sábado, 26 de maio de 2018

A esquerda idiota está com inveja dos caminhoneiros

Uma das coisas mais divertidas de acompanhar nessa greve dos caminhoneiros é como a esquerda está estupefata com esse movimento - considerado pelos idiotas esquerdinhas como "de direita".

A esquerda idiota está com inveja dos caminhoneiros

E é mesmo. Caminhoneiro é de direta! Os caras apoiam o Bolsonaro, e já bateram em babadas de CUT e MST que tentaram entrar nas manifestações. Nos grupos de WhatsApp dos caminhoneiros, eles se vangloriam que a população apoia o movimento porque não tem "CUT, MST e nem gritos de "Lula Livre".

A esquerda idiota está com inveja dos caminhoneiros

Mas tem uns mais alucinados esquerdistas que estão com inveja da proximidade da direita com os caminhoneiros. E estão escrevendo artigos dizendo que sindicato de professores, como a APEOESP, não serve para nada. Porque? Simples: Porque você não para um país com greve de professores de rede pública. O máximo que você consegue com isso é prejudicar os estudantes de escola pública. Ah! Descobriram a América!

A esquerda idiota está com inveja dos caminhoneiros

Os esquerdistas estão com inveja que o Governo Federal, com 5 dias de greve, chamou todos os líderes dos caminhoneiros para a Brasília para negociar! Enquanto isso, governos estaduais mandam polícia para os grevistas professores.

Alguns idiotas de esquerda agora acham que podem e devem "disputar ideologicamente" os sindicatos de caminhoneiros. Que babacas! Primeiro que não tem sindicato organizado para aparelhar. Segundo que não tem mais imposto sindical para bancar os vagabundos. E terceiro, que essa conversinha do século XIX de sindicalista de esquerda só engana idiotas, e não quem está no setor produtivo.

Riam do "manifesto" abaixo de esquerdistas com inveja dos caminhoneiros. kkkkk

APOIAMOS, CONTRA A SANDICE DA "ESQUERDA"

"Caminhoneiros não são confiáveis"; "caminhoneiros são reacionários"; "caminhoneiros são alinhados ao patronato"; "caminhoneiros têm histórico de locaute"; "caminhoneiros foram a favor do golpe!"; algumas das colocações feitas pela "esquerda" para desqualificar a greve da categoria.

Só lunáticos colocam caminhoneiros, uma das categorias mais precarizadas do mundo, incluindo má alimentação, falta de sono e de segurança, excesso de horas de trabalho e distância da família, no mesmo balaio dos donos dos meios de produção, como representantes do status quo.

Caminhoneiros não são próximos da direita: A DIREITA é próxima dos caminhoneiros. No mundo inteiro. Fenômeno casual? Não, estrategicamente direcionado. Trata-se de uma categoria-chave para a engrenagem do capitalismo, e são monitorados de perto. Há uma enorme preocupação da burguesia em manter todos os setores dos transportes no cabresto, e já que agradá-los custaria dar-lhes condições dignas de trabalho, o que está fora de cogitação, o jeito é mantê-los ideologicamente alinhados.

Quem tem contato com sindicatos sabe como as atuações são distintas dependendo da categoria. Vocês NUNCA verão a direita preocupada em disputar, ou mesmo em marcar presença, num sindicato de professores. Categoria improdutiva, suas greves de 90 dias afetam apenas a formação de crianças e adolescentes pobres, construção subjetiva, já amplamente prejudicada pelo sucateamento do ensino público brasileiro, com os professores trabalhando ou não.

Enquanto isso, a "esquerda" se contenta exatamente com os sindicatos de fácil acesso, os que a direita não quer porque não precisa (e não pensem que é aleatório: há conchavos deliberados que delimitam os campos de atuação de cada uma). Aparelha-os em meio a uma ferrenha luta intraesquerdista e os conduz com táticas importadas dos setores produtivos, sem nenhuma eficácia ou especificidade de categoria (vide as greves da APEOESP).

Falam em GREVE GERAL sem os caminhoneiros? Sem os transportes? Ficaram loucos. Não acreditam no que pregam. Adormeceram no próprio oportunismo.

Some-se a isso a falsa dicotomia gerada por governos que atuam sob uma falsa égide progressista, e que perante os levantes contra si acusam os trabalhadores de "fascistas", e você terá muita coisa explicada.

"Mas a polícia não reprime a greve! Tem coisa estranha aí..."

O governo burguês tem pavor de caminhoneiros. Estão sentando à mesa para negociar, pedindo trégua publicamente, baixando taxas emergencialmente... Acham mesmo que soltarão a polícia em cima dos caras? Isso é só mais um indicativo do alto poder de pressão das categorias que compõe o setor dos transportes.

"Mas o MBL apoia essa greve! Tem coisa errada!"

É claro que apoia. Os liberais sabem onde e com quais categorias a água lhes bate na bunda. A esquerda deveria disputá-las e fazer intenso trabalho de base, mas abdica e entrega-as numa bandeja ao inimigo.

Na toada em que está, com a inépcia atual, não poderemos reclamar quando o movimento, ainda sem viés ideológico hegemônico, guinar totalmente à direita e o que poderia ser o prelúdio de uma GREVE GERAL se tornar um enorme dragão de clamor por privatizações.

Independentemente dos interesses escusos e da maledicência da direção, esse movimento de greve é um marco: o primeiro na era pós-impeachment e o primeiro a ter as políticas de Michel Temer na mira, como alvo específico.

A esquerda sem aspas, ao invés de fazer coro aos necrogovernistas — como se o governo Dilma fosse o suprassumo da luta pelos direitos dos trabalhadores e todos aqueles que se opuseram a ele fossem nazifascistas incorrigíveis —, deveria dar amplo apoio, varrer o MBL do picadeiro e gerar a contradição concreta no interior do movimento. Criar fatos políticos ao invés de assisti-los. Deixar claro aos trabalhadores que foram as políticas neoliberais de Temer, com novas regras de precificação do combustível sem regulação estatal, que fizeram a festa dos cartéis empresariais dos donos de postos de gasolina.

Menos "análise de conjuntura" e mais ação. Quem participa ativamente dos processos não precisa se preocupar em adivinhar qual rumo eles tomarão.

Uma GREVE GERAL depende dos transportes, e eles estão mostrando um grande poder de mobilização. "Estão na coleira da direita!", e quem vai tirá-los de lá? Seus posts críticos nas redes sociais?

Um "FORA TEMER!" bradado ao lado de um caminhão parado vale mais que 1 milhão de "hashtags" e "emoticons de vômito" no facebook.

APOIAMOS A GREVE DOS CAMINHONEIROS CONTRA OS AUMENTOS DOS COMBUSTÍVEIS DO GOVERNO TEMER! CONSTRUAMOS, JUNTOS, A GREVE GERAL!

Não temos o rabo preso com ninguém.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões) ou conteúdo ofensivo, racista, homofóbico ou de teor neonazista ou fascista (e outras aberrações do tipo) serão apagados sem prévio aviso.