domingo, 5 de maio de 2013

Setor Noroeste: variação do metro quadrado entre 2009 e 2013

"A inveja é o mais dissimulado dos sentimentos humanos, não só por ser o mais desprezível mas porque se compõe, em essência, de um conflito insolúvel entre a aversão a si mesmo e o anseio de autovalorização", estabeleceu Olavo de Carvalho em "A Dialética da Inveja". O aspecto interessante é que as discussões em torno da suposta Bolha Imobiliária brasileira, e, em especial, do Setor Noroeste em Brasília, fornecem exemplos eloquentes que corroboram essa afirmativa.


O texto de Olavo de Carvalho ainda vai além, e mostra que "o homem torna-se invejoso quando desiste intimamente dos bens que cobiçava, por acreditar, em segredo, que não os merece. O que lhe dói não é a falta dos bens, mas do mérito. Daí sua compulsão de depreciar esses bens, de destruí-los ou de substituí-los por simulacros miseráveis, fingindo julgá-los mais valiosos que os originais. É precisamente nas dissimulações que a inveja se revela da maneira mais clara."


Nesse sentido, existe um grupo de pessoas que, por meio da Internet, vêm à público sistematicamente tentando depreciar o Setor Noroeste de Brasília, dizendo que o "bairro é ruim", ou que "a infra-estrutura não está pronta", e, agora com mais frequência, tentam aplacar um pouco de seu desprezo por sí próprio proferindo mentiras nas quais afirmam que as pessoas que compraram os primeiros apartamentos no Setor Noroeste pagaram R$ 12.500 reais o metro quadrado, e que, agora, vale R$ 8.500, portanto, tiveram prejuízo.

Com isso, o invejoso sente-se menos desprezível, pois, se ele não teve competência para adquirir, a ideia do prejuízo alheio permite que ele se considere mais "esperto" do que os que compraram seu objeto de desejo (um imóvel no Noroeste), pois, afinal, estes não teriam feito um bom negócio. Observe os comentários aqui mesmo no Blog:

Usuário Observador, em 05/05/2013, às 08h46m:

"Aonde que se valoriza mais que a inflação. Você e muitas outras outras pessoas que fizeram ótimos negócios compraram Noroeste em 2009 por 12.500/m² e hoje vale 8500. "

Usuário Anônimo, em 05/05/2013, às 20h24m:

"Quem comprou em 2009 pagou 12.5k o m², tendo até a piada do big brother. Hoje "anuncia" por 8.5 o m² e nem assim vende."

Sendo assim, vamos recorrer ao excelentíssimo senhor, o fato, para mostrar como esse tipo de gente não faz outra coisa a não ser reproduzir mentiras.

Reserva Noroeste


Mito: Quem comprou os primeiros empreendimentos do Noroeste pagou R$ 12.500 reais.

O Correio Brasiliense, em 26/08/2009 publicou a reportagem "Primeiro lançamento imobiliário do Noroeste vende 92% dos apartamentos em apenas três dias", onde se afirma que o edifício "Reserva Noroeste", localizado no Bloco A da SQNW 311, teve seu imóvel mais barato vendido a R$ 942 mil e o mais caro — uma cobertura privativa — por R$ 2,5 milhões.

Como o Reserva Noroeste tem apartamentos de 127 m2 a 318 m2, então o preço de metro quadrado mais barato vendido no empreendimento foi de R$ 942 mil / 127 m2, o que resulta em um valor de metro quadrado de R$ 7.417,32 reais.

Mito: Quem comprou no Noroeste teve prejuízo.

Como o Reserva Noroeste já está pronto e foi entregue, hoje é possível saber se quem comprou uma unidade na planta em 2009 teve prejuízo ou lucro. Neste link temos a relação de unidades à venda neste prédio no Portal WIMÓVEIS, de onde podemos verificar que a unidade mais barata à venda, hoje, custa  R$ 1.143.000 reais, o que representa um valor de metro quadrado de R$ 9.055 reais.

Portanto, esse empreendimento teve uma valorização de 22% em cerca de 40 meses. Ocorre que a comercialização dos imóveis na planta ocorre com um montante pago até as chaves em torno de 25%. Dessa forma, quem comprou usufruiu de uma valorização de 22% aplicada sobre um ativo de R$ 942 mil reais, tendo aplicado  25% disso, ou seja, cerca de R$ 235 mil reais. Considerando uma correção do INCC em torno de 15%, temos um valor corrigido de R$ 270 mil reais.

Como os ágios nesse imóvel mais baratos estão em torno de R$ 380 mil reais, o lucro do investidor neste caso é de R$ 380 mil - R$ 270 mil (valor pago), o que resulta em um lucro de  R$ 110 mil reais, evidenciando que, até mesmo na situação atual, de preços no Setor Noroeste bastante pressionados em função da elevada oferta resultante da entrega de muitas unidades simultaneamente, ainda assim quem comprou em 2009 teve vantagens financeiras.

É importante observar que esse lucro só tende a subir daqui para frente, visto que o Setor Noroeste deve passar por um processo mais acelerado de implantação da infraestrutura - o que trará maior valorização ao bairro.

Conclusão

Quem comprou no Setor Noroeste, em 2009, especificamente no empreendimento Reserva Noroeste, pagou preços de até R$ 7417 reais o metro quadrado, sendo que tais imoveis, hoje, são avaliados em valores superiores a R$ 9.000 reais o metro quadrado, evidenciando que quem acreditou no Setor Noroeste, mesmo no momento atual de preços pressionados, fez excelente negócio.  

158 comentários:

  1. Qual foi a inflação de 2009 a 2013? será que alguém seria estúpido a ponto de vender abaixo do valor corrigido da inflação? Só se for um néscio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, cara. Estúpidos são os que estão acreditando na mentira da bolha imobiliária desde 2009. É um estado permanente de estupidez...kkkkkk

      Excluir
    2. Dona do blog, você afirmou que "Portanto, esse empreendimento teve uma valorização de 22% em cerca de 40 meses".

      No entanto, a senhora não considerou o reajuste do INCC nestes quarenta meses, pois se para comprar ele "valorizou", quem já comprou também teve seu saldo devedor "valorizado", ou melhor, atualizado, em um bom montante. Vejamos:

      http://www.portalbrasil.net/incc_di.htm

      Depois refaça os cálculos retirando os reajustes do INCC no período dos quarenta meses e informe a valorização líquida.

      Mesmo assim ainda há um porém: valores anunciados não são necessariamente os comercializados. A oferta está enorme e há muita gente se desfazendo destes micos, e não há tantos compradores. E o indício disto são os novos feirões.

      Se a procura pelo Noroeste fosse tão boa assim, seria necessário criar um feirão?

      Não. Haveria sim, uma lista de espera, coisa que não existe.

      Exemplo são as insistentes ligações de corretores para milhares de pessoas e e-mails enchendo caixas de mensagens como correntes, à procura de compradores.

      Excluir
    3. Eu apliquei sim a correção do INCC, sobre o valor pago.

      Excluir
  2. Que negócio da China...valorização de 22% em 40 meses...um pouco pior que poupança...sem liquidez e com custo de INCC sobre todo o saldo devedor e agora pagando condominio...heheheheheh

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro os bolhotas expunham sua inveja quando mentiam que deu prejuízo. Agora, confrontados com os fatos, expõem sua burrice, já que suas limitadas capacidades congnitivas os impedem de perceber que esse tipo de investimento em imóveis na planta é alavancado. Isso significa dizer que a rentabilidade final do investimento é muitas vezes maior que a variação do ativo, pois há o efeito da alavancagem.
      Burrito, se vc não fosse um bolhota, e entendesse de investimento, e de alvacangem financeira, veria que a variação do valor do empreendimento foi de 22%, mas como há o efeito da alavancagem, a rentabilidade líquida final do investimento, já considerando tudo, inclusive o INCC sobre o saldo devedor, foi de 40%, visto que imóvel, na pior das hipóteses, deu R$ 110 mil de lucro para um investimento de R$ 270 mil 110/270=0,407, ou 40,7%.
      Agora, se um bolhota entendesse o que é alavancagem, ele não seria um bolhota, né? Volte para o site de notícias falsificadas e de profecias, seu mané! kkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    2. Mané? Agora deu para usar de baixaria?

      Me respeita.

      Você será desmascarada em breve.

      Excluir
    3. kkkkkkkk. Desde quando bolhota merece respeito? Vocês são piada pronta...Rá..Rá..Rá..

      Excluir
    4. Como você gosta da palavra inveja, é impressionante, não pensa duas vezes antes de chamar a todos de invejosos. Veja bem Kássia, pense só um pouco, existem bilhões de pessoas no mundo, milhões de pessoas bem sucedidas, algumas genias. Sinceramente, você acha mesmo que se fossemos ter inveja de alguém seria de uma pessoa dona de imóvel no setor noroeste de Brasília, que, me desculpe, eu não faço a menor ideia do que é e nem tenho a menor remota vontade de saber.

      Eu até entendo que da forma como algumas coisas são vendidas fica incutido em certas pessoas essa mentalidade do "eu tenho e você não tem", mas isso não vai me fazer comprar um imóvel, não vai me fazer acreditar que o valor cobrado atualmente é justo e muito menos ter inveja de quem comprou um imóvel nas atuais condições.

      Você pode continuar nos chamando de fracassado, pobres, mentirosos e os demais amontoados de ofensas que você tem proferido, mas eu quero que você entenda uma coisa bem, no final do dia, quando eu boto a cabeça no travesseiro, eu sei que eu não tenho uma dívida milionária pra ser paga em 35 anos e para dizer a verdade eu não estou a fim de perder o sono para morar no setor noroeste de Brasília.

      Excluir
    5. É que você não entendeu que essa "dívida milionária para ser paga em 35 anos" é o melhor negócio do mundo atualmente. Eu já falei e repetirei enquanto eu achar válido: hoje, só não pega financiamento imóbiliário, quem não pode ou é muito limitado.
      Em qual outro tipo de lugar você tem a oportunidade de pegar uma quantia considerável de capital, para pagar em 35 anos, com juros pré-fixados em 7.9% ao ano, com correção montária pela TR (que é 0% atualmente)?
      Esse é o bonde do momento, e não vai durar muito. Quem pegou, vai se dar bem, e quem não pegou vai chorar, afinal, juros reais de 1 ou 1.5% ao ano, só aqui no Brasil. Nem nos EUA tem financiamento imobiliário tão vantajoso assim.
      Então eu recomendo: peguem um financiamento imobiliário o quanto antes e compre um imóvel PRONTO, nem que seja para alugá-lo! Em 5 anos volte aqui e me diga se não foi o MELHOR NEGÓCIO DA SUA VIDA.
      Sabe porque vai ser? Porque a inflação vai comer o saldo devedor, e o imóvel continuará a valorizar. Em 5 ou 10 anos o saldo devedor será irrelevante, e vc terá um patrimônio a mais.
      E, como se não bastasse, aluguel é consumo, e financiamento imobiliário é INVESTIMENTO. Se você ficar pagando 35 anos aluguel, no final dos 35 vc não terá NADA! Se vc pagar um financiamento de 35 anos, no final vc terá um patrimônio que ficará para vc e sua família.
      Repito: quem não pegar financiamento imobiliário, hoje, ou não pode (pois tem o nome sujo), ou é muito limitado intelectualmente, pois as condições são as melhores possíveis.

      Excluir
    6. Você por acaso já ouviu aquela frase "não existe almoço grátis"? parece que não né, você acha mesmo que o sistema financeiro vai emprestar dinheiro a torto e direito sem receber nada em troca, que a dívida vai ficar por isso mesmo, que o governo vai pagar toda a palhaçada.

      Veja bem o que você esta fomentando aqui, atente as suas palavras, você esta sugerindo que quem comprar não vai pagar pelo que comprou. Para aqueles que acreditam nesse sonho, façam uma pequena reflexão, quando foi a ultima vez que vocês compraram algo e pagaram menos do que tinham contratado? duvido que encontremos alguém. Agora pensem em quantas vezes contrataram algo e tiveram que pagar muito mais do que esperavam?

      Essa mesma história já foi vendida nos EUA, Europa e agora esta sendo vendida nos BRICS: pegue crédito, os juros são baixos, compre uma casa, elas não desvalorizam, daqui há 5 anos a casa vale o dobro do que você emprestou, 35 anos para pagar, qual o problema? o desemprego é de 5%. Para quem não sabe o fim da história para EUA e Europa, a inadimplência cresceu de forma exponencial, o desempregou chegou a taxas nunca antes vista, a casa não vale metade do que você emprestou e o banco já tomou ela, mesmo assim você continua devendo boa parte do que pegou emprestado, o governo esta falido e ao invés de garantir a sua casa ele te demite para adotar mediadas de austeridade que iram favorecer o sistema financeiro que também está falido.

