quinta-feira, 28 de março de 2013

Crédito imobiliário avança 15,7% em relação a 2012

Mais uma má notícia para quem está esperando mercado imobiliário e preços em queda. Segundo nos informa o Correio Braziliente, em notícia do site Lugar Certo, nos dois primeiros meses deste ano, o crédito imobiliário somou R$ 12,5 bilhões, valor 15,7% acima do volume contratado no mesmo período do ano passado.


Esses dados foram foram divulgados no dia 27 de março pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), que apontou também que entre março de 2012 e fevereiro de 2013 os empréstimos para a aquisição e construção de imóveis, utilizando recursos da poupança, somaram R$ 84,5 bilhões, 4,4% superior aos 12 meses anteriores.


O volume de empréstimos em fevereiro de 2013 atingiu R$ 5,8 bilhões, o que representa um evolução de 13,8% sobre feveiro de 2012.

Entretanto, o crédito maior está financiando menos unidades: entre janeiro e fevereiro de 2013, 64,9 mil imóveis foram financiados, número pouco maior que o primeiro bimestre de 2012, quando foram financiadas aquisições e construções de 64,6 mil unidades - uma evolução de apenas 0,46% sobre o mesmo período de 2012.

Fipe-Zap


Ou seja, temos um volume financeiro de crédito imobiliário no primeiro bimestre de 2013 15,7% maior que o mesmo perído de 2012, mas financiando apenas 0,46% mais unidades. Isso mostra uma evolução média nos preço de 15,2%.

Fipe-Zap janeiro de 2013 x janeiro de 2012

Em termos comparativos, o índice Fipe-Zap variou 13,43% no mesmo período, evidenciando que o indicador de preços usado no mercado brasileiro pode estar subestimando a variação real dos preços imobiliários.



19 comentários:

Anônimo disse...

Substimado? Não era você a paladina da língua portuguesa, que na menor troca de s por z chamada os outros de analfabetos funcionais? rsss Sobre a reportagem, aproveite e compre mais um rssss

Roberto disse...

Kássia, eu concordo com vc que não haja uma bolha imobiliária no Brasil, pelo menos não de forma generalizada. Se a construção e o crescimento de preços estivessem no mesmo ritmo de antes, acho que até seria possível que isso acontecesse, mas os lançamentos diminuíram e os preços estão mais estáveis na maioria das regiões.
A conclusão que vc chegou a partir desses dados contudo é discutível. O avanço de crédito pode significar simplesmente que uma parte maior dos imóveis negociados está sendo financiada ou que têm sido vendidos imóveis de uma categoria mais cara.

Anônimo disse...

O primeiro comentarista que concorda com a Kassia. Este dia é histórico. Kkkkkkk. Os preços não vão cair, eles vão despencar. Roberto e Kassia expliquem os prejuízos de bilhões das construtores domo pode no auge dos preços as empresas estarem dando prejuízos recordes.

Roberto disse...

Hahhahaaa. Eu não sou o primeiro que concorda com a Kássia, talvez o primeiro não corretor de imóveis que concorda com ela aqui no blog, mas certamente não sou a única outra pessoa que duvida da existência de uma bolha imobiliária. Também não sou economista e o que aprendi sobre o assunto foram sobre as matérias postadas sobre o assunto no blog da bolha imobiliária, aqui e observando o mercado imobiliario de porto alegre.
Acho que o prejuízo das construtoras não é explicado somente por diminuição de vendas ou queda no preço dos imóveis. Reflete também o aumento de custo e má administração, tanto que não foram todas as construtoras que deram prejuízo e algumas melhoraram o balanço. Se o custo aumentou, é porque uma parte do aumento do preço dos imóveis é real. Poderíamos utilizar o mesmo raciocínio para um argumento contrário. Se com imóveis caros, as construtoras estão tendo prejuízo até que ponto elas estão tendo tanto lucro na diferença entre custo e preço de venda?

Anônimo disse...

A percepção ou existência de bolha varia de lugar para lugar. Acho que em POA a possibilidade de bolha é menor, não é um local com tanta especulação como Rio e SP.
Acredito que os preços atuais não são sustentáveis, mas não acho que os valores vão despencar, teremos aqui o chamado soft landing, isso porque temos aqui uma inflação muito alta que vai comer o sobrepreço, eu diria que a inflação de quem pode pensar num imóvel de R$1 milhão ronda os 15% ao ano. Ou seja, o proprietário investidor que hoje pede R$1 milhão no seu imóvel não vai conseguir vender, mas não vai abaixar o preço. Daqui a dois anos ele vende por R$1 milhão, só que o valor futuro de R$1 milhão após dois anos de inflação em 15% é de R$1.322. Se ele vender o imóvel por R$1 milhão ele vai estar dando um desconto de 24% sobre o valor original que pedia, mas nem vai perceber isso. Psicologicamente ainda vendeu por 1 milhão!
A única possibilidade de haver um estouro rápido nesta bolha é uma crise ou um choque na economia como desemprego e juros em alta.

