segunda-feira, 3 de outubro de 2016

PSDB bomba nas eleições de 2016: eleitos 791 prefeitos

O PSDB consolidou a sua força nas urnas neste domingo (2), durante as eleições municipais de 2016: elegeu 791 prefeitos em todo o Brasil. O partido é o segundo maior no número de prefeitos e evoluiu de maneira expressiva na comparação com a última eleição municipal. Em 2012, o PSDB conquistou 686 prefeituras. Neste ano, foram 105 a mais.


Além de eleger dois prefeitos de capital no primeiro turno - João Doria em São Paulo (SP), com 53,29% dos votos, e Firmino Filho em Teresina (PI), reeleito com 51,14% dos votos -, o PSDB também disputará o segundo turno das eleições em oito capitais brasileiras. Em Belém (PA), o prefeito Zenaldo Coutinho seguiu para o segundo turno com 31,02% dos votos.



A disputa será contra o candidato Edmilson Rodrigues (PSOL), que recebeu 29,50% dos votos. Em Belo Horizonte, o tucano João Leite recebeu 33,40% dos votos, e disputará o segundo turno com Alexandre Kalil (PHS), que obteve 26,56%.

Na capital do Mato Grosso do Sul, Campo Grande, a atual vice-governadora Rose Modesto seguiu para o segundo turno com 26,62% da preferência dos eleitores. Seu adversário será o candidato do PSD, Marquinhos Trad. Em Cuiabá (MT), o tucano Wilson Santos, que recebeu 28,40% dos votos, enfrentará Emanuel Pinheiro (PMDB).

A capital alagoana, Maceió, votou em peso no atual prefeito, Rui Palmeira (PSDB). Com 46,86% da preferência dos eleitores, o tucano disputará o segundo turno contra Cícero Almeida, do PMDB, que teve 24,73% dos votos. Já em Manaus (AM), o prefeito Artur Neto (PSDB) conquistou 35,17% dos votos, e enfrentará Marcelo Ramos (PR) no segundo turno. O adversário recebeu 24,86% dos votos.

Porto Alegre (RS) escolheu Nelson Marchezan Júnior (PSDB) para disputar o segundo turno. O tucano recebeu 29,84% dos votos. Em segundo lugar, ficou Sebastião Melo, do PMDB, com 25,93% dos votos. Em Porto Velho, capital de Rondônia, o favorito foi Hildon Chaves (PSDB). Com 27,20% dos votos, o tucano vai enfrentar no segundo turno o candidato Léo Moraes (PTB).

Neste primeiro turno, o PSDB elegeu ainda uma vice-prefeita em Palmas (TO), a tucana Cinthia Ribeiro, companheira de chapa de Carlos Amastha (PSB), que conquistou 52,38% dos votos. O partido também terá candidatos a vice-prefeito no segundo turno em outras três capitais. Em Curitiba (PR), o tucano Eduardo Pimentel concorre na chapa de Rafael Greca (PMN), que venceu o primeiro turno com 38,38% dos votos. Em Goiânia (GO), o candidato a vice é Thiago Albernaz, que integra a chapa de Vanderlan Cardoso (PSB). Já em Florianópolis (SC), o tucano João Batista é vice na chapa de Gean Loureiro (PMDB), que conquistou 40,39% dos votos e concorrerá contra Angela Amin (PP), que obteve 24,57% dos votos.


Além das capitais, O partido venceu também no primeiro turno em outros 11 municípios com mais de 200 mil eleitores: os paulistas Itaquaquecetuba (com Dr. Mamoru), Barueri (Rubens Furlan), São José dos Campos (Felício Ramuth), Praia Grande (Alberto Mourão), Piracicaba (Barjas Negri), Taboão da Serra (Fernando Fernandes), Mogi das Cruzes (Marcus Melo), Santos (Paulo Alexandre Barbosa), na cidade mineira de Governador Valadares (com André), na cidade paraense de Ananindeua (com Manoel Pioneiro), na cidade gaúcha de Pelotas (com Paula Mascarenhas) e na cidade paraibana de Campina Grande (com Romero Rodrigues).

O partido disputa também o segundo turno em outras cidades com mais de 200 mil eleitores: Blumenau (SC), com Napoleão Bernardes; Caucaia (CE), com Eduardo Pessoa; Contagem (MG), com Alex de Freitas; Franca (SP), com Sidnei Franco da Rocha; Jundiaí (SP), com Luiz Fernando Machado; Ribeirão Preto (SP), com Duarte Nogueira; Santa Maria (RS), com Jorge Pozzobom; Santo André (SP), com Paulo Serra; São Bernardo do Campo (SP), com Orlando Morando; Vila Velha (ES), com Max Filho.