      Agora Kássia, diga para todos nós aonde no mundo essa receita funcionou?

      Será que alguém acha mesmo que esse nosso grande país, com nossos competentes políticos, empresários e etc, seremos tão diferentes dos países desenvolvidos e proporcionalmente muitos mais ricos que nós, então quer dizer que iremos dar uma lição ao capitalismo internacional e mostrar como deve ser gerido o sistema financeiro. Sinceramente, ou é muita desfaçatez ou muita ingenuidade, de qualquer forma, ambas acabam da mesma maneira, com uma dívida impagável.

      Excluir
    7. Pegar dinheiro emprestado é investimento? kkkkkkkkkkkkkkk Faz-me rir, esta afirmação seria suficiente para qualquer um com segundo grau abandonar a leitura deste lixo de blog. Como gosto de me divertir, vou continuar lendo estas sandices que você fala kkkkkkk

      Excluir
    8. Meu querido, eu não fiz nenhuma consideração se isso é bom ou ruim para o país, ou se não e sustentável no longo prazo (para o governo) - o que eu acho que não é, e esse é um dos motivos pelos quais coloco que o financiamento imobiliário nas condições atuais não vai durar muito.
      E é por isso que recomendo sem medo de errar,que quem pode, DEVE PEGAR, pois é um ótimo negócio do ponto de vista do CIDADÃO.
      Se não é bom negócio do ponto de vista do Tesouro Nacional, isso não é problema meu. Se o governo quer fazer mal negócio, problema dele. Ele está oferecendo uma excelente oportunidade, e isso é um fato.

      Agora, o que acontece é que vc analisa essa conjuntura apenas pelo lado financeiro, mas como este blog fala é Política e Economia, eu trato também de política aqui, e talvez vocês não tenham se dado conta que existe em curso uma DECISÃO POLÌTICA do Governo, seja lá por qual motivo seja, de facilitar a vida de quem não tem casa própria.

      E, inclusive, existe até motivos "técnicos" para jsutificar tal decisão (e não apenas eleitorias, como a maioria dos analistas supõe). É simples: qualquer pessoa minimamente informada sabe que o problema atual da economia brasileira é o baixo investimento. E construção civil é representa quase metade do investimento agregado, logo, faz SENTIDO econômico, SIM, fomentar a construção civil, e, portanto, subsidiar os juros do financiamento imobiliário.

      Outra coisa que precisa ser analisada é a ideologia do governo. Este governo que está aí tem como meta fazer transferência de renda das empresas para as famílias, e vem fazendo sistematicamente. Dessa forma, o processo de subsídio de juros do financiamento é também componente desse tipo de política do governo.

      Então, como o financiamento imobiliário é regido por regras legais, visto que é dinheiro carimbado, mesmo os bancos privados vão seguir essas regras, que, repito, hoje são extremamente favoráveis aos consumidores.

      Ou seja, quem não tem financiamento imobiliário, deve pegar um o mais rápido possível, pois as condições são extremamente vantajosas e não vão continuar asssim por muito tempo.

      Excluir
    9. Para aqueles que acreditam nesse sonho, façam uma pequena reflexão, quando foi a ultima vez que vocês compraram algo e pagaram menos do que tinham contratado? duvido que encontremos alguém. Agora pensem em quantas vezes contrataram algo e tiveram que pagar muito mais do que esperavam?

      O BNH e o FCVS foi exatamente isso. As pessoas pegaram financiamento, compraram seus imóveis e não pagaram por boa parte deles, pois foi o Tesouro Nacional que bancou a correção do valor corroido pela inflação.

      É mais ou menos o que está sendo gestado agora. E é por isso que é extremamente vantajoso pegar um financiamento imobiliário, com juros de 7.9% ao ano e correção 0% pela TR.

      Excluir
    10. Pegar dinheiro emprestado é investimento? kkkkkkkkkkkkkkk Faz-me rir, esta afirmação seria suficiente para qualquer um com segundo grau abandonar a leitura deste lixo de blog.

      Pergunta para qualquer empresário que pega dinheiro emprestado no BNDES à TJLP se é bom ou mau negócio. Detalhe: financiamento imobiliário hoje está com juros 2,9% ao ano acima da TJLP. Ou seja, EXCELENTE NEGÒCIO.

      Excluir
    11. Por favor você acha mesmo que o tesouro nacional terá capacidade de arcar com o atual volume de crédito, eu sei que a sua nova estratégia é vender esse sonho do novo BNH. Acontece que o BNH era um programa praticamente estatal, o que acontece hoje é muito mais amplo, é global, o investimento vem de toda parte, bem como o crédito. O BNH o governo poderia controlar o que vemos hoje é impossível.

      Contudo realmente você esta certa, boa parte do prejuízo vai ser paga pelo governo, mas não através de amortização da dívidas dos mutuários e sim através de resgates as grandes instituições financeiras.

      Na minha opinião o problema é que você enxerga as coisas sob uma óptica regional, porém o que acontece é que estamos inseridos em uma conjuntura muito mais ampla, inerente ao sistema financeiro atual, este formato de capitalismo associado ao estímulo do consumo, crédito desenfreado, emissão de moeda é o mesmo aplicado em todo mundo, em alguns locais entrou em franco esgotamento, em outros começa a dar sinais, é o nosso caso, e em alguns outros locais esta em pleno desenvolvimento.

      Sinceramente, pouco importa o aspecto político regional, a dívida será cobrado e nosso governo terá que pagar, seja através do resgate a grandes instituições financeiras ou pela compra de papéis referentes ao governo.

      Kassia, alguns iram ganhar muito nesse processo todo, mas te garanto que não serão aqueles que compraram um apartamentozinho para revender e pode ter certeza que todos nos pagaremos a conta.

      Ou seja, quem não tem financiamento imobiliário, fez muito bem e não deve pega-lo agora, as condições do financiamento são boas mas o valor do crédito é irreal. Penso que era possível comprar imóvel até 2007, e provavelmente passará um longo período até que se torne viável novamente.

      Excluir
    12. O estímulo ao financiamento imobiliário não é "consumo", é INVESTIMENTO. Não só do ponto de vista das famílias, mas também em termos agregados.
      É correta a política do governo de fomentar esse segmento, e está fazendo isso tornando o preço relativo bem mais interessante.
      Quem conta com desastre econômico no Brasil não tem noção do que fala.
      Eu sou crítica do governo, acho que falharam em induzir o crescimento via produtividade e já perceberam que via consumo não vai dar mais. Então estamso com crescimento baixo.
      Mas longe de desastre. O Brasil tem mais de US$ 300 bi de reservas internacionais e ainda estamos atraindo muito investimento externo. Não existe a mais remota hipótese de desastre no curto / médio prazo.
      Existe, sim, crescimento baixo. Isso vai acontecer mesmo, mas isso não é desastre. E uma hora ou outra o investimento vai aumentar e a produtividade vai subir naturalmente pelo aperto no mercado de trabalho. Como a mão de obra está ficando cara, então passa a ser vantajoso melhorar a produtividade, com automoção, redução de desperdícios e etc.
      Então mesmo que o governo não faça nada (e está fazendo), a produtividade vai crescer e o crescimento vai acelerar.
      Quem apostar contra o Brasil vai perder, meu querido. Aceite isso.

      Excluir
    13. Tudo bem Kassia esta é a sua visão, acontece que ambos estamos fazendo um exercício de futurologia, eu sei que você vai dizer que não, que fala baseada em fatos, números, estatísticas e mais um monte de bla bla bla que você quiser.

      Para mim a questão esta sendo colocada de forma equivocada por você, não estou apostando contra o Brasil e muito menos em desastre econômico, apenas estou inferindo que o Brasil não é diferente da maioria dos países e assim como estes passaremos pelo mesmo processo, não é um desastre econômico, esta ideia dá a impressão de algo que deu errado e não é o que acontece, tudo esta ocorrendo como o planejado e a recessão que esta por vir nada mais é do que uma fase dessa conjuntura. Posso te garantir que os 300 bilhões que você colocou não salvariam um banco, quanto mais o sistema financeiro como um todo.

      Agora quem acredita que o Brasil, isso mesmo, o Brasil, aquele país que tão bem conhecemos, será uma exceção em todo esse cenário pelo qual passa o sistema financeiro mundial, que seremos muito mais competentes que os EUA, Espanha, França, Reino Unido, Japão entre outros. Então que corra aos bancos para contrair empréstimos, opções não iram faltar.

      Agora quem não tem tanta certeza sobre essa competência, produtividade, independência do Brasil, que pense bem antes de contrair um empréstimo para 35 anos, é muito tempo. Pense bem, apenas no período de 1978 a 2013, que compreende 35 anos, os EUA , país mais rico do mundo, maior produtor de tecnologia, sede das maiores multinacionais e instituições financeiras, passou por pelo menos três grandes crises financeiras.

      Será mesmo que sairemos ilesos nesse processo?

      Excluir
    14. Não adianta vc comparar o Brasil de 2013 com os EUA de 2013. O Brasil de 2013 é igual aos EUA dos anos 50. Estamos passando pelo mesmo processo pelo qual passou os EUA há 50 ou 60 anos atrás.

      Excluir
    15. Confesso que estava ficando até animado com a argumentação, mas aí você responde isso. Brasil é igual ao EUA dos anos 50, não tem o que falar.

      Beleza então.

      Excluir
    16. Essa comparação foi a coisa mais ridícula já escrita. Não há paralelismo algum entre o Brasil desta época e os EUA desta época. Nestas décadas, os EUA já eram de longe a maior potência economica, militar e cultural do mundo.
      A semelhança que ele coloca é baseada em etnias, que analisadas a fundo também são completamente diferentes.

      Excluir
  3. Andre Nascimento6 de maio de 2013 09:58

    As vendas no Nororeste despencaram simplesmente porque é um bairro sem nenhum infraestrutura com preço de bairro mais do que estruturado.
    Pessoas pedirem R$9.000,00, R$10.000,00, R$11.000,00 ou mais é direito delas, o fato é que não conseguem vender por esse preço.
    Você deve estar nervosa com essa situação porque tem investimento nessa área, ao invés de despejar sua raiva nas pessoas que comentarm aqui no blog, questione os motivos que levaram esse bairro a essa situação, muitos acreditaram em promessas que não estão sendo cumpridas e que não se cumprirão e estão tendo enormes prejuízos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As vendas despencaram e o ITBI está bombando? Desculpe, mas, como diria o Cazuza, "suas idéias não correspondem aos fatos":

      http://www.politicaeconomia.com/2013/03/bolha-imobiliaria-itbi-df-mostra.html

      O fato é que o Noroeste está muito melhor que o Sudoeste na época em que os primeiros imóveis foram entregues.

      E quem comprou lá, como mostrei no post acima, fez excelente negócio, pois compraram em 2009 para pagar em suaves parcelas, por R$ 940k, um imóvel que, hoje, vale R$ 1.15 milhão, e tiveram rentabilidade de mais de 40% sobre o capital investido.

      Só não percebe isso quem é muito limitado, e, portanto, nunca vai ter dinheiro e condições de morar no Noroeste. Aliás, é ótimo que o Noroeste seja caro, exatamente para selecionar mesmo. Bolhotas, por exemplo, ficam de fora, claro - o que é auspicioso.

      O Noroeste será o melhor bairro de Brasília em breve. este ano a infra será muito aperfeiçoada e os preços subirão ainda mais.

      Mesmo nessa situação de elevada oferta, natural e totalmente previsível, quem comprou fez ótimo negócio, como restou provado. E, daqui em diante, a tendência é de mais valorizações. E quanto mais caro ficar, mais distante dos bolhotas ficará, e mais irritados eles ficarão.

      Assim é a vida: O Noroeste, como muitas coisas, é para quem pode, e não para quem quer.

      Chorem, bolhotas! E fiquem longe do Noroeste, que aquilo não é para o bico de vocês...Rá...rá..rá..

