sábado, 17 de novembro de 2018

Roberto Campos no BC: uma nomeação cheia de simbolismo

O economista Roberto Campos Neto aceitou um convite para se tornar o chefe do banco central do Brasil sob o governo do novo presidente, Jair Bolsonaro, e do futuro ministro da economia da nação, Paulo Guedes.

Roberto Campos e Roberto Campos Neto - criador e novo presidente do BC
Roberto Campos e Roberto Campos Neto - criador e novo presidente do BC
Campos Neto tem pós-graduação pela UCLA em Los Angeles e uma carreira de quase 18 anos no Santander, interrompida por um curto período em uma empresa de gestão de fundos hedge. Ou seja, tem credenciais acadêmicas para ser presidente do BC, mas o que define essa nomeação é o fato de que Roberto Campos Neto é neto de Roberto Campos (1917-2001), um dos mais importantes economistas liberais do Brasil, e com quem teve uma relação próxima.

quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Bolsonaro: prioridade zero é pensar na reeleição em 2022

Jair Bolsonaro ganhou a eleição. Parabéns! Foi um feito e tanto, mas agora o momento é de governar, e para manter o apoio popular, se ficar abraçado a teses exclusivamente de Direita irá fracassar, pois o Brasil é um país muito desigual e com muita pobreza. A população sente os efeitos da crise econômica e acha que isso é resultado da corrupção. E não é. A crise econômica foi decorrente das barbeiragens de Dilma/PT na condução da economia.


Então, Bolsonaro deveria se mirar no governo Lula 1, aquele de 2003/2006. Dizia-se que ele ganhou com a esquerda, mas governava com a direita (ao adotar uma política econômica ortodoxa, de ajuste fiscal, com o Meirelles no BC, etc). Agora, a situação é outra. A parte econômica está quase que equalizada, basta aprovar a Reforma da Previdência, como aspecto macro. O resto vai correr sozinho: crédito jorrando, a economia vai crescer (já está crescendo) e vai gerar empregos.

sábado, 27 de outubro de 2018

Bolsonaro x Haddad: IBOPE de sábado em 7 Estados

O IBOPE divulgou hoje as primeiras pesquisas presidenciais em sete Estados, mostrando que Jair Bolsonaro tem a preferência dos eleitores no Amazonas, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Roraima e Santa Catarina, enquanto o petista Fernando Haddad aparece em primeiro lugar no Rio Grande do Norte, e há empate técnico no Amapá.


No quadro abaixo comparados os votos válidos obtidos na apuração (veja aqui) do primeiro turno com o resultado da pesquisa do IBOPE (veja aqui) nesses Estados entre os dias 24 a 26 de outubro. No caso da apuração do primeiro turno, somamos, para efeito de contabilização de Direita, os votos válidos de Jair Bolsonaro, Geraldo Alckmin. Para a esquerda computados juntos os votos de Fernando Haddad, Ciro Gomes e Marina Silva.

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

DataFolha (25) trará empate entre Haddad e Bolsonaro

Eu já tinha apontado antes do segundo turno que Fernando Haddad era favorito no segundo turno. E, de fato, isso é o que está se materializando. A pesquisa do IBOPE desta semana já mostrou queda de 4 pontos entre os dois, e essa tendência irá se acentuar ainda mais na pesquisa do Data Folha de hoje (25/10), o qual estimo os resultados no gráfico abaixo.



Na situação acima, de votos totais, Haddad deve aparecer com 43%, enquanto Bolsonaro surgirá ainda numericamente à frente, com 44%. A tendência é de empate, mas com Haddad crescendo, e Bolsonaro caindo.

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Venezuela: mais uma vez, exemplo de democracia e participação cidadã!

O PT retirou do seu site, segundo a Folha de São Paulo (veja aqui), uma série de links de apologia da ditadura da Venezuela, entre os quais um dos mais eloquentes é o "Venezuela: mais uma vez, exemplo de democracia e participação cidadã!", de 16 de outubro de 2017. Ao se tentar acessar o link (http://www.pt.org.br/venezuela-mais-uma-vez-exemplo-de-democracia-e-participacao-cidada/) observa-se que a página não está mais lá.

Venezuela: mais uma vez, exemplo de democracia e participação cidadã!

Entretanto, o texto está também publicado no site do PT no Senado (https://ptnosenado.org.br/venezuela-mais-uma-vez-exemplo-de-democracia/), de onde tiramos e o reproduzimos na íntegra.

sábado, 6 de outubro de 2018

Haddad favorito vencerá Bolsonaro no 2º turno - saiba porquê

O 1º turno da eleição presidencial brasileira será amanhã, dia 07 de outubro de 2018, e neste artigo mostro os motivos pelos quais, no provável segundo turno, Fernando Haddad é favorito para vencer e recolocar o PT no Palácio do Planalto novamente a partir de 1º de janeiro de 2019.

Haddad favorito vencerá Bolsonaro no 2º turno - saiba porquê

O que torna Haddad favorito no segundo turno são os seguintes fatores: Dinheiro, apoios no segundo turno, capacidade do PT de avançar no segundo turno e o fato de o PT dominar as mensagens na TV como nenhum outro partido. Isso já foi mostrado nesta eleição pois o Haddad saiu de 4% no começo do 1º turno, para 28% às vésperas do segundo turno.

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Votar em Amoêdo, Meirelles ou Álvaro é colocar o PT no poder

As pessoas que estão inclinadas a votar em João Amoêdo, Henrique Meirelles, Álvaro Dias e Cabo Daciolo são os chamados "inocentes úteis" que estão fazendo o jogo do PT, e são os responsáveis diretos pela possível volta do PT ao Palácio do Planalto em 2019.


Ao votar nesses candidatos, o eleitor "inocente útil", parceiro involuntário do PT, divide o voto da Direita, e garante que o Fernando Haddad, com cerca de 15% ou 16%, vá para o segundo turno e vença a eleição no segundo turno. O PT quer enfrentar o Bolsonaro no segundo turno como fica claro no texto da jornalista petista Helena Chagas (veja aqui). O PT quer enfrentar o Bolsonaro no segundo turno, pois sabe que é o único que eles podem vencer.

sábado, 26 de maio de 2018

A esquerda idiota está com inveja dos caminhoneiros

Uma das coisas mais divertidas de acompanhar nessa greve dos caminhoneiros é como a esquerda está estupefata com esse movimento - considerado pelos idiotas esquerdinhas como "de direita".

A esquerda idiota está com inveja dos caminhoneiros

E é mesmo. Caminhoneiro é de direta! Os caras apoiam o Bolsonaro, e já bateram em babadas de CUT e MST que tentaram entrar nas manifestações. Nos grupos de WhatsApp dos caminhoneiros, eles se vangloriam que a população apoia o movimento porque não tem "CUT, MST e nem gritos de "Lula Livre".