terça-feira, 24 de setembro de 2013

Setor Noroeste - fotos em setembro de 2013

O novo bairro do Plano Piloto de Brasília, com alguns anos de atraso, começa a tomar forma no momento em que mais edifícios vão sendo entregues e a infraestrutura, que anda a passo de tartaruga, vai sendo construída.


As quadras mais próximas ao final da Asa Norte, como a SQNW 111/SQNW 311 e SQNW 110 e SQNW 310, são as que apresentam o visual mais "consolidado".



Nessas quadras, além de muitos prédios prontos, os blocos comerciais começam a ficar prontos e não vai demorar muito até que os primeiros comércios sejam instalados.


Nas entre quadras comerciais da 11 do Noroeste as calçadas já estão prontas e é até possível uma caminhada pelas imediações.


No caso dos blocos comerciais, fica claro o luxo e a sofisticação dos prédios - com fachadas com muito granito, vidros fume e aço.


Não resta dúvida que em cinco anos o Setor Noroeste será o bairro mais luxuoso e sofisticado do Plano Piloto, local onde muitos desejarão morar, mas poucos serão os afortunados.


Outro ponto que deve favorecer o Noroeste é a proximidade com dois dos principais parques do DF, que é o Burle Marx e o Parque da Água Mineral.


Outro fator de valorização do bairro será o fato de que as quadras comerciais serão muito mais bonitas que as da Asa Sul (muito velhas) e Asa Norte (com kitinetes na parte superior).


Como se pode observar, na parte superior dos blocos comerciais, há apartamentos residenciais, porém são apartamentos de dois quartos, e que estão sendo vendidos a preços bastante elevados, o que é sempre uma garantia de um público mais selecionado.


O aspecto ecológico do bairro também fica patente no fato de que a vegetação tradicional de Brasília, o cerrado, é preservado em diversas áreas do bairro, criando uma paisagem verdadeiramente brasiliense.


Outra vantagem do Noroeste em relação aos demais bairros do Plano Piloto é o maior espaçamento entre os prédios e o fato de contar com vias de acesso mais largas - o que será sempre uma garantia contra congestionamentos.


Além disso, temos como vantagem o fato de que alguns prédios, como estes que mostramos nas fotos acima, disporem de uma vista permanente, e que certamente valoriza bastante o imóvel.


Portanto, quem quer ter o privilégio de morar no melhor bairro de Brasília, com os prédios mais luxuosos, modernos e sofisticados, deve se apressar, pois o preço do metro quadrado tende a subir à medida que o bairro vai se consolidando.


Além da própria dinâmica de valorização intrínseca do bairro, resultado de seu processo de consolidação, outros fatores vão concorrer para a apreciação do metro quadrado, como redução futura das taxas de juros e aceleração do crescimento econômico.


Portanto, o momento é extremamente propício e a oportunidade está à frente de todos: compre agora, ou chore para sempre, já que dificilmente aparecerá, em Brasília, uma nova oportunidade de morar em um bairro nobre pelos preços extremamente acessíveis que vemos hoje.


Vistas permanentes são a tônica das paisagens do Noroeste.






Cerrado






Espaço entre os edifícios:








Comerciais






Luxo e sofisticação



















Conclusão

Quer morar no Noroeste? Se apresse, pois os atrativos preços atuais não vão durar por muito tempo. Aliás, eles já estão subindo.

229 comentários:

«Mais antigas   ‹Antigas   201 – 229 de 229
Anônimo disse...

A lei que obriga emissão de nota fiscal existe, mas a prática é bem diferente......................

Anônimo disse...

senso cricritico, você é um espertalhão, e se dá bem em tudo né? gostosão.

Anônimo disse...

AAAAAahahaha aumentaram o limite do FGTS! Chupa bolhota! Agora além do preço não diminuir eles vão se ajustar pra cima.

MUITA VERGONHA DELES!!!

Anônimo disse...

Eu adoro o BI.
É o único site que conheço onde a comédia é garantida.
É um post mais idiota que o outro.
Fora os casos reais fictícios.
kkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

BOLHOTA BURRA. MORADORA DO GUARÁ. POBREZA!

Anônimo disse...

Anonymous30 de setembro de 2013 20:04,

Casos reais fictícios não, veja no site www.reclameaqui.com.br e verá que não são casos fictícios. Provavelmente você é dono de alguma das empresas que estão prejudicando os compradores de imóveis?

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Aumentaram porque não estão conseguindo vender nada.