      Excluir
  4. Em 2009 e 2010 tivemos o mercado bombando, se ainda sim a valorização no Noroeste foi de apenas 22% em quatro anos, a situação realmente não está boa.
    Pela primeira vez nos últimos 4 anos os preços anunciados pelas construtoras recuou, atenção, não estou falando em promoções, estas já estão ocorrendo há mais de um ano, e sim, em preço de tabela.
    Segue o link:
    http://economia.estadao.com.br/noticias/economia-geral,preco-de-imovel-novo-recua-pela-1-vez-em-quatro-anos,152741,0.htm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa queda no valor dos lançamentos em SP detectada pela EMBASP é decorrente do fato de que as empresas estão fazendo lançamentos em bairros menos valorizados, pois as áreas nobres estão inviáveis, pois: i. os terrenos terem disparado de preço; ii. não existem mais áreas para construção.
      Assim, os lançamentos ocorrem em bairros mais baratos, e, então, o preço do lançamento cai naturalmente. Mas quando se comparara variações nas mesmas regiões, como faz o FIPE-ZAP, o preço continua subindo.

      Excluir
  5. Sobre sua última afirmação é importante destacarmos algumas coisas:
    Primeiro: o FIPE-ZAP já vem apresentando queda em várias áreas, inclusive no DF, é o caso, por exemplo, de olhar a valorização do último ano que foi de -0,5%.
    Segundo, o FIPE-ZAP não é um bom índice em cenários onde há uma grande quantidade de descontos e promoções (já há empreendimentos onde os descontos ultrapassam os 20%), como é o que está ocorrendo agora, visto que não reflete este cenário, estes fortes descontos e promoções não aparecem no anúncio, apenas no preço final.
    Hoje um dos maiores motivos da queda forte das vendas em Águas Claras e no Noroeste (segundo alguns corretores que conversei, chegou a 80% nos últimos 12 meses) é provocado pela expectativa de preços que os vendedores criam devido aos preços anunciados em sites como esse, o vendedor olha no Wimóveis anúncios no Noroeste com preços a R$10K, 11k, 12K e em Aguas Claras preços a 5k, 6k o m2 e acredita que este é o preço destes bairros, apenas após 1 ou 2 anos sem conseguir venderem é que descobrem que este preços são irreais. Alguns baixam os preços e outros continuarão por mais vários anos tentando ter a sorte de encontrarem um incauto que aceite estes preços.
    O mercado no DF só retornará ao normal se os preços ficarem estáveis por alguns anos, o que na prática significará uma desvalorização gradual, ou se houver uma pequena queda anual ao longo dos próximos anos.
    Uma grande queda poderia gerar o chamado efeito manada e provocar o estouro da bolha e todos seriam afetados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu querido, vocês estão esperando quedas de preços desde 2010 e até agora nada. Continua a sonhar aí...mas lembre-se que sonhar, neste caso, custa, e muito, já que vcs perderam mais de 60% de valorização no perído. Ou seja, o sonho de vocês custa caro!

      Excluir
    2. Como não está caindo, o FIPE-ZAP já mostra quedas e há diversos indicadores que já mostram quedas, ninguem aqui discute que em 2009 e 2010 os preços subiram, só que hoje isto é impraticável. Se tentarem, como tentam constantemente, anunciando apartamento a valores altos, ocorrerá o que já está ocorrendo no Noroeste, uma quantidade enorme de apartamentos sem compradores.
      E você pode ficar esbravejando que lá é um bom investimento, que o bairro é muito bom, com os preços atuais e com a infraesturuta daquele bairro a única que teremos lá serão apartamentos vazios e muito mato.

      Excluir
    3. "Rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura". Isto se realmente houve a tal rentabilidade passada que você apregoa por aqui sem citar fontes.

      Excluir
  6. Kássia, l

    Lá no bolhaimobiliaria.com o último tópico diz que o setor da construção vem desacelerando, frente ao ritmo frenético de 3 anos atrás (isso era o que quase todos analistas já previam). Na própria reportagem o diretor de uma construtora diz que vendeu 60% das unidades de um novo empreendimento em SP em apenas 2 semanas. Aí que vem minha pergunta: como eles venderam 60% dos aptos em 2 semanas se o Mrk jurou que o mercado estava parado desde julho 2012??? Segundo o "especialista" (Mrk) não se comprava e se vendia nada, isso ainda em 2012!!!!

    Outra coisa que notei é que o próprio "Samy" (íntimo dos bolhotas) está comedido em suas análises, pedindo cautela. Ele devia dizer pra não comprar nada, já que os preços irão cair forte depois da Copa, segundo a própria reportagem do prof. da FGV. Isto está lá no bolhaimobiliaria.com. Como o "justiceiro" Samy Dana diz que pode comprar com cautela se os preços vão despencar depois da Copa??? Ele está enganando o povo? Ou será que ele já tá tirando o dele da reta, caso o PLOC não ocorra?

    Por último, o blog de lá tá esquisito. Nesses últimos 2 meses toda vez que eu entro, em vários horários, tem no máximo 25 users on line. Como eles querem disseminar a seita bolhística para 190 milhões de brasileiros com 20 users on line. Será que "deu ruim" no blog??? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    SERÁ QUE SÓ EU SINTO VERGONHA ALHEIA POR ELES?

    ResponderExcluir
  7. Kássia, pra descontrair um pouco.

    Semana passada um neo-bolhota postou sobre o lançamento do Alphaville na região de Ponta Grossa-PR, dizendo que as vendas se iniciariam às 5h da manhã. Os "pastores da bolha", claro, riram, fizeram chacota dos 666's acordando de madrugada, esperando um movimento nulo. Pois bem, passou o fds, eu realmente fiquei curioso a respeito das vendas, mas esqueci de procurar na internet. Não é que o neo-bolhota, postou hoje a respeito das vendas:

    "Kiu 7 de maio de 2013 at 15:35

    Dias atrás eu publiquei em outro tópico a respeito do lançamento do Alphaville na cidade de Ponta Grossa, Pr e comentei que as vendas se iniciavam as 5 da manhã, segundo informações essa primeira fase de vendas esgotou-se ainda no sábado, teve pessoas que foram no local as 8 da manhã e pegaram uma fila de mais de 100 pessoas na frente. Os valores dos lotes eram na faixa de 100 mil reais com metragem de 300 m². Agora pergunto, até que ponto isso é realmente verdade esse sucesso de vendas, sinceramente não estou conseguindo entender mais nada nesse nosso país e isso tem me desanimado e muito. =/

    As vezes tenho a impressão que essa bolha nunca vai estourar, pois as pessoas continuam comprando bens acima de 100 mil como se estivessem comprando banana na feira, ou esta tudo tão bem em nosso país ou eu que sou um incompetente que não sabe fazer as economias que tenho render e multiplicar."

    Eu só não vou rir porque achei digno da parte dele ver a vergonha que ele passou achando que seria um fracasso. Por isso o nº de fiéis do bolhaimobiliaria.com vem caindo... Muitos já não aguentam mais esperar o PLOC.

    SERÁ QUE SÓ EU SINTO VERGONHA ALHEIA POR ELES?

    Dessa vez eu senti pena, juro. Nem vou rir muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. essa situação de vendas ainda vai perdurar anos e anos...
      Eu só consigo sentir pena deles...uma hora ou outra pode ocorrer mudanças nas regras de financiamento, mas até lá....vai ser uma sucessão de erro dos videntes...

      Excluir
  8. cassia tavares, voce diz: 1)não há bolha; 2) que o financiamento para comprar o imovel é um bom investimento; 3)que as atuais condições de financiamento são unicas e não vão durar muito. Nestes 3 itens voce se contradisse, e agora que não compro imovel mesmo!. vejamos, se as atuais condições de financiamento ja acho um pessimo negocio, imagine se piorar: a bolha explodira, pois as vendas dependem exclusivamente de uma linha de credito generosa e camarada. obrigado, voce me esclareceu aduvida que talvez eu teria. a bolha vai explodir assim que as linhas de credito endurecerem, como voce mesma disse!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tuco,

      A bolha já explodiu. Leia no bolhaimobiliaria.com. Será então que nessa segunda explosão os brasileiros ouvirão algum PLOC???

      SERÁ QUE SÓ EU SINTO VERGONHA ALHEIA POR VOCÊS?

      Excluir
    2. Não há contradição, só falta de compreensão. Os 3 itens não se contradizem.

      Excluir
    3. Bolha imobiliária é site de funkeiro.

      Excluir
  9. Vocês deviam sentir era pena da Kassia, porque hoje quem tem imóveis no Noroeste com os preços praticados aqui tem um companheiro de longo prazo.
    Quem sabe daqui uns 10 anos ela consiga vender pelo preço que pagou!!!!

    ResponderExcluir
  10. Kassia, o imovel esta caro e ponto final. Ja comprei um apartamento em 2004 de dois quartos no sudoeste na 304 por 144 mil e vendi ano passado ppr 580 mil, o bonde ja passou, quem pegou pegou... Esse seu argumento ai é de corretor que tem bola de cristal. Existem ciclos, de alta e de baixa, isso é uma coisa do mercado e não se pode negar. Você tenta me convencer com fatos do passado. Que valorizou tantos por cento, que venderam todos e bla bla bla... Qual o preço do lote no noroeste? Qual o valor de uma construção do mesmo padrão? Qual o valor de apartamentos do mesmo padrão no mercado? Junte os três aí você vai ter o preço real, e por favor não tente me convencer com argumento de corretor.

    ResponderExcluir
  11. O bonde já passou, quem pegou, pegou. Essa frase sintetiza tudo, ainda há ingênuos, como a proprietária desse site, que se disserem que nos últimos 5 anos os imóveis valorizaram 300% as pessoas correrão para comprar para não perder o bonde. Só que as pessoas não são burras, o bonde já subiu o que tinha de subir, agora está indo na direção da ladeira, iniciando a queda.
    No nosso querido Noroeste já tem imóveis com 40% de queda nos preços e no geral as vendas caíram 80% no último ano, neste bairro a descida da ladeira já iniciou faz tempo, assim como em Águas Claras, até ínidices como o FIPE-ZAP, já mostram a queda, lá ainda é pequena mas como sabemos que este índice mostra apenas os preços anunciados e não os descontos que estão sendo dados é fácil concluir que a queda é muito maior do que está lá.
    Ainda há lugares no Brasil que a situação não estão tão ruim, mas logo, logo, também iniciarão o ciclo de queda.

    ResponderExcluir
  12. "Esse seu argumento aí é de corretor que tem bola de cristal. Existem ciclos, de alta e de baixa, isso é uma coisa do mercado e não se pode negar".

    Você é bem contraditório, pois apostar em explosão de bolha é exatamente utilizar bola de cristal (quebrada, neste caso).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses bolhotas vêem uma bolha de cristal e acham que é uma bolha...e ainda quebrada, pois dizem que estourou

      Excluir
  13. Distrito Federal está a um passo de ter a maior favela da América Latina O crescimento desordenado faz do Condomínio Sol Nascente, em Ceilândia, o lar de 61 mil pessoas, segundo dados oficiais. Mas hoje podem ultrapassar 100 mil, o que deixaria a região como a mais populosa comunidade carente da América

    http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2013/05/08/interna_cidadesdf,364811/distrito-federal-esta-a-um-passo-de-ter-a-maior-favela-da-america-latina.shtml

    Vai subir muito mais!

    ResponderExcluir
  14. Oi Kássia,

    Já assistiu algum epsódio da série "Copa Hotel" exibida no GNT (Globo)?
    Vai aqui uma sinopse:
    http://www.estadao.com.br/noticias/arteelazer,copa-hotel-do-gnt-cronica-de-efeito-moral-do-rio,1024024,0.htm
    Qual sua opinião? Vai subir mais?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já assistiu o "Homem de Ferro 3"? Também é uma ficção, só que mais legal e real, apesar de ter um homem em uma armadura voando e outras coisinhas a mais difíceis de engolir,tal como acreditar que um seriado é exatamente a realidade.

      Excluir
  15. Nao tenho certeza que tem uma bolha no Brasil, mas de uma coisa tenho certeza: o mercado imobiliario brasileiro nao eh um moto perpetuo imunidade a realidade economica! Segue as leis da economia, ciclos de alta e de baixa!

    Pro pessoal que acredita em bolha (varios aqui no site), ja estamos no vies de baixa ou proximo dele! Pro pessoal contra a bolha (Kassia/Fulgencio/Anonimo Vergonha alheia) ainda falta muito pra findar este ciclo de crescimento!

    Quem tem a razao? O tempo dira, facam as suas apostas!

    Ah, 2 comentarios mais:
    (1) Se nao me engano o mercado tem fator psicologico enorme: enquanto acreditarem que 300 bilhoes sao suficientes pra segurar nossa onda otimo! Se nao acreditarem nao adianta ser 1 trilhao, vai pro buraco do mesmo jeito!