Derrocada petista

Já o Partido dos Trabalhadores teve nestas eleições o seu pior desempenho nas capitais em vinte anos. Desde 2004, o partido tem perdido quadros nas principais cidades do país. Naquele ano, foram nove prefeitos eleitos em capitais. Em 2008, foram cinco, e nas últimas eleições, em 2012, o número caiu para quatro. O envolvimento dos principais líderes do partido em esquemas de corrupção, assim como o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, conduziu o PT ao seu pior resultado: neste ano, a sigla conquistou apenas uma capital no primeiro turno, Rio Branco (AC), e conseguiu se qualificar para o segundo turno apenas em Recife (PE).

Se o PT não conseguir a prefeitura da capital pernambucana, será o pior resultado do partido desde 1985, ano em que conquistou apenas uma cidade: Fortaleza (CE). No resto do país, a legenda, que recebeu o maior número de votos em 2012, elegeu apenas 256 prefeitos, uma queda de 59,4%. É o décimo partido no ranking.

6 comentários:

  1. Kassiaaaaaa,

    O Brasil está saindo de uma ditadura vermelha para uma ditadura roxa (meio caminho entre vermelho e azul).

    PSDB, blargh, social democratas = ESQUERDA!!!!

    blargh.

    Fala sério. PSDB NÃO É UMA OPÇÃO AO PT.

    Duas b#st@s que tem semelhança genética de uns 80%.

    Pro Brasil sair da POBREZA e todos nós miseráveis podermos comprar APs no Noroeste só com saídas liberais.

    Social Democracia também é péssima para gerar riqueza. Ela é boa para diminuir desigualdades, mas gerar riqueza é incompetentíssima.

    O PSDB é uma boa opção de livramento, redenção, mas não é a alternativa válida final.

    ResponderExcluir
  2. Já ouviu o João Dória falar ou discursar? Viu suas propostas?
    Seria bom se inteirar antes de falar que o PSDB tem essas ideias anacrônicas.

    ResponderExcluir
  3. João Dória é tão PSDB, tão PSDB que o próprio partido não gosta dele por não ser PSDB suficientemente.

    Gerou altos divórcios na cúpula PSDB paulistana. Vai provocar até a migração do Serra pro DEM.

    Cá pra nós, o Dória não é liberal o suficiente. Diria uns 45% só, hahaha.

    Ele está mais aprumado em direção à um comportamento social democrata.

    Ele prometeu que vai distribuir creche, escola e hospital por aí feito o Freixo e o Crivella prometem distribuir dinheiro pra pobre aqui no Rio. Como se a máquina orçamentária, financeira e licitatória das prefeituras fossem infinitas e perpétuas.

    Todo mundo está com uma expectativa muito grande com o Dória. O cara vai ter que trabalhar muitooooo porque tá todo mundo de olho e na ansiedade.

    Mas quem promete o que é impossível já começa esquerdando. Social Democrata = ESQUERDA.


    TUCANADA = Esquerda de Azul.

    Vamos passar mais 10 anos sem poder comprar imóveis no Noroeste. Vai ter que se contentar com suas comissões incidindo sobre margens e não sobre volume. Só que....em época de mercado desaquecido, não acredito que se possa expandir muito as margens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse radicalismo ultraliberal é tão idiota quanto o da esquerda.

      Excluir
    2. E sobre a "ruptura" no PSDB paulista. Primeiro que o PSDB deu exemplo para o Brasil fazendo prévias. Segundo que a divergência é saudável e importante. Terceiro que rompeu tanto que o Andrea Matarazzo está voltando para o PSDB.
      Se informe melhor.

      Excluir
  4. Que nada!!

    Bom mesmo é o Rio de Janeiro.

    A gente tá benzão ó!!!!!

    Qualquer das opções, a cidade tá bem bem bem bem bem.

    E aí, acha que mudamos nosso nome pra que? Nova Detroit ou Nova Caracas? rs

    ResponderExcluir

Observação: comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões) ou conteúdo ofensivo, racista, homofóbico ou de teor neonazista ou fascista (e outras aberrações do tipo) serão apagados sem prévio aviso.