quarta-feira, 11 de julho de 2012

Herança maldita petralha: México ultrapassa o Brasil

O Brasil e o México são as duas maiores economias da América Latina, disputando há anos o lugar de principal país da região. Disputa esta que está sendo perdida pelo Brasil, graças mais uma vez à monumental INCOMPETÊNCIA do (des)governo petralha que comanda o País já quase dez anos.

Cidade do México

O Brasil vai sediar a Copa do Mundo em 2014 e a Olimpíada em 2016, mas mesmo com os investimentos decorrentes desses dois eventos, o México vem dando um surra no Brasil quando se compara as taxas de crescimento da economia.

Enquanto a economia mexicana cresceu 3,9% em 2011, a economia brasileira não passou dos 2,7%. Em 2012 o vexame será maior ainda: as projeções apontam um crescimento da economia mexicana superior a 4%, enquanto o Brasil se chegar a 1.7% será motivo de comemoração.

O péssimo desempenho econômico do Brasil é atribuído a excesso de endividamento de consumidores, promovido pelo ex-presidente Lula para turbinar a candidatura oficial da atual presidente Dilma. Como se vê, Dilma e Lula se deram bem, enquanto o Brasil vai mal.

Outra herança maldita da desastrosa administração econômica petralha é o atrelamento da economia brasileira à economia chinesa. O Brasil ficou dependente de compras de commodities por parte da China. Durante o governo petralha estamos nos transformando cada vez mais em um país exportador de matérias primas, ao tempo que nossa indústria perde competitividade e definha.

Enquanto isso, a indústria mexicana bate recordes de exportações de televisores, automóveis, computadores e equipamentos, tornando-se uma importante economia de exportação de manufaturados. A excelente forma da economia mexicana é resultado de 17 anos de estabilidade macroeconômica, baixa inflação, baixa carga tributária, dívida pública controlada, economia aberta e cada vez mais competitiva.

É sintomático que quando a indústria brasileira definha, no México Nissan, Mazda e Honda anunciam a construção de novas fábricas. Além disso, novos investimentos na Indústria Aeroespacial e eletrônica também estao no horizonte.

Segundo um relatório da Nomura Securities, as "estrelas estão se alinhando para que o México supere o Brasil como a principal economia da América Latina. É um processo lento, mas seguro e inexorável".

A pergunta que fica é: por qual motivo estamos sendo ultrapassados pelo México? A resposta está no tipo de abordagem que cada país adotou para o desenvolvimento. Enquanto o México optou por adotar um modelo baseado em mercados abertos, livre comércio e desregulamentação, o INCOMPETENTE (des)governo petralha usa e abusa da intervenções do estado na economia por meio de empresas e bancos estatais.

Essa pesada intervenção na economia promovida pelo governo do PT faz com que ineficiências sejam gestadas e alimentadas, não só pela natural letargia e ineficiência do estado, mas também pela corrupção que atingiu níveis estratosféricos no governo petralha.

Custo Brasil ou Custo Petralha?

O México se preparou para competir com a China, e o Brasil deixou sua indústria definhar, pois a incompetência do governo do PT resulta em uma carga tributária monstruosa, na infraestrutura decrépita, nas maiores taxas de juros do planeta - tudo isso que se convencionou chamar de Custo Brasil, mas que nós chamamos de CUSTO PETRALHA.

Enquanto o ex-presidente Lula estimulava os brasileiros menos esclarecidos a se endividar e a comprar, o México de Felipe Calderon lutava para substituir produtos feitos na China por bens mexicanos no mercado dos Estados Unidos.

Mais: enquanto no Brasil o governo petralha inunda o Estado com milhares de aspones e apaniguados políticos que não fazem nada, a não ser tornar a burocracia ainda mais infernal, o México se preocupou em dotar o país de uma infra-estrutura classe mundial, investir em educação e tornar sua economia mais competitiva.

Como disse Shannon K. O'Neil, Analista de América Latina do Conselho de Relações Internacionais dos EUA, evoluir de um PIB per capita US$ 5.000 para US$ 10.000 dólares é fácil. Bem mais difícil é avançar desses US$ 10.000 para US$ 20.000. É o desafio tanto do Brasil quanto do México, mas o México já está bem à frente.

Com informações: The New York Times

7 comentários:

Ricardo C. disse...

Ok. Concordo fundamentalmente com vc. Mas o modelo extremamente liberal adotado por eles também tem seu lado obscuro. O salário mínimo está entre os menores da América Latina, a informalidade é gigante, a democracia é muito mais fraca. A liberdade de imprensa então, nem se fala. O país é um dos mais perigosos do mundo para jornalistas.
Não acho que sejam um exemplo a ser seguido. Tampouco nós somos...

Thiago_Porto disse...

Katia Tavares, a senhora(ita) é formada em Economia ou Relações Internacionais???

Thiago_Porto disse...

Senhora(ita) Katia Tavares, voce tem Graduação em Economia ou Relações Internacionais???

Carlos Wagner Flore disse...

Thiago, não sei se voce sabe, mas ela é corretora de imoveis.

Entendeu agora o motivo de tanto achismo?

Nélio Oliveira disse...

Cê tá brincando que ela é corretora de imóveis?! HAHAHAHAHAHA!!!

Kássia Tavares, o que você tem a comentar sobre esta reportagem: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica-brasil-economia/33,65,33,3/2012/07/22/internas_economia,313107/boom-dos-precos-de-imoveis-chega-ao-fim-e-valor-de-empreendimentos-cai-20.shtml?

Nélio Oliveira disse...

cri cri cri

Carlos Wagner Flore disse...

Sabe, eu adoro visitar este blog naqueles dias em que estou com problemas de auto estima.

Postar um comentário

Observação: comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões) ou conteúdo ofensivo, racista, homofóbico ou de teor neonazista ou fascista (e outras aberrações do tipo) serão apagados sem prévio aviso.

alert('Olá prazer em conhecê-lo!'); alert('Olá ' + comment.authorUrl + ', prazer em conhecê-lo!');