    (2) Alguem mais tem a impressao de estamos passando de novo pelas decadas de 70-80: milagre brasileiro e depois (o temor) de uma crise externa nos jogar na lona por muito tempo?

    ResponderExcluir
  16. Tia,

    A casa caiu - literalmente :)

    13/05/2013 - Venda, preço e locação de imóveis usados despencam em SP
    http://classificados.folha.uol.com.br/imoveis/2013/05/1276973-venda-preco-e-locacao-de-imoveis-usados-despencam-em-sp.shtml

    O preço dos imóveis usados para venda e locação no Estado de São Paulo caiu 20,3% nos últimos 12 meses até fevereiro, segundo índice do Creci-SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vale porque não é Brasília onde os preços estão subindo e vai subir mais ainda....

      Excluir
    2. estranho q o FIPE-ZAP mostra o preço subindo quase 15% no mesmo período.

      Excluir
    3. Não adianta, ela vai dizer que isto é a acomodação, ou utilizar o seu falso economês para justificar o injustificável, pode ser que parta para sua tábua de salvação, o famigerado FipeZap,isso se não partir para a baixaria direto mesmo.

      É Kássia, nem em São Paulo mais heim? Sorte que você não tem imóvel nenhum, a não ser aqueles frutos da sua pouco criativa imaginação. Contudo, pensa naquele cara que queimou a poupança para comprar um bolhudo na planta, tudo porque a Tia Kassia e mais alguns "especialistas" falaram que era o maio negócio do mundo e agora esta tentando vender o bolha há 6 meses, 1 ano e nada, aí vem uma notícia dessa, você acha que dá uma revirada no estômago ou não?


      Excluir
    4. São Paulo, Capital, vai continuar crescendo. Não vai se desvalorizar.

      Excluir
  17. Noooossa, queda de 20%? Mas que absurdo. O mercado estava tão bom! O que aconteceu Kássia? Queda de 20% é o que, não é bolha? É ajuste de mercado? Ha Ha Ha Ha.

    ResponderExcluir
  18. Tentei publicar duas vezes essa notícia aqui do G1 mas ela modera.
    "Preço dos imóveis cai 25% em São José em dois anos, revela Creci"
    Fonte: "http://g1.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao/noticia/2013/05/preco-dos-imoveis-cai-25-em-sao-jose-em-dois-anos-revela-creci.html"
    Vocês precisam ver como está aqui em Santos. Só 18% dos lançamentos foram vendidos. Um amigo, que é corretor, me disse que lá onde trabalha está todo mundo desesperado.
    A verdade é que o brasileiro não tem renda suficiente para bancar esses preços absurdos. Sem falar que está um lixo viver aqui. Um dia já foi uma das melhores cidades, hoje, não faço ideia como está.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já publicaram esse notícia aqui umas quinhentas vezes. Vcs não tem uma outra não para ficarem molhadinhos?

      Excluir
    2. Tem sim. Tem a notícia que fala da queda nos preços no Faroeste Caboclo, também chamado pelos corretores como bairro ecológico ou Setor Noroeste, o maior expoente da bolha imobiliária do Brasil.

      Excluir
    3. o que vocês acham que vai acontecer agora que a Embraer fechou a venda de 30 aeronaves em um negócio em torno de 2,9 bilhões, além do anúncio do centro de pesquisa da Boeing na cidade?

      Excluir
  19. Kássia,

    A revista Exame publicou o "Guia de Imóveis 2013", uma edição especial sobre o mercado imobiliário onde foram analisados os preços em diversas cidades brasileiras e a conclusão deles é que o momento é bom pra comprar, as subidas de preço estão mais moderadas, etc.

    Os bolhotas já a criticaram, claro! mas é um estudo interessante feito pela revista. Vale publicar!

    SERÁ QUE SÓ EU SINTO VERGONHA ALHEIA POR ELES?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há diferença entre o que esses bolhotas falam e um monte de estrume. Na realidade tem: o estrume pode servir como adubo...já o que eles falam já serviu para nos divertir. Hoje, nem isso, pois é só repetição. Nem tem mais graça...

      Excluir
    2. Eu também me divirto muito com seu blog, em especial por ver o seu desespero e sua tentativa de falar mal, xingar, humilhar as pessoas, como se isto fosse melhorar o mercado imobiliário e as vendas, que vão de mal a pior.

      E ainda postar notícias falsas, falando que o Setor Chaparral (by Rosinha) está pronto. Aquilo ali é uma mentira, uma piada de bairro. Só compra aquela porcaria quem é muito burro, um bairro que não tem nada por um preço absurdo. Você provavelmente comprou uns 10 ali na planta para revender e agora não encontra quem compre de você. É bom para acordar, não sabe fazer negócio, dá nisso aí. Já que você quer audiência para o seu blog, deveria ser mais democrática e permitir a publicação de todos os comentários e acabar com esta moderação ridícula. A ditadura militar acabou há tempos.

      Excluir
    3. E quem disse que eu quero audiência no meu blog? Se não vier mais nenhum bolhota falar bobagem aqui vou agradecer imensamente. Na realidade esse assutno de bolha já deu tudo que tinha que dar. Já me diverti com isso. Não tem mais graça trollar bolhota...

      Excluir
    4. O que você quer com o seu blog então? Fala que os preços vão subir, fala que quem não comprar agora vai pagar mais caro no futuro, fala que o Chaparral está pronto e maravilhoso (um minuto de silêncio para quem mora caro e mal), é contra ações judiciais que defendem direitos dos consumidores. Ou seja, quem não quer audiência não falta tanta bobagem e mentira junto, nem precisa criar milhões de nicks fakes para defender uma valorização e um mercado imobiliário mágico que não existe. Seja bem vinda ao mundo real e saia da sua redoma de vidro, aceite a realidade como ela é. A crise no mercado imobiliário brasileiro chegou para ficar.

      Excluir
    5. É eu sei. Tem crise mesmo e a arrecadação do ITBI bombando. O problema de vocês, bolhotas, é que vocês acreditam em achismos, e eu trabalho com fatos.
      O principal objetivo do meu blog é trollar gente cheta, como petralhas, esquerdinhas e, agora, bolhotas. daqui a pouco eu mudo o alvo. kkk

      Excluir
    6. ITBI bombando, o ITBI é das vendas de 2009, não das vendas de 2012 e 2013. Pergunte aos seus colegas de corretagem, como estão as vendas? Sai do terno e dessa salinha com ar condicionado, a realidade é outra.

      Você não vai mudar o seu alvo, porque você come a comida que sai do mercado imobiliário. É hora de tirar o dinheiro das Europa, porque se depender dos bolhotas e da grande parte da população, ninguém vai comprar imóvel. As pessoas acordaram Kássia da Lenda da Valorização Eterna dos Imóveis.

      E essa gente não é chata não, é gente que pensa, senão tinha caído na pegadinha do imóvel na planta.

      Excluir
    7. Sim, pensa muito. Tá pensando (sonhando) com bolhotas há quatro anos enquanto os preços subiram mais de 60%.
      Essa "jente" pensa tanto que jura de pé junto que morar de aluguel é o melhor negócio do mundo...kkkkkkkkkkkkk
      E sobre o ITBI, vc não entende nada. Só paga o ITBI quando o imóvel está pronto. Portanto, a arrecadação do ITBI hoje, recorde, mostra que há muitas pessoas comprando imóveis hoje, e, portanto, estão pagando o ITBI, que, repito, é recorde.
      Então você deveria parar de falar tanta bobagem e com os achismos. Aqui trabalha-se com fatos, e não com ilusões, mentiras e notícias falsificadas.
      Apesar, que, se você não fosse dado a acreditar em fantasias e em achismos, não seria um bolhota sonhador com bolhas que não estouram nunca...ou seja, um looser. Sorry, looser!

      Excluir
  20. Olha, primeira vez que comento aqui. Concordo que o preço dos imóveis em alguns lugares é um absurdo (como Brasília, pois é uma bosta essa cidade, estou doido pra vazar dessa roça sem estrutura). Agora 20.000 m² no Leblon acho de graça! Mil vezes pagar isso no Leblon do que pagar 10.000 em bsb

    ResponderExcluir
  21. parabéns pelo vídeo https://www.youtube.com/watch?v=Zy_NZWHFndY
    divertidíssimo.

    ResponderExcluir
  22. O estresse da proprietária deste blog é justificável, afinal o Noroeste se tornou uma bomba para quem investiu nele nos últimos dois anos. Vocês, que criticam, eu pergunto, se não estivessem perdendo muito dinheiro em um bairro onde foram feitas mil promessas que não se cumpriram e vendo o valor do seu investimento despencar, vocês também não estariam estressados?

    ResponderExcluir
  23. Eu tava lendo seus comentários acima e achei interessante o quanto você parece com os petistas ao defender o financiamento imobiliário e a situação do mercado imobiliário. Nós estamos criando um monstro, mas você, como boa petista que parece, defende este monstro com unhas e dentes.
    Só falta sair candidata como deputada distrital pelo PT.

    ResponderExcluir
  24. Meu querido, se você não acha que o crédito imobiliário, com juros de 7.9% ao ano e mais nada (visto que a TR é 0%) é um excelente negócio, continue pagando aluguel que é corrigido anualmente pelo IGP-M. O problema é seu.
    O fato é que o melhor negócio que tem hoje para pessoas comuns é pegar um financiamento imobiliário, pois o juro real disso está em torno de 1% a.a - condição melhor que observada nos EUA.
    Fora todos os benefícios psicológicos que a pessoa tem de adquirir seu imóvel próprio. Tem o fato também que a maioria das pessoas não investe nada, então, ao pegar um financiamento imobiliário, a pessoa estará investindo, e, ao final, terá um patrimônio.
    Agora, tem site por aí onde estimula as pessoas a pagar aluguel há 4 anos, período no qual os preços dos imóveis subiram mais de 60%. E continuam a subir.
    Então, aqui, como trabalhamos com fatos, mostramos, por A+B, como pegar um financiamento imobiliário, hoje, é um excelente negócio.
    Só não pega um financiamento imobiliário hoje quem já está pendurado em financiamento de carros e viagens, então está sem condições de pegar. Ou então é idiota mesmo.
    Quem é idiota, continua a pagar aluguel, sendo que tem financiamento imobiliário mais barato que aluguel.
    Quem é idiota, paga para morar no imóvel dos outros, enterrando dinheiro, e, ao final de 30 anos, não terá nada. Enquanto quem paga financiamento, ao final, tem um patrimônio.
    Só sendo muito tapado para não perceber a excelente oportunidade que tem hoje o Brasil para quem quer comprar casa própría.
    Quem não comprar, depois só restará se juntar nesses sites que publicam notícias falsas para destilar ranço e inveja contra quem comprou. Sorry.

    ResponderExcluir
  25. Gostei do início do vídeo da exame. Analisem.
    "http://exame.abril.com.br/videos/direto-da-bolsa/mercado-ja-precificou-o-novo-normal-dos-imoveis-comerciais"

    ResponderExcluir
  26. Se é hora ou não de comprar um imóvel cabe a cada um decidir, visto que não se sabe se o mercado vai se acomodar ou vai haver queda.
    No entanto, não há como negar o que foi dito acima: quem acreditava na bolha imobiliária há quatro anos atrás e não comprou seu imóvel residencial se deu muitíssimo mal: está pagando aluguel até hoje e viu os preços dos imóveis dispararem.

    ResponderExcluir
  27. Para quem deseja comprar o sonhado imóvel residencial, uma possível queda pode até ser um alento.
    No entanto, para os que dependem do financiamento imobiliário essa queda de nada vai adiantar, visto que é consenso no mercado que haverá alta dos juros, ou seja, o desembolso necessário para compra do imóvel vai ser grande do mesmo jeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se os juros aumentarem a procura por imóveis não vai cair? Porque aí menos gente vai ter renda suficiente para financiar, aí a quebradeira será geral. Choro e ranger de dentes no mercado imobiliário.

      Excluir
    2. "quebradeira será geral"?
      Explique por favor.
      Como assim geral?
      Se meu apto diminuir de preço, eu não vendo.
      E te garanto que não quebro.
      A maioria dos aptos a venda não estão a venda. O proprietário coloca o preço nas nuvens e se colar colou.
      Se não vender, não terá diferença alguma para o proprietário.

      Excluir
    3. Você não quebra.
      Mas um monte que errou o timing vai quebrar e ter que vender pra se livrar do pepino.

