domingo, 24 de março de 2013

Deu no NYT: investidores americanos apostam no mercado imobiliario brasileiro

Nos últimos anos tem crescido em ritmo furioso a quantidade de sul-americanos que compram imóveis em Miami e Nova York, o que ativou o mercado de imobiliárias de alto pradrão nessas cidades. Mas de volta para casa, seus próprios mercados imobiliários começaram a atrair investimentos de grandes empresas imobiliárias norte-americanas.
Página colunista »


Construtoras como a "Related Group of Flórida", em parceria com empresas de Nova York, J. Donald Trump, bem como investidores imobiliários, como o bilionário Sam Zell, estão construindo habitações e espaços comerciais no Brasil, Uruguai e Colômbia.


Por décadas, esses países não eram vistos como apostas muito seguras por incorporadores estrangeiros. Agora, o Brasil, em especial, tornou-se objeto de muita atenção. Dê uma olhada nos números e você rapidamente entender o porquê.

O preço médio de um apartamento de quatro quartos em Ipanema, um dos bairros chiques do Rio de Janeiro, aumentou quase seis vezes entre 2008-2012, atingindo um valor superior a US $ 2,5 milhões. Esse aumento foi impulsionado pela descoberta de reservas de petróleo na costa do Estado e pelo anúncio de que o Rio sediaria a Olimpíada de 2016.

Mesmo centro do Rio, apartamentos de um quarto tiveram um aumento de três vezes no preço de venda nesses anos. Em São Paulo, a maior cidade do Brasil, os preços médios residenciais dobraram no período, para US $ 3.606 dólares por metro quadrado.

A construção de edifícios residenciais, especialmente em São Paulo, em 2011, parecia não terminar alguns anos atrás. No bairro nobre do Itaim Bibi estava-se literalmente cercado pela construção de edifícios de alto padrão, com os trabalhadores operando aos sábados e domingos, às vezes.

Nos últimos anos, os brasileiros endinheirados pensavam em como colocar seu dinheiro fora do país. Com a renda em alta e um dos mais longos períodos sustentados de estabilidade econômica na história do país têm dado a muitos brasileiros a confiança para investir em casa também.

"Alguém do interior do Brasil, que no passado teria comprado uma casa em Paris ou Nova York, agora irá comprá-lo no Rio", disse José Conde Caldas, presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas Imobiliárias no Rio de Janeiro , que prevê um forte crescimento do mercado até a Olimpíada Rio 2016. Em seus 41 anos no mercado imobiliário, ele acrescentou, "este é o melhor momento de todos os tempos."

O mercado imobiliário aquecido do Rio "tem muito mais a ver com a demografia do que eventos como Copa do Mundo e Jogos Olímpicos", disse Pedro Seixas de Corrêa, professor da Fundação Getúlio Vargas no Rio de Janeiro, que dá palestras sobre gestão imobiliária. "Isso é decorrente do aumento da renda do país."

Fortunas foram feitas no recente boom econômico. São Paulo e Rio agora estão ranqueadas nas posições 9 e 10 como cidades com indivíduos com renda líquida de pelo menos US $ 30 milhões, de acordo com a Knight Frank, uma empresa imobiliária, em Londres.

Mas são esses momentos estão terminando? Ultimamente, as vendas de imóveis residenciais novos estão caindo. Tanto no Rio e em São Paulo o número de novas unidades de construção atingiu o pico em 2010. Vendas residenciais em São Paulo cairam quase 5 por cento no ano passado.

Os custos de construção estão subindo, em grande parte, com a falta de mão de obra qualificada - que está causando atrasos na construção. No Rio, os custos subiram 39 por cento por metro quadrado nos últimos cinco anos.

"Este é um problema sério", disse Caldas, acrescentando que as construtoras estavam recrutando trabalhadores de outros estados brasileiros. Entretanto, com o fim das obras de atualização do Maracanã deve liberar cerca de 6.000 trabalhadores.

A vontade política de reduzir a burocracia e manter o boom da construção vai permancer, pelo menos no Rio, diz Roberto Kauffmann, presidente do Sindicato da Construção Civil do Rio de Janeiro, em uma recente entrevista em Roma, onde ele falou a investidores italianos sobre oportunidades no Rio de Janeiro. "Nós criamos condições para ser capaz de superar a burocracia", disse ele.

Em qualquer caso, os desafios não dissuadiram construtores como Jorge Pérez, presidente do Related Group, com sede em Miami, que está fazendo uma aposta considerável na demanda do Brasil por imóveis de luxo próxima década. Sua empresa estabeleceu uma subsidiária brasileira há um ano e está a desenvolver seus primeiros projetos de uso misto em São Paulo, com um olho no mercado do Rio também.