Bolhoso acima, anônimo das 19h30, fique tranquilo, em Brasília a maioria das pessoas não tem FGTS, portanto não vai ajudar em nada este reajuste do FGTS, até porque depende da renda da pessoa, e veja qual o percentual da população consegue financiar um imóvel de 750 mil reais.

Chupa você de volta kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Nem você dá conta de comprar na Vieira Souto. Toma

Anônimo disse...

3, 4, 5 meses para fechar negócio? ISSO NÃO EXISTE, meu amigo!!!!!!!
Caro visitante carioca, dá para ver que tu é carioca mesmo, não conhece nada de Brasília.
Aqui há dois anos atrás quando o mercado estava mais aquecido a média de tempo para ser fazer um negócio era de 6 meses, repito média de tempo, não me venham com exemplos de alguém que vendeu em um mês e nem que demorou 3 anos. O normal era as vendas serem realizada em cerca de 6 meses.
Hoje com o mercado mais estagnado este tempo aumentou e muito, está muito difícil um imóvel ser vendido em menos de 1 ano.
Esta é a realidade de Brasília, o corretor acima foi muito feliz nos comentários dele e deveria ser mais respeitado.

Visitante Carioca disse...

Aí kassinha, compra no Rio de Janeiro. Probabilidade 100% dos preços subirem após ajustarem o limite FGTS ao SFH.

Mas compra rápido. Se não comprar agora, vai pagar mais caro no futuro!!! Não perca essa oportunidade!!!! rsss

Eu quero ver o circo pegar fogo!!!

Detalhe, quem tomou a iniciativa de fazer isso? Nosso ilustríssimo Ministro da Fazenda, Guido Mantega, via CMN.

Como foi ELE, MANTEGA, que tomou essa decisão, fico mais aliviado. Agora tenho CERTEZA que vai dar cagada. rsss

Anônimo disse...

Considero essencial em qualquer estudo o uso de dados consolidados ou, na sua impossibilidade, pelo menos de uma amostra definida a partir de critérios objetivos, de modo que está amostra reflita o mais fidedignamente a "população" a ser estudada.
Nesse estudo específico, acho importante a definição de um critério pelo seguinte motivo: de acordo com o secovi, o segundo semestre é mais aquecido que o primeiro relativamente ao número de lançamentos de imóveis.
Por meio de consulta ao sítio eletrônico deste sindicato, é possível visualizar tabelas de lançamentos de imóveis ocorridos em anos anteriores na capital paulista que corroboram essa informação.
A título exemplificativo, segue a tabela relativa ao ano de 2009, em que é possível visualizar claramente a característica "sazonalidade" neste mercado:
Janeiro 382
Fevereiro 1211
Março 1561
Abril 1061
Maio 2220
Junho 1715
Julho 2083
Agosto 3934
Setembro 4286
Outubro 2517
Novembro 4035
Dezembro 6579
Tendo em vista que anúncios de imóveis novos têm relevância no número de anúncios no portal Zap, entendo necessária a escolha de datas incidentes em relação ao mês de cada ano para mitigar os efeitos desta sazonalidade.
Do jeito que foi exposto o estudo, posso estar enganado, mas me dá a impressão de que estas datas não foram escolhidas aleatoriamente.

dimarcinho disse...

Só vou comentar sobre "população diminuir, nunca vi isso".

Sugiro se informar melhor. Exemplinho de cidade semi-fantasma hoje:

http://www.mybudget360.com/the-long-lost-city-of-detroit-the-economic-and-financial-pain-of-motor-city-how-detroit-went-from-18-million-to-912000-residents-289-percent-unemployment/

Não que isso vá acontecer com Brasília, mas não tome certas coisas como verdades absolutas....

dimarcinho disse...

"Como foi ELE, MANTEGA, que tomou essa decisão, fico mais aliviado. Agora tenho CERTEZA que vai dar cagada. rsss"

Melhor comentário de todos! rs

Anônimo disse...