      Excluir
  28. Só faltava essa, o argumento de que é a hora de comprar já que os juros vão aumentar.
    Não é à toa que as vendas estão despencando, o mercado está em crise por falsas promessas de valorização, por causa de preços elevados, por atrasos na entrega, pela má qualidade dos imóveis entregues e por causa de conversas deste tipo.
    As vendas só retornarão quando estas questões forem resolvidas, argumentos furados como esse não atraem mais ninguém, será que é tão difícil perceber isso.
    Eu fico abismado como existem pessoas ingênuas que acham que se falarem que os juros irão subir as pessoas voltarão a comprar imóveis, vou dar uma sugestão, abaixem em 20% o preço e cumpram as promessas, aí sim vocês verão as pessoas voltarem a comprar imóveis.

    ResponderExcluir
  29. Eu prefiro comprar por um preço menor com juros mais altos do que um preço exorbitante e juros menores. A questao é que com pesço menor dá pra ir quitando o saldo devedor e com isso pago em menos tempo e quitando o saldo antes elimina juros. O que fica inviavel do contrario. É só analisar e verá que minha teoria faz sentido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faz sentido sim, anonimo das 16:29.
      O que não faz sentido é a manada compulsivamente comprar os imóveis custando o triplo do que deveriam somente porque os juros estão no mais baixo nível da história. Em vez de você pagar 2,5x o valor do imóvel, paga 5x. 2x pelo dobro do preço e mais 2,5x que é cobrado no financiamento.

      Excluir
    2. Perfeita a resposta Anônimo de 18 de maio de 2013 14:33

      Responde esta agora Corretora de Imóveis Kássia Tavares?

      Excluir
  30. Com cenário de alta da selic, acredito que o mercado passará por um momento de ajustes, após a euforia dois anos anteriores.
    Acredito que até a Kassia concorda, pois já havia perguntado isso antes, lembra kassia?
    Selic sobe, mercado piora. Ou mudou a regra?
    Quem passou entre 12 e 14k o m2 no noroeste está feliz com o investimento?
    Se possível, responda com o mesmo nível de educação.

    ResponderExcluir
  31. Gente estou estupefato com o que estou lendo. A que nível chegaram os corretores, de falar que quem não compra apartamentos, cujos preços foram aumentados por eles mesmos, por pura inveja? Será uma transposição da incompetência humana em fazer negócios e colocar a culpa nos outros?

    ResponderExcluir
  32. Os preços dos imóveis me parecem que estão acomodados, mas as vendas, pelo menos na região metropolitana de SP, estão longe de estarem paradas:

    "As vendas de imóveis residenciais novos na cidade de São Paulo totalizaram 4.087 unidades em março, alta de 83,9% ante os 2.223 imóveis vendidos em igual mês de 2012, de acordo com a pesquisa do mercado imobiliário divulgada nesta sexta-feira (17) pelo Sindicato da Habitação (Secovi-SP). A entidade classificou o resultado como “surpreendente”.
    O bom desempenho também foi sentido em relação aos lançamentos. Com base em dados da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp), a entidade informa que os lançamentos atingiram 2.845 unidades, aumento de 80,35% em relação às 1.578 unidades de igual mês do ano passado.
    No trimestre
    Com esses resultados, o mercado imobiliário na cidade de São Paulo fechou o primeiro trimestre com 6.862 unidades vendidas, crescimento de 27,1% ante o total comercializado entre janeiro e março de 2012 (5.400 imóveis).
    Até março, as vendas movimentaram R$ 4,48 bilhões, atualizados pelo Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-DI), da Fundação Getulio Vargas. O total representou variação positiva de 52,8% na comparação com os R$ 2,93 bilhões de igual período de 2012, motivado por maior volume de lançamentos e vendas de unidades de 4 dormitórios.
    O indicador Vendas sobre Oferta (VSO) de 12 meses encerrou março em 59,9%, próximo ao índice do terceiro mês de 2012, de 60,1%.
    De acordo com a Embraesp, o volume lançado entre janeiro a março (5.321 imóveis) foi 43,9% superior ao mesmo intervalo de meses de 2012 (3.697 unidades).

    Região Metropolitana
    As vendas acumuladas no primeiro trimestre na Região Metropolitana de São Paulo somaram 11.496 unidades, com crescimento de 18,5% diante dos 9.703 imóveis residenciais apurados em igual período de 2012.
    A capital paulista participou com 59,7% do total vendido e com 67% do volume lançado na Grande São Paulo, de 7.938 imóveis no período de janeiro a março deste ano."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 4K imóveis numa cidade de 11M de habitantes, sendo uns 15K corretores ativos. Realmente, tá bombando o mercado rsssss

      Excluir
  33. Esse blog é curioso. O nome é política e economia e só se fala de bolha imobiliária. O site que, de fato, discute bolha imobiliária, tem muito mais conteúdo de política e economia...hehe

    E este é o primeiro blog que vejo que os comentaristas só entram para discordar de quem mantém o blog.

    Sobre investir em imóveis... bobagem. Quem investe de verdade está no mercado financeiro. Guardar dinheiro para comprar... outra bobagem. Com os R$ 400 mil que meu vizinho está pedindo, aplico, pago o aluguel do mesmo apartamento por R$ 1300, me sobra mais que o condomínio e tenho mobilidade sempre. Comprar é bobagem com a atual relação aluguel/valor de venda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é relativo.
      Cada um tem suas idéias a respeito de investimento, filosofia de vida, praticidade, segurança etc.
      Eu prefiro morar em imóvel próprio. Já tenho. Moro muito bem localizado. Vou trabalhar a pé e almoço em casa todos os dias.
      Para mim isso não tem preço.
      Poderia alugar? Sim. Mas preferi comprar. E comprar mesmo (totalmente pago).
      Agora tenho dinheiro para aplicar em outras coisas.

      Excluir
    2. Quem comprou comprou !!!
      Queria ver comprar agora no Rio !!! Acho que vc não compraria nem na favela mais próxima.

      Excluir
    3. "tenho mobilidade sempre", kkkkkkkkkkkkkkk

      Essa não casou, mas comprou uma bicicleta e vai morar nela, pois em apartamento, nem dinheiro deve ter para pagar o frete quando o dono imóvel pede de volta.

      Excluir
    4. Por enquanto, Daisy. Lembre-se que a sua renda sobre os 400K era muito maior há 4 anos. Hoje, vc está passiva em IGP-M e ativa em uma Selic em queda.

      Excluir
    5. Selic em queda? Não sei se você tem acompanhado as reuniões do Copom... creio que ela esteja ativa em Selic em alta. A própria Kássia está cantando este cenário. E IGP-M vale durante o contrato. Na hora de renovar, o aluguel pode subir mais que o IGM-P ou menos, podendo até cair. Se estiver sobrando apartamento encalhado, o que já é uma realidade, o aluguel cai...
      E nem todo aluguel é IGP-M. Meu último contrato foi atrelado ao IPC-Fipe, após uma boa negociação.

      Excluir
  34. O preço dos imóveis usados e os alugueis residenciais novos disponíveis na cidade de São Paulo costuma ganhar com folga da inflação, de acordo com o levantamento do onselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP). Em 12 meses, de junho do ano passado até maio último, o imóvel usado teve valorização média de 25,98% e o aluguel subiu 17,86% enquanto a inflação medida pelo IPCA do IBGE acumulou alta de 4,99%.

    “Imóvel sempre foi um investimento seguro, de boa rentabilidade no médio e longo, prazos, e a tendência natural de que seus preços sigam aumentando por causa do déficit habitacional ganhou agora o reforço da crise econômica que está se espraiando pela economia”, afirma José Augusto Viana Neto, presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP).

    O Creci-SP pesquisa mensalmente os mercados de imóveis usados e de aluguel residencial e em maio constatou queda de 19,1% nas vendas na capital em relação a abril. O número de casas e apartamentos alugados cresceu 19,51% segundo os resultados da pesquisa feita com 448 imobiliárias da capital. “É sempre mais fácil alugar do que comprar”, explica Viana Neto. Ele acrescenta que “pode ficar mais difícil vender, mas imóvel perder preço ou ter o aluguel reduzido é quase impossível acontecer”.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora conta a do papagaio. Sabe-se que o Brasil teve 3 períodos de problemas com desvalorização imobiliária em sua história recente - últimos 40 anos: crise do BNH na década de 80, confisco da poupança em 1991 e bolha dos flats em 2000. Falar que o preço está subindo acima da inflação nos últimos quatro anos do boom imobiliário é fácil. Quero ver justificar os preços dos imóveis estagnados por mais de uma década no período imediatamente anterior a este.

      Excluir
    2. Continuando, se há uma crise chegando, como o mentecapto acha que o preço vai continuar a subir? rsssss Informação tendenciosa é foda... Se a crise chega, o desemprego aumenta, o que impede o crédito. Se a crise chega os juros tem que aumentar, o que enxuga o crédito. Se a crise chega, o investidor fica mais cauteloso, o que diminui as vendas. Mas aqui no Brasil a lei da oferta e demanda não existe rs Segundo o censo 2010, o número de residências vazias já superou ou déficit habitacional. http://www.brasil.gov.br/noticias/arquivos/2010/12/13/numero-de-casas-vazias-supera-deficit-habitacional-do-pais-indica-censo-2010 - Notícia do Portal Brasil, órgão oficial do governo.

      Agora, por favor, conte a piada do papagaio.

      Excluir
  35. Tia, tá difícil conseguir um número expressivo de comentários hein? rs
    Precisa deixar o tópico no ar 15 dias pra ter muitos comentários? Ou será que não troca de tópico porque não surgem notícias novas do maravilhoso mercado em expansão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com muito orgulho!

      Excluir
    2. Bolhota tenso!!! Preço não cai!

      Excluir
    3. Não cai mesmo? rs
      http://classificados.folha.uol.com.br/imoveis/2013/05/1285907-preco-de-imovel-usado-de-um-dormitorio-cai-23-na-cidade-de-sp.shtml

      Excluir
  36. Kassia,

    Em 2011 eu pensava em comprar um apartamento em Copacabana, RJ e achei os valores pedidos fora da realidade, pois dois anos antes um amigo tinha comprado por metade do valor do m² no mesmo bairro. Pensei na possibilidade da Bolha e dei algumas lidas no site da seita bolhuda. Fiquei esperando até agora o estouro da bolha e nada. O que estorou foram os preços e meu dinheiro que estava na poupança agora só dá para comprar uma quitinete. Você que é uma pessoa mais sensata que os bolhotas acha que devo comprar o apartamento ou espero uma acomodação do mercado. Continuo achando caro afinal dar 600K em um apartamento de 30m² é uma loucura mas é a realidade atual de mercado. O que você acha os preços vão estabilizar ou é melhor comprar agora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os preços já estão estabilizando. Mas não vão cair. O que vai subir é o custo de financiamento. Eu compraria já. Mas não uma kit por 600k, evidentemente, pois isso nem em BSB acontece. Por 600k acho que compra um bom apto de 2 quartos bem localizado na Zona Sul do Rio.

      Excluir
    2. Cara Kássia, você pode explicar melhor seu raciocínio? Você afirma que "Os preços já estão estabilizando. Mas não vão cair. O que vai subir é o custo de financiamento."

      O custo do financiamento subindo vai dificultar ainda mais as vendas, pois mesmo sem aumento de preço fica mais caro comprar um imóvel financiado. Ficando mais caro comprar imóvel financiado a tendência é que menos pessoas comprem, reduzindo ainda mais a demanda. E você acha que diminuindo a demanda o preço vai permanecer estável?!

      Eu, que sou estúpido e não sei usar integral, muito menos entendo o complexo modelo Bis/Yale, fico achando que os preços caem ("subiram 60% blá blá blá, eu sei...).

      Ah, e kit de 30 m² por 600k para cima é o que mais tem ofertado em Copacabana. Mas os preços não vão cair....

      Excluir
    3. Meu irmão passou por isso. Deixou de comprar um 3 quartos em Copa, 120m², por 350K em 2008 e hoje o proprietário cospe na cara dele se ele oferecer menos de 800K.

      Excluir
  37. Kássia,

    O discurso mudou???