Anônimo disse...

olá, kassia, sou morador do noroeste, então voce sabe me dizer quando será instalado a energia publica no bairro. paga um condonimio de 600(seiscentos reais) e so tem barro,nao consigo se guer entra na garagem do predio, voce nao acha isso um absurdo?

Anônimo disse...

Pra haver uma crise no mercado imobiliário é necessário uma alteração na taxa de juros, e essa alteração na TR não deve acontecer tão cedo. O governo do PT está mirando a reeleição da Dilma. Se houver aumento dos juros, isso só vai acontecer em 2015.

Kássia Tavares disse...

Não, cara, você não é um morador do Noroeste. Você é um bosta, um duro, que não deve ter dinheiro nem para comprar uma vaga de garagem no Noroeste, e acha que pode reduzir sua frustração e seu complexo de inferioridade destilando ranço e inveja na Internet. Deixa de ser mané, cara. Se vc tivesse dinheiro para morar no Noroeste, não estaria aqui fazendo esse papelzinho ridículo. Mané.

Kássia Tavares disse...

"nao consigo se guer entra na garagem do predio"

Tem mais: o dialeto no qual você tenta se expressar denuncia sua qualidade de analfabeto funcional. Analfabetos funcionais não têm dinheiro (e jamais terão) para morar no Noroeste. Então só lhes resta destilar inveja nesse tipo de dialeto que eles acham que é Língua Portuguesa....kkkk
Mané....

Roberto disse...

Moro na mesma cidade e concordo plenamente com a sua percepcao. Nos ultimos 2 anos as vendas cairam bastante, os precos estao subindo menos e em imoveis usados com mais de 10 anos ja estao surgindo ofertas mais interessantes. Os imoveis novos em predios com boa infra-estrutura acredito ainda estejam subindo um pouco de preco, pelo menos na tabela.
Acho que tambem bairros estao valorizados fora da proporcao, como o Jardim Europa por exemplo.
O que descrevestes em relacao a imoveis e inflacao acredito que jah esteja acontecendo com outras formas de investimento, compativel com um cenario de baixo crescimento economico e inflacao nao controlada.

Anônimo disse...

Tenho lido este blog ha algum tempo e admiro a forma que a autora defende as suas ideas. E claro mesmo com este governinho neo comunista ainda estamos em uma democracia, onde podemos dizer o que pensamos!

Minha familia sempre investiu em imoveis, portanto desde crianca sempre escutava as conversas em relacao ao tema. Aos 18 anos tirei meu cerificado de T.T.I. Sou formado em Economia e Direito( apesar de odiar esta area) e tenho um MBA na Usp ,portanto acho que posso realizar um comentario sendo o minimo imparcial

Na juventude perdi o meu pai e trabalho desde entao no escritorio da familia na area imobiliaria

Ja existiram outros momentos como este e me lembro bem no final dos anos 80, com grande inflacao onde se comprava qualquer imovel para proteger o dinheiro e com a especulacao dos flats no final dos 90 inicio dos 2000, porem nao foram tao violentos como agora.

Ja tivemos imobiliaria por um curto periodo ( desistimos porque alguns caras de pau de corretores usavam nossa estrutura e nao dividiam a comissao)

Depois do fim da inflacao nos anos 90, abandonamos a area de locacao residencial devido a maldita lei do inquilinato que protege os locadores residenciais.

Hoje trabalhamos com locacao de imoveis comerciais e hotelaria.

Mas sinceramente se a coisa neste pais continuar neste patamar. Estara estimulando investidores do nosso tipo a investir em outros pais, pois esta inviabilizando os negocios.

A ninguem interessa o aumento infinito dos precos dos imoveis, pois desestabiliza toda a cadeia produtiva como agora. Alem disto inviabiliza novos investimentos.

Concordo que no inicio dos anos 2000 se comprava muito imovel abaixo do preco de construcao.

Mas os precos de agora no minimo sao suspeitos.

E uma falacia que a renda aumentou de forma significativa. Aumento para quem ganhava 1 ou 2 salarios minimos ( o salario minimo era de 100 reais e agora e 600), mas nao para profissionais formados em faculdade, que tiveram um aumento nos ultimos 10 anos de cerca de 100% ou seja que ganhava 3000 hoje ganha 6000.

