar:

      Sinal R$ 26.000
      30 parcelas de R$ 800
      6 Intermediárias de R$ 4.500
      Chaves de R$ 20.000
      Financiamento de R$ 300.000

      NUNCA falam da corretagem.

      Quem é obscuro é o corretor!

      Excluir
    8. Querido, vá pentelhar em outro lugar com esse papo chato e irrelevante de corretagem.

      Excluir
  7. Não entendi. Quando ele diz "equilíbrio", se refere a voltar ao valor de hoje, ou de voltar a um valor passado? Considerando-se só a 1a frase, dá pra ficar na dúvida.

    Já no 2o trecho ele diz "o setor imobiliário precisa não apenas de juros mais baratos, mas de preços mais razoáveis". O que eles quis dizer com "preços mais razoáveis"?

    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. a parte dos preços mais razoáveis é a parte que ele joga para a torcida.

      Excluir
  8. compra é muitoa facil, pagar é o problema...2013 vem o aumento do desemprego... e a piramide imobiliaria desaba !!!

    ResponderExcluir
  9. independente da opiniao do samy a bolha existe em raz~ao do descompasso entre renda x valor dos im`oveis no brazil. brazilian buble real state.

    ResponderExcluir
  10. Vamos pedir para o próprio Samy Dana vir aqui comentar a respeito do que ele disse, e ver se ele realmente acha que não existe mais bolha imobiliária no Brasil. Daí sanaremos de vez a grande dúvida colocada aqui. Alguém pode mandar um e-mail para o Samy Dana?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele pode vir aqui e falar o que quiser, nada vai apagar a declaração dele de que a mudança do FGTS vai provocar valorização....
      Sorry bolhotas...

      Excluir
    2. Valorização temporária, depois a queda será mais forte.

      Sorry, Dona Kássia...

      Excluir
  11. Artigo fresquinho do Samy Dana, afirmando que EXISTE SIM bolha imobiliária no Brasi:

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1198573-analise-queda-das-transacoes-em-sp-reflete-o-exagero-no-preco-cobrado-por-imovel.shtml

    10/12/2012 - 03h30
    Análise: Queda das transações em SP reflete o exagero no preço cobrado por imóvel
    PUBLICIDADE

    SAMY DANA
    ESPECIAL PARA A FOLHA

    As recentes crises imobiliárias ao redor do mundo têm provocado receio em grande parte dos investidores.

    As "bolhas imobiliárias", responsáveis pela preocupação, estão relacionadas ao colapso da demanda especulativa. No caso brasileiro, agentes que adquiriram imóveis para venda futura -especuladores- começam a notar o exagero nos preços.

    A patamares elevados, poucos conseguem vender. No entanto, nenhum especulador aceita o baixo preço de mercado. Ofertam imóveis acima do que pagaram mesmo não tendo compradores, provocando queda no número de unidades vendidas.

    Além disso, grande parte dos investidores e construtoras sabe que quedas no preço podem gerar pânico suficiente para que se inicie uma catástrofe de vendas resultante em cotações ainda menores.

    Para contornar essa situação, as imobiliárias, que precisam gerar caixa, criam meios alternativos de atrair compradores sem reduzir o preço anunciado, como o oferecimento de descontos e promoções milagrosas.

    Mas essas técnicas de marketing não conseguem manter a demanda aquecida por muito tempo e não tarda para que o volume de transações comece a cair, dando os primeiros anúncios de colapso especulativo.

    Dados do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo indicam forte redução desse volume. O relatório mais recente, de setembro, aponta recuo de 32,27%.

    Apesar disso, houve aumento de preços, o que confirma a vontade de especuladores e imobiliárias de manter os preços anunciados sempre em alta a despeito da queda da demanda.

    Sabe-se que a desaceleração ainda não é acentuada, mas os primeiros indícios já estão se fixando. Resta aguardar que os preços retornem a um nível mais negociável e coerente, compatível com o novo cenário da demanda.