    "EDUARDO 21 de maio de 2013 at 16:52
    Amigo meu, que tambem é bolhista, me disse algo interessante.
    Falou que não espere o willian bonner anunciar a bolha imobiliaria em pleno JN, quem espera isso vai cair do cavalo (acho que a maioria aqui concorda).
    Ele completa, disse que do mesmo jeito que essa bolha surgiu na surdina e assim se mantem ate hoje (apesar de ser claro para nós do blog) vai se manter assim, murchando aos poucos, lentamente… sem a população em geral perceber que um dia sequer a bolha existiu…
    Assim os motumbados que entraram nos financiamentos na epoca da bolha continuarão pagando sem perceber que pagam muito mais do que vale o imovel, mas sem grandes alardes continuarão a pagar, e assim os bancos, principalmente a caixa, continuará a receber….

    15 likes"

    Eles disseram que no estouro haveria choro e ranger de dentes...

    Essa é uma boa tática. Depois é só eles falarem que a bolha estourou, ninguém percebeu e os preços não caíram. kkkkkkkkkkkkkk

    SERÁ QUE SÓ EU SINTO VERGONHA ALHEIA POR ELES?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É...aquele site é muito ruim. Parece ser a escória do submundo.

      Excluir
  38. Kássia, por favor!!!

    Eu achei uma relíquia. Um comentário de alto valor para a seita bolhística. SIMPLESMENTE O 1º COMENTÁRIO DO PROFETA, "O PAI", MIGUEL JACÓ. Veja:

    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

    Miguel Jacó 27 de agosto de 2011 at 12:17

    150% em 5 anos? Eles estão querendo enganar quem? Se colocassem 1500% seria menos absurdo acreditar.

    Gente, é a primeira vez que posto aqui no blog, apesar de ser leitor assíduo do mesmo e seus comentários.
    E digo a vocês: o Brasil está enrascado, devido à crise mundial, à sua falta de capacidade de criar mais crédito para amenizar os efeitos, e à sua falta de opção:
    1) Se baixar a Selic, aumenta o consumo, retarda a crise mas aumenta a inflação, a inadimplência e o poder de destruição da bolha.
    2) Se aumenta a Selic, escancara a recessão que bate à porta, quebra as empresas exportadoras pois valoriza o Real, desindustrializa o Brasil, estoura ou murcha a bolha em pouco tempo.

    O que pode manter o preço dos imóveis em alta é a ausência de mão-de-obra para construir a casa própria, que concorreria com os barracos (novos e usados) que estão custando hoje o olho da cara. Ou seja: o limite do estouro é o final das obras da Copa (para o Rio, seria depois das olimpíadas).

    Mas muita tem muito “pedreiro” entrando no mercado de trabalho, e a mão-de-obra inflará muito após as entregas de várias obras, entre 2011 e 2012. Além disto, os imóveis pararam de subir de preço, pois ninguém aguenta mais pagar tanta grana por um imóvel pequeno e velho num país de dimensões continentais e salário médio de miserável.

    Então, o que acontecerá é o seguinte: se a bolha inflar mais 2 anos e 10 meses, certamente explodirá forte. Se ela murchar agora, murchará em ritmo mais ameno, mas não adianta: murchará bastante, até estabilizarem os preços em torno de 20 a 30% acima do preço justo dos imóveis.

    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

    Logo em seguida nosso Phd Mrk analisa a situação e é enfático quanto ao prazo máximo para queda de preços:

    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

    MrK 27 de agosto de 2011 at 14:09

    comentário de alto nível, especialmente na análise sobre a selic, espero que participe mais.

    realmente o governo está de mãos atadas, pois a estratégia de baixar juros e soltar crédito (via compulsório e outras canetadas) já foi usada a exaustão, eles não tem mais como fomentar um consumo sadio com essas ferramentas.

    só não estou muito convencido sobre a questão copa, eu acho que esse preços não aguentam de forma alguma mais 2 anos e meio, não consigo visualizar isso, tem muito imóvel, mas muito mesmo, a ser entregue nesse interim, um abraço

    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

    Juro isso é muito divertido!!!


    SERÁ QUE SÓ EU SINTO VERGONHA ALHEIA POR ELES?

    ResponderExcluir
  39. Andre Nascimento22 de maio de 2013 16:56

    Pelo menos em relação à Brasília, que é a única região que acompanho, a análise do MRK 26 de agostdo de 2011, parece estar correta, aqui os preços parecem não aguentar mais, que diga o Noroeste e Águas Claras, exatamente após os 2 anos que ele previu, os preços no Noroeste caíram muito e os descontos nas vendas em Águas Claras estão altos.
    O interessante é que as vendas em 2012 foram 76% menores que em 2011, para mim era barbada que este ano as vendas aumentariam, o que poderia provocar o aumento de preços, visto que 2012 foi um ano muito ruim, no entanto, eu abri hoje o boletim de conjuntura do SECOVI-DF e para minha surpresa as vendas continuam em queda neste ano em relação a 2012, ou seja, o buraco é mais fundo.
    Outro dado que me chamou a atenção no boletim é que hoje temos mais de 30.000 imóveis para venda, há pouco mais de um ano atrás em março não chegava a 20.000.
    Além disso, em um ano o FIPE-ZAP aponta desvalorização de 0,5% e mesmo assim são 10.000 imóveis a mais para vender, a queda de preços não significou uma diminuição na oferta e com uma oferta cada vez maior é muito difícil acreditarmos que os preços poderão voltar a subir, ainda mais em um cenário onde a economia parece estar perdendo o fôlego e os juros estão subindo, e por favor, não me venha com a conversa de que com o aumento dos juros é hora de comprar o imóvel, este argumento é simplesmente RIDICULO.
    Para mim parece claro que se os preços não tiverem uma queda significativa o mercado imobiliário não reagirá, na situação atual os investidores estão fugindo do mercado e os compradores não estão com coragem para adquirir imóveis, porque temem os preços e o futuro da economia do país e políticas de incentivo a partir do crédito já se esgotaram. O mercado precisa realinhar os preços para trazer de volta investidores e compradores, se isto não ocorrer quem vai se dar mal são os corretores, incorporadoras, imobiliárias e construtoras que terão anos piores do que foi o ano passado.
    Portanto, Kassia, você não deveria sentir vergonha alheia por eles, pelo contrário, não é fácil acertar uma previsão como a que eles fizeram.

    ResponderExcluir
  40. Eu ri...li no site da globo que na nova fase da novela das noves o protagonista vai estar com muitos problemas devido a dificuldade no trabalho por não conseguir fechar negócios.....alguém arrisca qual a profissão dele???? kkkkk...essa mesma: corretor de imóveis....é o mercado bombando até na grobo em horário nobre....rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  41. Segue um link com a visão dos estrangeiros aos investimentos em nosso país.
    "http://www.brazilinvestmentguide.com/blog/tag/housing-bubble-brazil/"

    ResponderExcluir
  42. "Construção civil dispensa 104 mil pessoas e surpreende, diz IBGE"
    "http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/05/1283509-construcao-civil-dispensa-104-mil-pessoas-e-surpreende-diz-ibge.shtml"
    A quem surpreendeu?

    ResponderExcluir
  43. O mercado anda sem muitas notícias pró-bolha, não é mesmo ?!?!!?

    ResponderExcluir
  44. Lançamentos e vendas de imóveis têm melhor alta desde 2010 em SP
    Segundo balanço divulgado pelo Secovi, foram lançadas 5.300 unidades até março deste ano e as vendas somaram 6.862 unidades
    Diferentemente do que ocorre tradicionalmente no primeiro trimestre do ano, os lançamentos e as vendas de imóveis novos residenciais na cidade de São Paulo registraram um crescimento que não se via desde os três primeiros meses de 2010.
    Segundo balanço divulgado pelo Secovi-SP (sindicato da habitação) nesta sexta-feira, baseado nos dados da Embraesp, foram lançadas 5.300 unidades até março deste ano, o que representa uma alta de 44% em relação ao primeiro trimestre de 2012.
    Essa marca só é superada no acumulado de janeiro a março de 2010, quando o mercado imobiliário viveu o boom e atingiu alta de 96% sobre 2009.
    O estudo ainda apresentou que o volume de unidades lançadas somente em março, o melhor período para o mercado imobiliário até agora no ano, subiu 42,86% ante o mesmo mês do ano passado.
    Já as vendas somaram 6.862 unidades, um aumento de 27% ante o mesmo período do ano passado (5.400 imóveis). Ainda segundo o levantamento, na comparação de março de 2013 com igual período de 2012, a alta no número de unidades vendidas foi de 83,9%.
    “O primeiro trimestre é historicamente um período de redução de estoque, no qual víamos mais vendas do que lançamentos. Então, surpreendeu a todos nós. Mas, basicamente, foi devido às muitas aprovações que a prefeitura fez de projetos que estavam na gaveta.
    Vimos casos de terrenos que foram comprados há 5 ou 6 anos e foi licenciado somente agora juntamente com os demais. Por isso, esta alta tão grande”, apontou Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi.
    Até março, o VGV (Valor Geral das Vendas) chegou a R$ 4,48 bilhões, atualizado pelo INCC-DI (Índice Nacional de Custo da Construção). O total mostrou que houve um aumento de 52,8% em relação aos R$ 2,93 bilhões de igual período de 2012.
    “Esses números, no entanto, não são o que estamos esperando para o ano de 2013. Acreditamos que até o próximo mês de dezembro, as vendas e os lançamentos cresçam algo em torno de 5% a 10%. Não mais do que isso”, completou Petrucci.
    Região metropolitana – As vendas acumuladas no primeiro trimestre na Grande São Paulo somaram 11.496 unidades, um crescimento de 18,5% diante dos 9.703 imóveis residenciais anotados no mesmo intervalo de 2012.
    A capital paulista participou com 59,7% do total vendido e com 67,0% do volume lançado na região, de 7.938 imóveis no período de janeiro a março deste ano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lançaram 5300 e venderam 6800. Ou seja, reduziram o estoque em míseros 1500 unidades numa cidade com 30 mil corretores com CRECI, sendo 15 mil ativos. que mercadão, hein?

      Excluir
  45. O discurso parece estar mudando... Já tem discípulo bolhota querendo comprar apt e imaginem só: financiado!!!!!!!!!! E ainda aconselhado pela Lady Kate kkkkkkkkk

    Aquilo é uma piada...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Piada é sua distorção dos fatos. O camarada quer comprar ao preço de 2,5K/m². Óbvio que, se conseguir, fará um bom negócio, principalmente se for localização boa como ele diz.

      Excluir
    2. óia só quim apariciu pur aqui.....2,5k/m² ...vai lá no posto ipiranga de Heliópolis perguntar onde cê acha uma coisa assim...

      Excluir
    3. Sim, sim... excelente localização... Pra passear de teleférico no final de semana é excelente...

      Mas não era esse preço que o pessoal ia pagar na zona sul do rio?

      kkkkkkk esses bolhotas são umas graças...

      Excluir
  46. Com relação à notícia do anônimo 25.05 e a resposta do anônimo 27.05 cabem os seguintes comentários:
    Não sei exatamente o estoque de imóveis em SP, mas é fato que este é considerado alto por todos e gira ao redor de 15.000 unidades. Também não sei o cálculo que é feito para se apurar o valor médio de cada unidade, mas considerando por exemplo que o valor seja de R$ 500.000,00 (chutando baixo), tem-se o valor hipotético de estoque de R$ 7,5 bilhões.
    Logo, a notícia da redução de 1500 unidades no estoque é considerado relevante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em Brasilía em março a oferta de imóveis foi de 30.000 e voce me diz que em Sao Paulo foi de 15.000, ou Brasilia está com um grande problema ou esse valor de São Paulo está equivocado. Pessoalmente acho que a oferta em Sao Paulo é muito maior do que essa, lembrando que a população de São Paulo é 5 x maior que a de Brasília.

      Excluir
    2. Tem razão, muito relevante. Relevante para a demissão de metade dos corretores da cidade. O estoque de SP é muitíssimo maior do que 15K imóveis.

      Excluir
    3. No Rio de Janeiro, somente o zap possui mais de 45 mil imóveis em oferta. Este camarada tá falando besteirinha, obviamente rssssss

      Excluir
    4. Não sou especialista em mercado imobiliário, mas talvez você esteja confundindo estoque de imóveis na mão das construtoras que é de mais ou menos 15000 com oferta de imóveis em SP, que é infinitamente maior.
      Se você observar bem, a notícia do 25.05 se refere justamente ao estoque das construtoras, vez que se refere ao número de 5300 unidades "lançadas". O número 6800 se refere ao número de vendas realizadas pelas construtoras.