"São Paulo teve um período de excesso de construção e se acalmou nos últimos anos", disse Pérez. Mas "nós sentimos que o Brasil na próxima década terá uma taxa de crescimento muito maior do que os Estados Unidos, e, definitivamente, do que a Europa . Haverá solavancos na estrada, como todos os mercados de desenvolvimento "

Related Group está investindo US $ 100 milhões em um complexo multitower de uso misto no bairro nobre do Morumbi. Ela terá condomínios, escritórios, espaços comerciais e um hotel. A primeira fase, prevista para começar a construção no próximo ano, terá cinco torres com 672 unidades. O segundo será ainda maior, disse ele. Pérez descreveu os apartamentos como "upper-middle-class" condomínios em edifícios com piscinas, jardins, campos de ténis e de "hectares de espaço verde."

O projeto é uma parceria com a construtora brasileira Bueno Netto, que também está investindo US $ 100 milhões, Pérez disse. O projeto aguarda a aprovação de autoridades brasileiras, mas o Sr. Pérez espera iniciar a comercialização nos próximos 90 dias.

O Related Group também está trabalhando em dois projetos de luxo em São Paulo, e está vasculhando oportunidades na Zona Portuária do Rio, área que passa por processo de revitalização.

Entre os envolvidos com a Related Group está Clifford Sobel, ex-embaixador norte-americano, que escreveu em um comunicado diplomático em 2007, divulgado pelo Wikileaks e relatado por uma publicação de vigilância brasileira, que "a lua de mel está apenas começando" para os investidores americanos no mercado do Brasil imobiliário . Mr. Sobel chamou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de "o melhor presidente para o setor imobiliário que o Brasil já teve." Mr. Sobel escreveu a mensagem entusiasmado depois de uma reunião com o presidente da Cyrela, uma das maiores incorporadoras residenciais em o país.

No Rio, a Organização Trump está licenciando o nome de Trump para um complexo de escritórios de muitos bilhões de dólares na área da Zona Portuária, que se destina a ser um novo centro chique urbano, com dezenas de milhares de moradores. O projeto, que Trump está trabalhando com a empresa búlgara MRP Internacional, vai abranger cinco torres com um total de 418.063 m2 de espaço comercial, disse Donald Trump Jr., que está supervisionando o projeto. "É o maior espaço de desenvolvimento comericial em todos os países do BRIC", disse ele, usando a sigla para definir Brasil, Rússia, Índia e China.

Embora os construtores estão ainda à espera de algumas aprovações governamentais, o Sr. Trump espera que pelo menos uma das torres possa ser concluído até as Olimpíadas, em três anos.

Outros americanos que fazem investimentos imobiliários na América Latina incluem Zell. Através Equity International, que ele fundou com Gary Garrabrant, em 1999, o Sr. Zell está investindo em imóveis relacionados com empresas de todo o mundo, em países como Brasil e Colômbia.

Equity International tem um investimento em uma construtora residencial com sede na cidade brasileira de Curitiba. E na Colômbia, um país atormentado nas últimas décadas por ataques de rebeldes, que deixou muitos investidores estrangeiros nervosos, a Equity International tem um investimento de US $ 75 milhões em propriedades em Bogotá Terranum Corporativa.


Fonte: The New York Times

37 comentários:

  1. Lógico! Precisam anunciar que o mercado tá bombando pra conseguir desovar os encalhes.

    ResponderExcluir
  2. Procurei no indexador de notícias sobre o Brasil do NYT, e não encontrei a fonte da reportagem em questão:

    http://topics.nytimes.com/top/news/international/countriesandterritories/brazil/index.html

    Poderia nos fornecer a fonte?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tem o link para a matéria original no final do post.

      Excluir
  3. Nos EUA foi exatamente assim tb ....

    ResponderExcluir
  4. O Sam Zell já pulou fora do mercado imobiliário brasileiro em 2011.

    ResponderExcluir
  5. Ele nunca pulou fora. Ele vendeu a participação dele na GAFISA, mas continua operando por meio do Equity em uma construtora do Paraná.

    ResponderExcluir
  6. O autor da matéria morou na Banânia de 2007 até começo do ano passado. Acompanhou de perto toda a formação da bolha imobiliária bananese e certamente acreditou que existia algum fundamento para isso. Na minha opinião, é somente mais um iludido, assim como muitos bananenses.