    SAMY DANA é Ph.D em Business, professor da FGV e coordenador do núcleo de cultura e criatividade GV Cult.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse artigo não tem nada de técnico. Só está reclamando de preço elevado. Isso os bolhotas fazem todo dia.

      Excluir
    2. Ah, e fora que ele pega dado do Creci para falar que caiu a venda. Porque não pegou do SECOVI, que mostra dados de imóveis novos, e não só de usados...
      Ou seja, artigo para jogar para a torcida. Mas quando eu tiver tempo, irei demolí-lo.

      Excluir
    3. Que tal um debate ao vivo entre você e ele?

      Excluir
    4. No site onde o autor Samy Dana publicou o artigo "Análise: Queda das transações em SP reflete o exagero no preço cobrado por imóvel", existe um espaço para comentários:

      http://comentarios.folha.com.br/comentarios?comment=5865621&skin=folhaonline

      Será interessante ver um debate entre você e ele.

      Excluir
    5. Não tenho nada para debater com o Samy Dana, afinal ele já reconheceu que os imóveis vão se valorizar, então não há divergências entre nós.

      Excluir
    6. Muito cuidado neste ponto. A senhora tem um blog de acesso público onde agora começa a usar como espaço para dizer inverdades sobre um economista de visibilidade pública. A senhore pode ser processada.

      No artigo apontado pelo anônimo de 11:36 o Samy Dana deixa bem claro que pensa EXATAMENTE O OPOSTO do que a senhore afirma.

      Na artigo anterior, ele apontou um "possível efeito pontual esperado" da mudança imposta pelo Governo. Isso está muito distante da orientação de suas ideias, dona Kássia.

      Excluir
    7. Samy comentou em 08/12/12 at 10:22 Responder
      Igor, bom dia
      Obrigado pelo comentário
      Obviamente eu não mudei de opinião sobre a bolha, escrevo há muito tempo sobre isso.
      Meu comentário sobre o tema do FGTS nessa reportagem foi “No entanto, o setor imobiliário precisa não apenas de juros mais baratos, mas de preços mais razoáveis”. Veja
      Veja a fonte: http://www.infomoney.com.br/minhas-financas/imoveis/noticia/2630405/especialistas-divergem-sobre-valorizacao-imoveis-com-possiveis-mudancas-fgts
      Infelizmente , com frequencia, vemos pessoas pegando isoladas para criar polêmicas
      Abs
      S

      Excluir
    8. Muito cuidado neste ponto. A senhora tem um blog de acesso público onde agora começa a usar como espaço para dizer inverdades sobre um economista de visibilidade pública. A senhore pode ser processada.

      No artigo apontado pelo anônimo de 11:36 o Samy Dana deixa bem claro que pensa EXATAMENTE O OPOSTO do que a senhore afirma.

      Na artigo anterior, ele apontou um "possível efeito pontual esperado" da mudança imposta pelo Governo. Isso está muito distante da orientação de suas ideias, dona Kássia.


      Primeiro: ai que meda! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Segundo: eu não distorci nada. Apenas relatei o que ele falou: que os imóveis se valorizarão com a mudança no FGTS.

      Reclamem com ele, e não comigo. Sorry, bolhotas.

      Excluir
    9. Você falou que o Samy mudou de idéia a respeito da bolha. Nâo fale pelos outros.

      Excluir
    10. O "Samy" é? Que bonitinho! Vocês tratam ele pelo primeiro nome....
      Os bolhotas se acham íntimos do Samy Dana...kkkkkk

      Excluir
    11. Está com inveja?

      Se quiser inventamos algum apelido para você!





      Excluir
  12. Que tolice! Você acha que Samy Dana tem cacife para discutir com a Kássia?! Não precisa de debate, basta olhar como ela mostra a verdade dos fatos enquanto ele fica apenas com estas teorias da conspiração sobre uma "bolha assassina".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. verdade dos fatos bem tendenciosa esta.