      Excluir
    5. Se formos avaliar por esse angulo, o título da matéria a que todos estão se referindo está induzindo a um erro, quando se lê: Lançamentos e vendas de imóveis têm melhor alta desde 2010 em SP, a interpretação que temos é que as vendas em geral subiram e não apenas as vendas dos imóveis em estoque nas construtoras, mas se a notícia se refere apenas ao estoque dos imóveis das construtora, as quais é notório que no último ano tiveram vendas ruins e muitos distratos, podemos interpretar que o estoque diminuiu um pouco mas é possível que as vendas em geral em São Paulo estejam caindo e não subindo como o título nos induz a acreditar.

      Excluir
    6. As pessoas não sabem diferenciar os termos ESTOQUE e OFERTA.
      Também não sou especialista em imóveis, mas a matéria é clara ao se referir a estoque de imóveis das construtoras, pois fala em UNIDADES LANÇADAS x UNIDADES NOVAS VENDIDAS.

      Excluir
    7. Discordo que os bolhotas não sabem diferenciar estoque de oferta. Não sabem mesmo é a boa e velha língua portuguesa.

      Excluir
  47. Ué... cadê o PIB de 4,5% ????

    http://g1.globo.com/economia/noticia/2013/05/governo-nao-pretende-adotar-novas-medidas-de-estimulo-diz-mantega.html

    -Parafraseando um leitor do seu blog....

    (dedinho na boca) AI, UI, AI... SERÁ QUE SÓ EU SINTO VERGONHA ALHEIA POR VOCÊS????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkk,,,,,,tava na hora de alguém dar uma nesse "vergonha alheia". Pensei que só eu sentia vergonha alheia por ele.....kkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  48. Parece que até a proprietária deste blog aceitou o fato de que a perspectiva para o mercado imobiliário é muito ruim, afinal com vendas baixas, juros subindo, baixo crescimento economico, preços altíssimos, endividamento da população alto, dizer que as perspectivas para o mercado imobiliário são boas fica parecendo algum tipo de sandice.
    Para aqueles que investiram em imóveis no último ano resta assumir o prejuízo e tocar a bola pra frente ou aguardar o tempo passar com a esperança de algum milagre ocorra e o mercado melhore, correndo o risco deste prejuízo aumentar e muito.

    ResponderExcluir
  49. Kassia , leva a mal não, mas as condições são as melhores possiveis para não comprar imovéis. O melhor negócio do mundo atual, é não comprar imóvel.Pagar precos hiperinflacionados , com juros gigantescos de 7.9% , comparados com dos USA de 3-5%,é um péssimo negócio. Sem falar que o trend da inflação brasileira está em deflacão. Quem apostar na inflação vai se trumbicar.Quem comprar agora, vai ver o valor de sua propriedade, nos proximos 5-10 anos, cair de 50-70%.
    Abraço
    Rui

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora que a SELIC foi para 8%, os juros de financiamentos de imóveis devem subir para pelo menos 8.4%. DUREZA

      Excluir
  50. Inflação e crédito mais restrito derrubam consumo das famílias.

    http://economia.estadao.com.br/noticias/economia-geral,inflacao-e-credito-mais-
    restrito-derrubam-consumo-das-familias,154984,0.htm

    ResponderExcluir
  51. Acho que superestimei o estoque de 15000 em SP.
    Segue dado mais consistente em relação a esse assunto, informação retirada de trecho de matéria do G1.
    Resumindo, estoque de imóveis ao final de 2012: 9300 unidades no Brasil com valor de R$ 14,3 bilhões (estoque e valor parciais, visto que relativamente às 12 construtoras listadas na Bovespa).
    "..... As vendas recuaram numa proporção menor do que as unidades lançadas, mas mesmo assim as empresas não conseguiram desovar o estoque, que acabou aumentando. O estoque dobrou em unidades, de 4,4 mil para 9,3 mil unidades, uma alta de 112,9%. Em valor, o estoque aumentou 42,6%, de R$ 10 bilhões para R$ 14,3 bilhões.
    O desempenho negativo, segundo Queiroz, está atrelado principalmente ao menor ritmo do crescimento do volume de crédito e ao aumento dos preços dos imóveis. Um dos indicadores de que os preços subiram é o VGV (Valor Geral de Vendas) dos lançamentos, que subiu 13,2%, de R$ 17 bilhões para R$ 30,6 bilhões. “Isso significa que ou estão criando imóveis com valor agregado maior ou há valorização do metro quadrado, alta no preço”, aponta Queiroz...."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seguee abaixo a notícia completa:
      Construtoras têm prejuízo e estoque de imóveis sobe em 2012
      Construção vê queda de vendas e lançamentos e alta de estoques no ano.
      Levantamento feito pela Austin Rating compilou balanços de 12 empresas.
      Simone Cunha Do G1, em São Paulo
      Com redução no número de lançamentos, de unidades vendidas e aumento dos estoques de imóveis ao longo de 2012, o setor de construção teve um ano difícil, segundo levantamento feito pela Austin Rating a pedido do G1, com base nos resultados divulgados por 12 construtoras listadas na Bolsa.
      Resultado das 12 construtoras no ano passado, em R$ bilhões
      2012 Variação em relação a 2011
      Prejuízo do Período 1,4 176%
      Valor geral de vendas lançado 30,6 13,2%
      Número de Unidades Lançadas 95,5 -42,3%
      Vendas Contratadas 26,2 27,4%
      Número de Unidades Vendidas 108,6 23,4%
      Estoque, em valor 14,3 42,6%
      Estoque, em unidades 9,3 112,9%

      A redução do número de vendas e a elevação do estoque apontam que houve desaceleração do mercado, segundo o analista da Austin Rating Felipe Queiroz. “Como setor, o desempenho das construtoras foi negativo em 2012. As construtoras tiveram um nível aquém do esperado. O faturamento total recuou 30%, o resultado financeiro teve queda forte e o setor deixou de apresentar lucro para apresentar resultado negativo”, diz.
      O número de unidades lançadas caiu 42,3% em 2012 em relação a 2011: foram 95,5 mil. Segundo Queiroz, a forte desaceleração tem impacto direto no desempenho do setor. As vendas do conjunto de empresas também caíram mais de 20% em volume e em unidades. As vendas contratadas caíram 27,4%, para R$ 26,2 milhões. O número de unidades vendidas caiu 23,4%, para 108,6 mil.
      As vendas recuaram numa proporção menor do que as unidades lançadas, mas mesmo assim as empresas não conseguiram desovar o estoque, que acabou aumentando. O estoque dobrou em unidades, de 4,4 mil para 9,3 mil unidades, uma alta de 112,9%. Em valor, o estoque aumentou 42,6%, de R$ 10 bilhões para R$ 14,3 bilhões.
      O desempenho negativo, segundo Queiroz, está atrelado principalmente ao menor ritmo do crescimento do volume de crédito e ao aumento dos preços dos imóveis. Um dos indicadores de que os preços subiram é o VGV (Valor Geral de Vendas) dos lançamentos, que subiu 13,2%, de R$ 17 bilhões para R$ 30,6 bilhões. “Isso significa que ou estão criando imóveis com valor agregado maior ou há valorização do metro quadrado, alta no preço”, aponta Queiroz.
      No conjunto, esse grupo de construtoras reverteu o lucro obido em 2011, de R$ 1,87 bilhão, para um prejuízo de R$ 1,42 bilhão em 2012.
      Para Queiroz, os números do conjunto de empresas mostram que o boom no setor imobiliário vem desacelerando, apesar do número de unidades vendidas ainda ser considerável, acima de 108 mil

      Excluir
  52. PIB 0,6% e juros a 8%.
    Venda de imóveis em queda a mais de 18 meses em Brasília, apenas no ano passado a queda foi de 76%.
    Aumento na oferta de imóveis em Brasilia em 10.000 unidades em apenas um ano.
    A coisa tá feia em Brasilia....

    ResponderExcluir
  53. O mercado imobiliário em Brasília vive um grande dilema, se baixa os preços talvez as vendas se recuperem, mas isso traria um grande problemas para as construtoras que vivem uma pressão relacionada aos custos e teriam que arcar com grandes prejuízos e se os preços não abaixam não há vendas e as construtoras estão tendo grandes prejuízos com a manutenção do estoque de imóveis e com as vendas baixas.
    Parece que se ficar o bicho pega e se correr o bicho come.
    Não vou estranhar se daqui há um ano nós termos uma nova Encol no mercado, se alguém acha isto difícil de acontecer que consulte os resultados das principais construtoras do Brasil, o problema é que hoje está ruim e a perspectiva é pior ainda.

    ResponderExcluir
  54. Pergunto:
    Com a selic em 8% e com possibilidade de subida na próxima reunião do copom, o mercado de imóveis fica prejudicado ou não?
    Sendo assim, ainda é um bom momento para entrar no referido mercado?
    Especificamente no setor noroeste, as perspectivas são boas para o futuro?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As perspectivas para o Noroeste são excelentes no Futuro. Sabe por quê?

      Alguns incautos compraram a R$12.000/m² o que ajudou a financiar a construção dos prédios. Meanwhile, a infra-estrutura urbana que era nula começou a ser construída e ficará pronta até daqui uns 8 anos. Tempo mais do que suficiente pros preços terem caído nominalmente ou sido corroídos pela inflação. Tudo de ruim que tinha pra se passar foi lançado ao colo dos pioneiros do bairro.

      Em outras palavras: A pessoa poderá comprar um bem num excelente bairro por um preço adequado e verdadeiro à realidade do bairro. E o melhor, quem chegar depois não precisará encarar os tristes problemas que o bairro enfrenta atualmente.

      Acho que será o primeiro caso da História que conhecerei que os pioneiros de "uma mina de ouro" não estarão em melhor situação dos que chegaram imediatamente após.

      Excluir
    2. Não fala bobagem visitante carioca. Aliás, você é carioca, deveria ficar quietinho antes de querer se meter a falar do mercado de BSB.
      Eu já mostrei que quem comprou no NW pagou entre 7.5k /m2. Imóveis que hoje valem mais de 10k/m2.
      Então para de falar besteira que de NW vc não entende nada, como não entende nada esse povo que não tem dinheiro nem para comprar uma vaga de garagem lá.
      O fato é que o NW está em ótimo ponto de compra. Vai valorizar ainda mais, visto que o GDF vai começar a acelerar a implantação da infra lá.Vai ficar mais caro.

      Excluir
    3. Qual bobagem eu falei?

      Vai me dizer que não houve nenhum "ixpertalhão" que comprou imóvel no NW a R$12.000,00/m².

      Claro que teve, e esses "inteligentes", que o fizeram, simplesmente financiaram a construção, de forma mais acelerada, do bairro. Embora a um custo superior à realidade atual do bairro.

      É o que falo: tudo de ruim do bairro foi jogado no colo dos pioneiros. Não se enfeze só porque você faz parte desse grupo, pensa que por algum lado você fez algo de bom pra sociedade. A externalidade social ocasionada pelo seu prejuízo financeiro atual é maior que a perda de utilidade gerada para você.

      Olha que legal, você virou uma benfeitora social. Quem diria!!! rss

      Excluir
    4. Vai me dizer que não houve nenhum "ixpertalhão" que comprou imóvel no NW a R$12.000,00/m².

      Não. Não houve. Eu provei que quem comprou imóvel no NW pagou R$ 7.5k/m2, e hoje esses imóveis são vendidos a R$ 10 ou R$ 10.5k/m2.

      NINGUÉM comprou apto no NW a R$ 12k/m2. Isso quem fala são os duros e invejosos que não tem competência para comprar um imóvel no Noroeste, e então precisam viver de fantasias e mentiras na vã suposição que são muito "ixpertos".

      Sim...muito "ixpertos"....cuidando da vida dos outros e morando de alguel...

      Que povinho ridículo....dá um tempo...

      Excluir
  55. Bairros longe do Centro foram os que mais se valorizaram em SP em 2012
    SÃO PAULO - Os bairros distantes da região central da capital paulista foram os que mais valorizaram na passagem de 2011 para 2012, segundo revelam dados divulgados pelo Agente Imóvel.
    De acordo com o levantamento, no período, o campeão em valorização foi o bairro de São Domingos, na região do Butantã, cujo preço do metro quadrado passou de R$ 2.336,36, em 2011, para R$ 5.686,46, no ano passado, um aumento de 59%.
    O bairro de Vila Jacui, na região de Itaquera, foi o segundo que mais valorizou, com alta de 36%. No geral, segundo a pesquisa, o metro quadrado em São Paulo ficou 10,91% mais caro no ano passado, saindo de R$ 5.978,43 para R$ 6.630,53.