    "http://topics.nytimes.com/top/reference/timestopics/people/b/alexei_barrionuevo/index.html"

    Alexei Barrionuevo joined the real estate desk in February 2012 to write the Big Deal column about high-end real estate. Previously, Mr. Barrionuevo had been chief of the São Paulo bureau of The New York Times from June 2010. Before that, he had been Rio de Janeiro bureau chief from August 2007.

    ResponderExcluir
  7. Já descobri que a matéria foi escrita por um correspondente que morou em São Paulo e Rio de Janeiro pelo menos desde 2007 até 2012. O sujeito acompanhou a formação da bolha imobiliária e certamente acreditou que era uma valorização fundamentada.

    http://topics.nytimes.com/top/reference/timestopics/people/b/alexei_barrionuevo/index.html

    Alexei Barrionuevo joined the real estate desk in February 2012 to write the Big Deal column about high-end real estate. Previously, Mr. Barrionuevo had been chief of the São Paulo bureau of The New York Times from June 2010. Before that, he had been Rio de Janeiro bureau chief from August 2007.

    A matéria está no website de uma construtora Americana, que tem interesse no assunto.

    http://relatedgroup.com/2013/03/staking-a-claim-in-south-america/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A única coisa que os bolhotas sabem fazer com notícias e artigos que sustentam que não há bolha é tentar dizer que quem escreveu o artigo tem interesse no mercado, ou que é de construtora e etc.
      Isso é ridículo. Se as construtoras tivesse o poder de deixar os preços onde elas quisessem, porque esperariam 2008 para fazer isso? Estariam fazendo desde que o Brasil foi descoberto.
      Corretores igualmente não tem poder de alterar preços, então é mais ridículo ainda o ódio dos bolhitas para com esses profissionais.
      No fundo essas tentativas de achar que existe uma gigantesca conspiração entre construtoras, governo, corretores e sindicatos da construção para sustentar a alta de preços é só sintoma de infantilidade de quem ainda não cresceu e não aprendeu a reconhecer seus erros, motivo pelo qual estão procurando alguém em quem debitar seu fracasso.
      O mané ficou com o dinheiro (se é que tem) na renda fixa desde 2007 e em 2011 descobriu que não dava mais para comprar o apto que ele queria, pois subiu. O erro é do bolhota, mas ele, mimado que é, tenta arrumar um culpado: e o espantalho "bolha imobiliária" cabe perfeitamente, pois permite a ele achar que ele é o sujeito mais "ixperto" do mundo, morando de alguel e torcendo em sites e blogs por aí para que os preços caiam...
      Realmente é de uma ixperteza ímpar......kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    2. Tia, cai na Real. Ontem saiu o resultado da PDG, que teve prejuízo líquido de R$ 2,1 BILHÕES em 2012.

      GAME OVER! INSERT MORE COINS TO CONTINUE ;)

      Excluir
    3. Agora, depois desse teatrinho de criancinha, comente a informação.

      Excluir
    4. Aqui é diferente, né? kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    5. PDG: prejuízo líquido de R$ 2,1 bi em 2012
      Brookfield: prejuízo líquido de R$ 388 milhões em 2012
      Rossi: prejuízo líquido de R$ 206 milhões em 2012
      Tecnisa: prejuízo líquido de R$ 171 milhões em 2012
      Gafisa prejuízo líquido de R$ 124,5 milhões em 2012

      Mas agora o mercado irá retomar o crescimento! Não se esqueçam que está prevista um aumento de 10% até o final de junho!

      http://www.politicaeconomia.com/2012/10/imoveis-vao-subir-no-minimo-10-nos.html

      Excluir
  8. Então são burros mesmo. Querendo investir onde empresas do ramo estão sangrando..

    ResponderExcluir
  9. PDG tem prejuízo líquido de R$ 2,1 bi em 2012 e de R$ 1,7 bi no 4tri

    http://www.valor.com.br/empresas/3062554/pdg-tem-prejuizo-liquido-de-r-21-bi-em-2012-e-de-r-17-bi-no-4tri

    ResponderExcluir
  10. Tia, já comprou aquele outro bolhudinho no Noroeste? Não demora muito não que vai subir ainda mais.

