domingo, 10 de março de 2013

O sistema de saúde de Cuba, Hugo Chavéz, e seus resultados

O sistema de saúde de Cuba, na propaganda do regime ditatorial castrista - e pelos seus acólitos - como sendo um exemplo da eficiência. Muito bem, o ditador venezuelano - Hugo Chavéz - foi para Havana - Cuba - em dezembro de 2012, para se tratar de um câncer. Ele saiu como mostra a imagem abaixo.

Sistema de saúde cubano

Chegando em Havana, foi recebido pelo heptagenário ditador cubano - Raul Castro. A imagem abaixo mostra Hugo Chavéz antes de se submeter à excelência do sistema de saúde cubano.


Sistema de saúde cubano

Após dois meses de tratamento em Cuba, ele voltou para a Venezuela, e o resultado do tratamento na "maravilhosa medicina cubana" pode ser visto nas imagens abaixo.

Sistema de saúde cubano


É conhecida a propensão com a qual o regime castrista investe em propaganda de seu regime no exterior. Circulou a informação, em meados de janeiro, que o regime ditatorial cubano entrou em atrito com as autoridades venezuelanas que cuidavam da permanência de Chavéz em Cuba, pois o regime castrista não queria ver o ditador venezuelano morrer em solo cubano - pois seria péssimo para o marketing cubano.

Sistema de saúde cubano

O fato de Hugo Chavéz ter falecido na Venezuela não retira uma parte da responsabilidade sobre sua morte no regime cubano. Se o ditador venezuelano tivesse se tratado no Brasil, ou, preferencialmente, nos EUA, poderia estar vivo, hoje.

18 comentários:

Visitante Carioca disse...

No Brasil sim. Pelo SUS. rsss


Mas falando sério. Eu garanto que se ele tivesse se tratado no Sírio-Libanês , no Albert Einstein eu tenho CERTEZA que ele ainda estaria vivo.

Olha, nada na Banânia presta, no entanto, eu chego a desconfiar se existem lugares no mundo que possuam qualidade de saúde muito superiores ao AE, SL, Incor e até do Hospital das Clínicas.

Kássia Tavares disse...

O Lula e a Dilma ofereceram o tratamento no Brasil, mas ele rejeitou pelo fato de que, aqui, o procedimento de emissão de botelins médidos teria que ser cumprido. E, por esse motivo, ele resolveu ir para Cuba, onde o tratamento pode correr em sigilo. O resultado está aí.

Anônimo disse...

Kassia você tá falando sério mesmo? Eu demorei para acreditar que você estava.
Ignorar as diversas variáveis que impactam em um tratamento médico e atribuir a culpa de uma morte a um sistema de saúde que VOCÊ NÃO CONHECE (e nem eu) é muita leviandade.
Não defendo nem de longe o regime cubano nem o venezuelano, mas neste caso, como em tantos outros, você novamente deveria ter se mantido em silêncio. Perdeu uma grande oportunidade.
Este blog às vezes é mais rasteiro que conversa de botequim...
Adoro conversas de boteco: a diferença é que no boteco não temos nenhuma pretensão de informar ou ser o dono da verdade.

Anônimo disse...

Bom, primeiro vê-se que você não sabe nada sobre medicina e muito menos de uma de suas áreas mais complexas, a oncologia.

Sou médico e garanto a você que a taxa de sobrevida em cinco anos de qualquer neoplasia metastática já é muito pequena, o fato de ser um câncer metastático ainda limita em muito o arsenal terapêutico, no caso do tumor originário da próstata, como é o que suposto no caso do presidente Chaves, o prognóstico é muito ruim, a literatura mostra uma sobrevida de no máximo 35% dos pacientes em até 10 anos.

Mas é claro, tudo é apenas uma suposição, pois não sabemos qual era exatamente o tipo de neoplasia, se era mais ou menos agressiva, qual era o estadiamento da mesma e as repercussões clínicas para o paciente. Portanto é um absurdo, do ponto de vista médico, afirmar que se tivesse sido tratado neste o naquele serviço teria uma sobrevida ou chance de cura maior.

O fato do Sírio ou Einstein terem excelência não é garantia de cura, o ser humano é muito complexo, alguns quadros são irreversíveis, o Presidente Chaves teve acesso aos melhores profissionais cubanos e alguns russos, que eu tenho certeza que tinham tanto conhecimento técnico como experiência em sua área.

Finalizando, outro erro cometido no seu argumento é classificar a medicina cubana como ruim ou boa baseado no tratamento de um indivíduo, até porque, a medicina cubana se notabiliza pelo nível primário de atendimento. Realmente outros países, principalmente os EUA, tem um setor terciário (setor especializado) incomparável, contudo a medicina em nível primário nos EUA é péssima o que torna os níveis secundários e terciários inacessíveis para boa parte dos americanos.

Anônimo disse...

Não existe tal coisa de procedimento de boletins médicos.

O que existe é o segredo médico paciente e se Hugo Chaves tivesse se tratado no Brasil só poderia ter informações de seu caso divulgadas em três hipótese, se ele ou sua família permitissem, no caso de um dever legal ou por justa causa.

Resumindo, assim como qualquer paciente no mundo, ele teria seu direito de privacidade preservado.

Poxa vida, inventar um "procedimento de emissão de boletins médicos", que atitude ridícula e lamentável.

Kássia Tavares disse...

Bom, pelo que se sabe, a medicina de "excelência" cubana já começou errando feio no início do tratamento, quando submeteu Chavéz a várias cirurgias, quando se sabe que no caso de câncer metastático o procedimento não é indicado.

Depois, aplicaram quimioterapia, quando se sabe também que em caso de metástase esse procedimento serve apenas para dar uma sobrevida ao paciente.