    Abaixo, a lista dos dez bairros que mais valorizaram entre 2011 e 2012.
    Valorizações do metro quadrado em 2012
    *Fonte: Agente Imóvel

    São Domingos R$ 2.336,36 R$ 5.686,46 59%
    Vila Jacui R$ 3.264,43 R$ 5.087,49 36%
    Cidade Líder R$ 3.112,34 R$ 4.667,95 33%
    Vila Prudente R$ 4.269,68 R$ 6.392,52 33%
    Santo Amaro R$ 7.040,45 R$ 10.252,83 31%
    São Mateus R$ 2.848,02 R$ 4.051,07 30%
    Pirituba R$ 4.210,28 R$ 5.881,32 28%
    Pari R$ 4.072,52 R$ 5.565,42 27%
    Liberdade R$ 8.557,33 R$ 11.099,05 23%
    Perdizes R$ 8.439,79 R$ 10.996,72 23%

    Desvalorização
    Na outra ponta, entre os bairros que perderam valor em 2012, estão Cangaiba (-18%), Bom Retiro (-13%) e Raposo Tavares (-11%).

    ResponderExcluir
  56. Andre Nascimento1 de junho de 2013 22:49

    Nos últimos dez anos, as facilidades na concessão de crédito e a expansão na renda elevaram consideravelmente o poder de compra dos brasileiros. Nesse contexto, as construtoras e incorporadoras, com o objetivo de aproveitar a explosão de uma demanda estagnada por anos, lançaram novos empreendimentos e estenderam suas atividades para novos cantos do país. Havia demanda de quem quisesse investir, alugar, morar, etc. Além disso, muitas delas, confiantes e embaladas pelo cenário favorável, abriram capital para financiar seus grandes e ousados projetos. O resultado disso é que surgiram, das metrópoles ao interior, diversos canteiros de obra e espigões em meio ao tecido urbano.
    Entretanto, a crise de 2008 abalou seriamente o setor da construção civil e a falta de crédito, decorrente da quebra do Lehman Brothers, acarretou a falta de recursos suficientes para a produção das unidades que já haviam sido vendidas. Outrossim, o mercado cresceu desordenadamente: o boom do crédito imobiliário seguido do aumento do poder de compra dos brasileiros chocou-se não só com a falta de serviços e profissionais suficientemente qualificados para atender a toda essa demanda, mas também com as falhas de planejamento e gestão por parte de algumas construtoras.
    As falhas de planejamento e gestão são explicadas de duas maneiras. Em primeiro lugar, a construção de imóveis para a baixa renda, que a princípio era aposta de um mercado promissor, provou-se o contrário. Duas das maiores construtoras brasileiras, com piores resultados, foram justamente aquelas que investiram na baixa renda com maior agressividade. Em segundo lugar, as grandes do setor fizeram parcerias que se mostraram desastrosas com construtoras locais para crescer fora da Região Sudeste. Outra grande construtora, citada em reportagem da Revista Exame, terceirizou 80% de suas obras, executadas por 11 parceiros regionais, mas não obteve sucesso.

    ResponderExcluir
  57. Andre Nascimento1 de junho de 2013 22:50

    Continuação...
    Em meio a esse cenário negativo, os salários mais que dobraram nos últimos quatro anos devido à falta de mão-de-obra qualificada, quando comparada ao aumento no número de empreendimentos. Somado a isso, há o aumento nos preços do material de construção, que fez o índice de preços da construção civil aumentar 34 % nos últimos quatro anos, quase 30 % mais que a inflação ao consumidor. Os gastos crescerem progressivamente.
    Ou seja, todo o frenesi que parecia justificado acabou em muita dor de cabeça, desconfiança e insegurança tanto para as construtoras e incorporadoras como também para os consumidores que sonhavam em adquirir um imóvel próprio, mas que agora amargam atrasos infindáveis no recebimento das chaves.
    Em 2011, ano que pode ser considerado o pior da história recente do setor, os reflexos desse cenário impactaram em boa parte das companhias. Foi uma grande construtora que apresentou, segundo a Revista Exame, o maior prejuízo entre as S.A brasileiras, quase um bilhão de reais. Já as demais gigantes do setor viram seu resultado encolher em relação ao ano anterior. Ademais, as ações de construção civil foram o destaque negativo absoluto da Bovespa — o valor de mercado das 17 empresas do setor caiu 39%.

    ResponderExcluir
  58. Andre Nascimento1 de junho de 2013 22:50

    Continuação...
    A queda é resultado de um movimento brusco inédito no desempenho operacional das construtoras, que têm, hoje, as piores margens de lucro desde 2007. Além do lucro reduzido, as construtoras viram seu nível de endividamento passar de 29%, em 2008, para 68%, em 2011, conforme notícia da Revista Exame. No final do ano passado, as ações da quarta maior construtora do país entraram numa espiral negativa por consequência dos maus resultados.
    Com a rentabilidade menor, dívidas numerosas e com diversas obras atrasadas, algumas empresas estão deixando seus clientes assustados e, sobretudo, preocupados com a possibilidade de um fiasco como aquele da falência da Encol, que deixou 42.000 clientes na mão em 1999.
    No mês passado, construtora mineira de renome, que está há 42 anos no mercado, requereu a recuperação judicial alegando crise no mercado imobiliário. A construtora possui uma dívida de R$ 67,5 milhões. Cabe ressaltar que a construtora não pode paralisar nenhuma obra, uma vez que a manutenção das obras é uma das condições da recuperação judicial.
    Já outra grande construtora mineira iniciou em 2012 o processo de Reengenharia Administrativa para a reestruturação de seus processos, com o objetivo de reduzir os custos e os inúmeros atrasos na entrega de empreendimentos, que tem dado prejuízo a elevadíssimo número de consumidores.
    Apesar da atual valorização dos imóveis em que, por exemplo, no Rio de Janeiro, o valor do metro quadrado aumentou 155% em três anos e em outras capitais, como São Paulo, Belo Horizonte, Brasília e Recife, experimentam euforia semelhante, algumas construtoras não conseguem sair dessa situação de crise uma vez que o ganho com a valorização dos imóveis tem sido insuficiente para compensar a alta nas despesas: a rentabilidade das construtoras listadas na Bovespa caiu 44% no ano passado.
    Como já se viu, uma das saídas que tem sido encontradas, é o requerimento da recuperação judicial. Com essa medida, as construtoras tem conseguido alongar os prazos de pagamentos de créditos de fornecedores de materiais e alguns créditos bancários, que não contém garantia real, o que lhes tem garantido a folga necessária para tentar equalizar suas contas.
    As construtoras, assim como qualquer empresa, que se utilizarem do instituto da recuperação judicial, não devem se esquecer de que empréstimos bancários com garantia (por ex. a alienação fiduciária) ou os contratos de leasing não estão sujeitos aos efeitos da recuperação judicial, exceto quanto a suspensão dos processos pelo prazo de seis meses.
    Se para algumas construtoras e para os acionistas a situação não está nada fácil, para os consumidores está ainda pior. Segundo dados da Revista Exame, calcula-se que mais de 800.000 famílias estejam vivendo o maior drama para quem compra um imóvel na planta: o atraso na entrega das chaves. O número de reclamações por atraso nunca foi tão grande.
    Os consumidores, incluindo famílias e recém-casados que sonham com um apartamento próprio, sofrem com a demora e com os atrasos na entrega das chaves. Muitas construtoras continuam, entretanto, lançando novos projetos e novas obras, agindo com negligência e irresponsabilidade perante o consumidor.
    A estes consumidores resta trilhar o caminho, muitas vezes lento e penoso, do judiciário, ingressando com ação para cobrança de danos materiais (principalmente, se não quiser rescindir o contrato, receber os aluguéis pagos em outros imóveis durante o período de atraso na entrega do imóvel adquirido ou, se quiser rescindir, receber a multa contratual que já tem caráter compensatório), morais (em decorrência do sofrimento tido com o atraso na entrega do imóvel, inclusive frustração ou adiamento de sonhos) e cominação de multa diária pelo atraso na entrega do mesmo imóvel.

    ResponderExcluir
  59. Há tempos que o setor industrial brasileiro não anda lá essas coisas e a construção civil não foge à regra.
    Muito por conta disso, os maiores prejudicados são os consumidores.
    Além dos problemas já relatados acima, como atraso de entrega e obras mal acabadas, não esperem queda de preços.

    ResponderExcluir
  60. As notícias boas do mercado imobiliário acabaram? Sinal que as coisas estão péssimas. O pessoal no Setor Noroeste está com muita raiva de alguns corretores de imóveis, que prometeram valorização, que agora não veio. A briga está feia. E só vai aumentar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conte-nos detalhes dessa "briga". Quem está batendo em quem?

      Excluir
  61. Pois é Kkkkkkássia... Um mês sem atualizar o blog. Estão faltando boas notícias no mercado imobiliário ou você tá sem tempo pra atualizar?
    Se é por falta de tempo, imagino que deve estar gastando-o pra tenter repassar o seu mico bolhudo no setor noroeste.

    ResponderExcluir
  62. Kássia, está na hora de atualizar as fotos do setor noroeste pois as estão do blog são do mês de fevereiro e nos estamos em junho.
    aproveitando para solicitar a instalação de energia publica no setor.
    Kássia, o que faço pois comprei um imóvel no noroeste de 78,15, levei um arquiteto para medir e só tem 71,20.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A vaga de garagem, se houver, conta como área do apartamento.

      O IPTU incide sobre área do apartamento + área da vaga de garagem.

      Excluir
  63. Comprei um apartamento na planta, no Noroeste, no meio de fevereiro. Paguei 9K pelo metro quadrado. Foi um bom preço?

    ResponderExcluir
  64. A verdade é que o Noroeste não é pra qualquer um. Fracassados não têm lugar ali. É para pessoas que tiveram sucesso na vida, pessoas que deram certo. Os fracassados não têm alternativa: só lhes resta torcer para o desastre alheio, o que, certamente lhes traria algum prazer e conforto. São doentes.

    ResponderExcluir
  65. Quem compra imóvel sempre ganha. Pior seria ter que vender algum bem por estar em situação financeira desastrosa.

    ResponderExcluir
  66. Olha o q saiu no correioweb...http://www.jornaldebrasilia.com.br/site/noticia.php?terracap-vai-implantar-servia%A7os-de-infraestrutura-no-setor-noroeste&id=514701

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é só um termo de compromisso... 1 ano pra fazer o que não fizeram em quantos? tem um comentário lá dizendo que "águas claras não tem aterramento" e a terracap alega não ter dinheiro pra fazer isso, mesmo tendo projeto pronto... outros bairros de brasília, até mesmo asa sul, o mais antigo, não tem infraestrutura tão boa quanto prometem no noroeste, o governo não mantém direito nem a iluminação do parque da cidade, obviamente o tal burle marx será feito a passo de tartaruga só pra manter sempre acesa a chama da esperança... os preços do noroeste vão ter que cair na real pois agora com imóveis prontos ninguém vai alugar ou comprar por preço irreal sem infraestrutura básica

      Excluir
  67. Infelizmente nem sempre ganha quem compra imóvel. Às vezes, quando se compra mal, se perde e muito.

    ResponderExcluir
  68. Colegas, às vezes me pedem indicação de advogado para ação de rescisão de contrato,, acho que pelo sucesso da minha. Vou indicar a minha, gostei do profissionalismo. O que mais gostei é que ela atendeu à todos os meus telefonemas, ao contrário de muito doutor que tem o rei na barriga por ai. O nome dela é Dra. Cláudia (61) 8407-4174. O escritório fica no Setor de autarquias sul.

    ResponderExcluir
  69. Advogados especialistas em distrato
    CONTATO:

    Edereço: SRTVS, Quadra 701, Edifício Palácio da Imprensa, Bloco I,
    Salas 205/206.
    e-mails: carlos@avsadvogados.com.br
    carla@avsadvogados.com.br
    contato@avsadvogados.com.br
    sítio: www.avsadvogados.com.b
    telefones: (61) 32250306 / 32010306 / 32020306

    ResponderExcluir
  70. A crise chegou e o preço do metro quadrado desabou... Estou me sentindo o "esperto" citado no texto, principalmente por que vou comprar mais barato que o valor no início corrigido pela inflação. No final o negócio vai ser melhor.

    ResponderExcluir

Observação: comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões) ou conteúdo ofensivo, racista, homofóbico ou de teor neonazista ou fascista (e outras aberrações do tipo) serão apagados sem prévio aviso.