      Excluir
  13. não devemos nos esquecer que deve haver uma pressão enorme em cima do Samy Dana (ou alguém acha que o mercado imobiliário iria deixar o professor profetizar a bolha sem reagir?).. de qualquer forma, falar em equilíbrio já é uma "tragédia" para os investidores, que precisam de uma curva ascendente de preços para ter lucro.. o governo aumentou o limite do FGTS para diminuir o impacto que o setor causa no PIB, já que as construtoras pisaram nos freios dos lançamentos (em SP, a queda em outubro foi de 43%).. é um remedinho temporário, não vai corrigir a questão crônica, óbvia, que é o fato das pessoas não terem dinheiro para comprar imóveis nos valores atuais.. simples assim.. tenho alguma experiência de mercado e prevejo o esvaziamento da bolha das salinhas em 2013 e dos residenciais em 2014.. eu não falei estouro porque não acredito em estouro no Brasil (no Brasil a bolha murcha)..

    ResponderExcluir
  14. não devemos nos esquecer que deve haver uma pressão enorme em cima do Samy Dana (ou alguém acha que o mercado imobiliário iria deixar o professor profetizar a bolha sem reagir?).. de qualquer forma, falar em equilíbrio já é uma "tragédia" para os investidores, que precisam de uma curva ascendente de preços para ter lucro.. o governo aumentou o limite do FGTS para diminuir o impacto que o setor causa no PIB, já que as construtoras pisaram nos freios dos lançamentos (em SP, a queda em outubro foi de 43%).. é um remedinho temporário, não vai corrigir a questão crônica, óbvia, que é o fato das pessoas não terem dinheiro para comprar imóveis nos valores atuais.. simples assim.. tenho alguma experiência de mercado e prevejo o esvaziamento da bolha das salinhas em 2013 e dos residenciais em 2014.. eu não falei estouro porque não acredito em estouro no Brasil (no Brasil a bolha murcha)..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem sei se o governo vai aumentar mesmo o limite. Até agora não aumentou. É só especulação.

      Excluir
    2. Exato!

      Se aumentar, isso vai fazer os preços subirem muito mais. Se não aumentar, é sinal de q o mercado imobiliário continua operando a todo vapor, e não precisa desse tipo de incentivo.

      Excluir
  15. Vai depender da economia, se o Brasil voltar a ter um crescimento sólido os imóveis vão subir, se uma nova crise acontecer (que já está se desenhando nos EUA) acontecer, os imóveis no Brasil vão cair mais que 40%. Já vejo várias casas que estão há mais de 3 anos sem vender , com m2 3x de menor que os preços praticados pelas imobiliárias lançando apartamentos. A única coisa que acho é que não há uma bolha nos moldes americanos, e que em bairros bons não haverá desvalorização. Vejam o vídeo Peter Schiff was right 2006 no you tube, e aprendam como os analistas econômicos são uns tremendos idiotas.

    ResponderExcluir
  16. Senhores defensores da bolha imobiliaria. Quando ocorreu a bolha imobiliaria nos EUA , o setor correspondia a 70% do PIB americano. No brasil o setor nao corresponde a 10%. Quem diz que os preços continuaram subindo especulam porque querem vender rapido, quem diz que irao despencar especulam, mas por qual motivo?o que querem os "bolhistas"? A verdade é que o preço dos imoveis volatarao a normalidade, crescendo em niveis aceitaveis. Repito a pergunta: o que querem os bohistas? o que ganham? sao grupos de investidore que querem que as pessoas se desesperem e vendam seus imoveis a qualquer preço? sei nao....

    ResponderExcluir

Observação: comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões) ou conteúdo ofensivo, racista, homofóbico ou de teor neonazista ou fascista (e outras aberrações do tipo) serão apagados sem prévio aviso.