Os médicos cubanos tanto erraram em adotar a quimioterapia que logo em seguida ocorreu uma recidiva - o qual foi informado equivocadamente como "novo tumor".

Quando viram os equívocos, apelaram corretamente, diga-se de passagem, para a radioterapia. Porém, já era tarde demais, e é absolutamente improvável, para não dizer impossível, que em Cuba existam equipamentos de radioterapia como os que estão disponíveis no Brasil, EUA e Europa.

E, depois disso, ainda submeteram o ditador a outra cirurgia, provavelmente apenas para diminuir os sintomas do câncer.

Para completar o quadro de erros da medicina de "excelência cubana", a última foto divulgada do Chavéz vivo, aquela na qual ele está na cama com as duas filhas, tem-se a clara impressão que Chavés estava com dificuldade de se movimentar, o que pode ter sido causado por um erro médico durante a cirurgia.

Ou seja, é altamente provável, sim senhor, que se o Chavez tivesse se tratado no Brasil, teria tido diagnósticos corretos e terapias corretas desde o começo e com equipamentos adequados. E, provavelmente, estaria vivo.

Kássia Tavares disse...

http://www.cremesp.org.br/?siteAcao=Publicacoes&acao=detalhes_capitulos&cod_capitulo=57

"Artigo 69 do CEM: "É vedado ao médico deixar de elaborar prontuário médico para cada paciente"."

Anônimo disse...

Além de corretora de imóveis você agora também é médica, Kássia?

Anônimo disse...

Kassia não seja curta (eufemismo meu).
O fato de se elaborar um prontuário não quer dizer que ele seja público.
Vá até um hospital e peça o prontuário de alguém, para ver se você consegue. Sério mesmo que você entendeu isto?! Que decepção!
Prontuário médico é sigiloso.
Quanta leviandade.

Anônimo disse...

Tia Kassia, tia Kassia, sempre falando de motumbo, heim?

Nélio Oliveira disse...

Não, ela é fumante. Como deve morrer de câncer, acredito que esteja estudando o assunto... rs...

Anônimo disse...

Mas quem diz que fumar causa câncer? Já disse que não causa, não causa, e não causa. Assim como não existe bolha imobiliária, nem nunca existirá, bando de invejosos kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Kássia Tavares disse...

O fato é que quem não morre de acidente prematuramente, acaba morrendo de algum tipo de câncer. O fumo dá uma acelerada no processo, e realmente é melhor não fumar.
Eu parei de fumar depois que fui morar nos EUA e o Marlboro Lights que eu fumava custava mais de US$ 10 dólares, e isso estava me levando à falência. Então optei por parar de fumar, e já não fumo há três anos.
Mas, ainda gosto de sentir o cheiro da fumaça do cigarro, que eu acho bem agradável, e ainda sinto vontade de fumar algumas vezes, mas sei que se eu fumar só um, voltarei a fumar regularmente, e aí demora mais um bom tempo para parar de novo, então opto por ficar longe.

Agora, como toda regra tem exceção, o Niemeyer parou de fumar com 103 anos, e foi morrer com quase 105. Fumou a vida inteira.

Anônimo disse...

Em breve o título aqui será: "Medicina, Bolha Imobiliária no Brasil, Politica & Economia"

Anônimo disse...

Fume a vida inteira então Kássia.

Anônimo disse...

Não sei porque todo mundo que não entende nada de medicina acha que pode dar pitaco. É bastante frustrante ser médico e ter que ler o tipo de ilação que essa postagem amadora tenta fazer.
Há dezenas de tipos de tumores, dezenas de tratamentos, e todos eles tem em comum um prognóstico, na maior parte das vezes, desfavorável. Para cada famoso que sobrevive a um câncer tratado no Sírio Libanês, outros tantos vão a óbito.

Tiago Lattari disse...

Kássia, também sou médico, mais especificamente cirurgião. Em primeiro lugar não sabemos especificamente o tipo de câncer de Chávez. Pode ter sido diversos tipos diferentes de tumores de próstata, reto, ânus, retroperitônio ou do próprio peritônio, bexiga, glândulas seminais e etc. Só por causa disso não tem como saber se o tratamento em cuba foi ou não correto.

Existem sim indicações para cirurgias em doenças metastéticas, em alguns casos específicos de tumores colorretais ou do peritônio. O próprio Steve Jobs fez um transplante hepático na tentativa de tratar uma metástase hepática de tumor de pâncreas (neuroendócrino).

Também está errado dizer que quimioterapia só serve como paliação na doença metastática ou que a radioterapia seja o indicado para estes casos. A Radioterapia, como a cirurgia são tratamentos localizados: irradia-se uma área relativamente pequena on há ou havia um tumor, não tendo efeito em metástases disseminadas por outros lugares. Por outro lado a quimioterapia é um tratamento que atinge todo o corpo. Vairam muito as indicações e tipos de cirurgia, quimio e radioterapia, não se podendo generalizar, havendo situações que o melhor seria usar as três, uma ou duas.

Por fim, cito exemplo de uma paciente que foi considerada curada de um tumor de cólon com metástase hepática (ou seja, uma doença avançada) após cirurgia + quimioterapia, sem uso de radioterapia.


Unknown disse...

Oi? O sistema de saude de cuba eh ruim??? Vcs tao por fora. Uma boa leitura seria valido pra vcs. Um beijo no coracao de todos.

Postar um comentário

Observação: comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões) ou conteúdo ofensivo, racista, homofóbico ou de teor neonazista ou fascista (e outras aberrações do tipo) serão apagados sem prévio aviso.

alert('Olá prazer em conhecê-lo!'); alert('Olá ' + comment.authorUrl + ', prazer em conhecê-lo!');