No nosso hotel subimos o padrao de 3 para 4 estrelas, claro fazendo grandes investimentos para isto e consequentemente aumentamos os precos. Resultado perdemos todos os clientes anteriores.

Se a renda tivesse realmente aumentado isto nao teria acontecido.

Outro ponto, no ultimo ano perdemos varios inquilinos comerciais e nao estamos conseguindo aluga-los nem pelo preco anterior! Nao existem nem propostas.

Muita gente se endividou para comprar imoveis e nao vai conseguir honrar os pagamentos.

Portanto uma hora a atual situacao vai se inverter, os ciclos economicos sempre ocorrem, assim como o ciclo da vida, nascemos, vivemos e morremos.

Anônimo disse...

Prezados senhores, mais uma amostra de "argumentum ad hominem" desta pseudo analista de mercado. Não atacou "se guer" (SIC) a ideia, apenas o ser humano, como se todos os de boa renda fossem altamente especializados e estudados. No país de onde ela vem não deve existir jogador de futebol, por exemplo, ricos e bem sucedidos, porém analfabetos funcionais.

Kássia Tavares disse...

O erro não está apenas no "se guer", mas principalmente no tempo do verbo "entrar", grafado como "entra". O analfabeto que tenta se expressar aqui tentando escrever como ele fala. É óbvio que um sujeito desse, analfabeto funcional, não tem como dispor de recursos para comprar um imóvel no Noroeste, nem mesmo com os preços mais baixos. Então ele está aqui apenas destilando inveja e ressentimento, querendo dizer que o bairro que ele tanto sonha e jamais conseguirá comprar não é bom.
O que os analfabetos funcionais e demais invejosos não percebem é que o valor do Noroeste não reside na infraestrutura, mas em sua localização privilegiadíssima.
A infra será resolvida mais cedo ou mais tarde, quando esse poço de incompetência que é o governo petralha do DF for devidamente defenestrado.

Nélio Oliveira disse...

"Mas sinceramente se a coisa neste pais continuar neste patamar. Estara estimulando investidores do nosso tipo a investir em outros pais, pois esta inviabilizando os negocios."

E esse analfabeto funcional aqui, Kássia? Se diz formado em Economia E em Direito, mas escreve errado como um corretor de imóveis... rs...

Anônimo disse...

Acho isso um absurdo. Presto serviços de TI para vários empresários que mal sabem ler e escrever. Portugueses, italianos, espanhóis, nordestinos, paulistanos, etc.
Possuem alto nível de gestão e profissionalismo, onde nem mesmo muitos doutorados possuem. São bem mais educados e humildes.
Achei seus comentários desprezíveis e dignos de pena, que só demonstra o quão limitada e superficial você é.
Pesquise um pouco sobre a história de grandes empresas e marcas nacionais e você se surpreenderá.

Anônimo disse...

como vc eh arrogante dona kassia. tem muito empresario que nao tem estudo mas tem dinheiro. e mais tem educacao e valores morais. respeito ao ser humano. coisa que vc passa longe pela sua arrogancia. nasca de novo minha filha.

Anônimo disse...

Ahahahaha Essa Kassia eh mesmo uma piada!

O que tem de gente com 3o grau e escreve errado nao 'ta no gibi'!!
Pelo visto ela nao se tocou que o Brasil continua sendo o pais do quase:
agora vai, agora vai... e... muito oba-oba e pouco planejamento! Enquanto continuarem a ser imediatista e populista (modo petralha) vai ser isso ai!

Resta saber quanto tempo vai durar o voo de galinha (especialidade brazuca de crescimento economico) da construcao civil!!!

Nao precisa me responder, eu sou mesmo duro e nao quero morar no Noroeste!! Respeito quem gosta, mas num ten intinzao de mura in Brasila!

Anônimo disse...

Kássia, vai estudar, pare de tentar ludibriar as pessoas com conversas sobre o bairro 'noroeste" ou far roeste. kkkkk
você que empurrar imóvel em todo mundo.
acho que você via tentar ressuscitar o "will"
bom com relação a energia por você não vai atrás ou vc também vai dizer que está sendo instalado so que o fios são subterrâneos uuuuu.
enfim... você faz compras em maiami para revender aqui??kkkkkkk....

Anônimo disse...

quanto deste dinheiro foi para construtoras e quanto foi para pessoa física para adquirir o imóvel???

Postar um comentário

Observação: comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões) ou conteúdo ofensivo, racista, homofóbico ou de teor neonazista ou fascista (e outras aberrações do tipo) serão apagados sem prévio aviso.

alert('Olá prazer em conhecê-lo!'); alert('Olá ' + comment.authorUrl + ', prazer em conhecê-lo!');