    ResponderExcluir
  11. Kássia,

    Sabe o que eu mais gosto no seu site: TRANSPARÊNCIA. Vou explicar por que: assim como os bolhotas só colocam notícias alarmantes (sendo que 80% delas são blogs mantidos pelos próprios bolhotas), aqui vemos notícias boas do mercado (muitas exageradas, concordo) mas de MEIOS DE COMUNICAÇÃO SÉRIOS, E MUITAS VEZES ISENTOS, como é o caso dessa matéria do NYT. Qual interesse do jornal no mercado imobiliário brasileiro. Os bolhotas não entendem isso. as vezes dou uma lida no bolhaimobiliaria.com, mas o site caiu muito de padrão. Hoje é uma seita. Não se pode citar uma notícia positiva da economia nacional que os bolhotas começam com xingamentos... Tá triste aquilo lá. kkkkkkk Toda vez que entro não tem nem 20 usuários on line.

    Minha sugestão pra vc são duas: por favor faça mais filmes engraçados. Rolava de rir com eles. Outra sugestão (essa eu já faço e choro de rir em casa) é pegar o que os "analistas" bolhotas apregoavam em 2010. Se seguíssemos a previsão daquilo lá, esse ano já teríamos imóveis em Ipanema por R$ 100 mil. Em contrapartida, a previsão de grande parte dos analistas de estabilização, queda de lançamentos, e novo patamar de preços está acontecendo. Só não vê quem não quer.

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois toda vez que acesso o site tem pelo menos 30 online. De repente você está acessando às 3h da amnhã. Liga não, é compreensível a insônia de quem sabe que vai tomar um prejuízo descomunal muito em breve rssss

      Excluir
    2. Voce não entendeu. Uma empresa Americana, citada logo acima, está fazendo um simples balão de ensaio. Para isso PAGOU um jornalista recém contratado do NYT que morava até recentemente na Banânia. Residências de 100 mil Reais já existem em muitos lugares na Florida, mas tem gente que prefere bala perdida e bueiro explodindo, pois é mais emocionante. fazer o que? gosto é gosto ;)

      Excluir
    3. E desde quando imóveis na Flórida ou nos EUA são termos de comparação com os do Rio ou SP ou Brasília?
      Primeiro vc tem que entender que existem zilhões de pessoas que não querem morar nos EUA. Eu mesma sou uma delas, que inclusive já morei nos EUA e prefiro morar no Brasil, mesmo com os petralhas.
      Segundo: essas casas baratas na Flórida ficam 300 km distantes de Miami e Orlando, e ficam no meio do nada, onde só vivem aposentados. Então quem vai querer se enfiar em um buraco desses feito para idosos americanos? Se toca e larga mão se ser mané...

      Excluir
    4. Ah, e outra coisa. O NYT não fez balão de ensaio nenhum. ELe relatou fatos, como, por exemplo, o fato de a Related Group estar construindo um mega empreendimento em SP, em conjunto com uma construtora brasileira. Isso não é balão de ensaio, é um fato. Mas os bolhotas não gostam de fatos...

      Excluir
    5. O blog dos bolhotas só posta fatos.

      Excluir
    6. Kassia, compare então imóveis nos BRICs e veja que nossos preços são absurdamente altos.

      Excluir
    7. Tia,

      Para convença-la de que a notícia do NYT é um simples balão-de-ensaio, tente encontrar detalhes do empreendimento que será realizado no Brasil. Os detalhes não existem e nunca existirão ;)

      Excluir
    8. Detalhes dos empreendimentos da Related no Brasil:

      http://www.valor.com.br/empresas/3003324/related-brasil-define-os-primeiros-projetos-no-pais

      http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRSPE81R00O20120228

      Excluir
    9. Tia,

      Ao contrário da Banânia, voce não precisa morar numa cidade grande para ter os recursos como hospitais, escolas, shopping centers, etc. Cerca de metade dos Americanos moram no que é conhecido como suburbio, onde a qualidade de vida é muito superior à qualidade de vida de qualquer grande cidade do mundo, inclusive grandes cidades dos EUA. Os preços das casa na FL também podem ser encontrados em qualquer lugar nos EUA, basta consultar o website "www.zillow.com". Nos EUA não existe a palhaçada, muito comum na Banânia, onde um imóvel é colocado à venda sem o preço. É tudo transparente e, geralmente, voce consegue saber a história de todas as vendas de determinado imóvel (data, valor, comprador). Esse tipo de organização está simplesmente além do alcançe da Banânia.

      Excluir
    10. Bolhotas, vocês lendo um blog que falsifica notícias sobre o mercado imobiliário são "ixpertos". Os investidores americanos do mercado imobiliário são todos bobinhos e inocentes.....não sabem nada de investimento...tadinhos. Vcs bolhotas, que estão esperando bolha estourar desde 2010 (período no qual os preços subiram mais de 60%) é que são espertos...kkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    11. Ao contrário da Banânia, voce não precisa morar numa cidade grande para ter os recursos como hospitais, escolas, shopping centers, etc. Cerca de metade dos Americanos moram no que é conhecido como suburbio, onde a qualidade de vida é muito superior à qualidade de vida de qualquer grande cidade do mundo, inclusive grandes cidades dos EUA. Os preços das casa na FL também podem ser encontrados em qualquer lugar nos EUA, basta consultar o website "www.zillow.com". Nos EUA não existe a palhaçada, muito comum na Banânia, onde um imóvel é colocado à venda sem o preço. É tudo transparente e, geralmente, voce consegue saber a história de todas as vendas de determinado imóvel (data, valor, comprador). Esse tipo de organização está simplesmente além do alcançe da Banânia.

      Sim..subúrbio agora fica 250 km distante do trabalho...kkkk

      Excluir
    12. Voce acha mesmo que comprar UM terreno é grande coisa? Isso sugere que a notícia do NYT foi "encomendada".

      A incorporadora fechou a compra de terreno nas proximidades da Marginal Pinheiros, entre as pontes do Morumbi e João Dias, em São Paulo. As negociações de um terreno "a meia quadra" da avenida Faria Lima, na zona Sul da capital paulista, também estão em fase avançada, segundo o presidente-executivo da Related Brasil, Daniel Citron.

      Excluir
    13. Já informei que METADE da população dos EUA mora no que é conhecido como subúrbio. Voce acha mesmo que eles estão distantes 250 km dos respectivos empregos? Essa idéia de que quanto maior a cidade, melhor, é uma idéia típica de bananense.

      Excluir
    14. E eu kiko? Não me interessa saber onde gringo mora nos eua. nao sei pq vc vem aqui falar das supostas maravilhas de morar nos eua. ninguem lhe perguntou,- nem esta interessada em morar nos eua, entaoa querido para de pagar esse mico....

      Excluir
  12. Kassia, como você é infantil.
    O que é interessante nesse blog são os comentários dos outros, porque os seus, além de serem extremamente preconceituosos, são extremamente mal argumentados.

    ResponderExcluir
  13. Temos os seguintes Imóveis para vendas em Recife e grande Recife, Interior e litoral do estado de Pernambuco como segue abaixo:

    Terrenos a venda para construção de: Hotéis, Pousadas, Shopping, Industria, Galpões, Condomínios, Prédios, Chalés, Casas, Galerias, Hospital, Clinicas, Usinas de Açúcar etc.
    Temos para vendas: Hotéis, Pousadas, Galpões, Apartamentos, Coberturas, Chalés, Casas, Galerias, Clinicas, Mansão, Usinas, Ponto comercial etc.

    Obs:

    1. Temos um ótimo terreno no litoral do estado do Rio Grande do Norte totalmente legalizado e pronto para a construção de um Risort, IPTU em dia e todas as taxas, o futuro comprador só terá que se preocupar em começar a construção.
    2. Temos uma ótima Ilha para venda no litoral de Pernambuco.
    3. Um ótimo porto para venda.
    4. Um terreno em uma ótima localização em Recife com 50.000m² no valor de. 120 milhões

    Atenciosamente,
    Leonaldo Oliveira
    81.88760612 - oi
    81.96879746 – tim

    ResponderExcluir
  14. Boa tarde!

    o projeto do Panamby ( Related ) existe de fato e basta passar pela marginal pinheiros logo após a ponte do Morumbi (sentido interlagos) para notar um mega plantão já em contrução. Adianto alguns detalhes; Shopping, aptos com várias tipologias, hotel, salas comerciais, lajes corporativas e muito mais.

    eu vou trabalhar este projeto, respeito os comentários mas se vai haver bolha ou que morar lá fora é isso ou aquilo, não me interessa. O que eu quero mesmo é vender muito.

    caso alguém tenha interesse de compra basta mandar email para o endereço abaixo; adelsonfrancis@hotmail.com

    abs

    ResponderExcluir
  15. Estou de acordo....morar num local estrategico..moderno e único é de interesse de muitos...estarei lá fazendo parte deste sucesso...SEJA BEM VINDO RELATED..

    Sou o Freire - Consultor imobiliario estou ancioso aguardando o R.I. deste moderno, surpreendente e inovador projeto..

    ResponderExcluir

Observação: comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões) ou conteúdo ofensivo, racista, homofóbico ou de teor neonazista ou fascista (e outras aberrações do tipo) serão apagados sem prévio aviso.