Considero essencial em qualquer estudo o uso de dados consolidados ou, na sua impossibilidade, pelo menos de uma amostra definida a partir de critérios objetivos, de modo que está amostra reflita o mais fidedignamente a "população" a ser estudada.
Nesse estudo específico, acho importante a definição de um critério pelo seguinte motivo: de acordo com o secovi, o segundo semestre é mais aquecido que o primeiro relativamente ao número de lançamentos de imóveis.
Por meio de consulta ao sítio eletrônico deste sindicato, é possível visualizar tabelas de lançamentos de imóveis ocorridos em anos anteriores na capital paulista que corroboram essa informação.
A título exemplificativo, segue a tabela relativa ao ano de 2009, em que é possível visualizar claramente a característica "sazonalidade" neste mercado:
Janeiro 382
Fevereiro 1211
Março 1561
Abril 1061
Maio 2220
Junho 1715
Julho 2083
Agosto 3934
Setembro 4286
Outubro 2517
Novembro 4035
Dezembro 6579
Tendo em vista que anúncios de imóveis novos têm relevância no número de anúncios no portal Zap, entendo necessária a escolha de datas incidentes em relação ao mês de cada ano para mitigar os efeitos desta sazonalidade.
Do jeito que foi exposto o estudo, posso estar enganado, mas me dá a impressão de que estas datas não foram escolhidas aleatoriamente.

Anônimo disse...

Concordo que a escolha da data deveria ser com mais critério, pelos motivos que você levantou. Mas realmente não acredito que isso tenha tido grande influência. Perceba que os dados de 2011 e 2013 estão seguindo este critério e o aumento está dentro da tendência.

De qualquer forma, não há motivo de preocupação, este é só mais um estudo e sabemos que o mercado anda bem. Bolha imobiliária é só um site na internet.

Nélio Oliveira disse...

Obrigado, mas se a base de comparação for com você, é muito fácil ser espertalhão. Provavelmente o teclado em que você escreve é mais esperto que você também... rs...

Anônimo disse...

O que grande parte dos brasileiros faz sobre a realidade ao seu redor: http://br.guiainfantil.com/uploads/educacao/nino-se-tapa-oidosG.jpg

Anônimo disse...

"Provavelmente você é dono de alguma das empresas que estão prejudicando os compradores de imóveis".
De onde vc tirou isso?
Falou mal do BI é corretor ou empresário do ramo de vendas.
Só quem tem interesse em vendas fala que não tem bolha.
Cérebro de ameba é assim mesmo. Por isso acho o BI uma comédia.
É cheio de asneiras lá.
Asneiras ditas há muito tempo e nada de preços caírem.
Ainda estou aguardando os desesperados venderem com 85% de desconto, mas não encontrei.
Os únicos prejudicados que conheço são os frequentadores do BI que, apesar de serem muito inteligentes, não compraram nada na época certa e agora ficam com raivinha de quem comprou e se deu bem.

Anônimo disse...

Discordo. O BI é um site de comédia super divertido.
Cheio de gente querendo comprar imóvel com 85% de desconto.
Criticam todo mundo que compra imóvel, mas estão doidos querendo comprar.
Of course, com 85 de desconto. Mas é só ter paciência.
Aquele apartamento de um milhão rapidinho custará 150 mil reais.

Anônimo disse...

"Podem falar o que quiser, mas nada muda o fato de que o NW está a 5 minutos da Esplanda dos Ministérios, 3 do Shopping Iguatemi".....

Em que helicóptero?

Iguatemi fica a 7 km do NW -> 12 minutos à noite, 25 com a Ponte do Bragueto engarrafada e os dois semáforos embaixo da ponte.

Esplanada fica a 12 km do NW -> 20 minutos às 7 da manhã, 30-35 minutos às 8:30.

Anônimo disse...

40% você já encontrou, né? A Even estava com uma "promoção" destas este fim de semana no Rio...

Anônimo disse...

Ah, e 50% você já encontra também no Noroeste (Pagaram 12 k/m2 agora vendem por 8 k/m2)

Anônimo disse...

Tem que rir mesmo, porque se for pensar na burrice que foi comprar no Noroeste, o cara só chora!

Kássia Tavares disse...

Eu levo 5 minutos. Só atravessar a STN, pega a EPIA, entra no acesso ao Lago Norte e já está no Iguatemi.
A Esplanada basta sair pele W9 Sul, já sai do lado do Detran no Eixo Monumental. 5 minutos.

Anônimo disse...

Senso critico, você faz o que da vida? corretor de imóveis também, assim como a Tia Katilene?

Anônimo disse...

O corretor deve sim ser respeitado, mas o problema que a maioria não se faz respeitar, ao menos na minha experiência com corretores. Grande maioria:
arrogantes, que esnobavam no estilo você não tem condições de pagar
apressadinhos, compre logo senão vai aumentar
omissos, escondiam pontos importantes dos imóveis visitados
não davam informações precisas, como andar, e na hora H o apartamento era primeiro andar e virado para estacionamento.
uma série de atitudes não condizentes com um profissional sério, sem contar que não deram nota fiscal.

como vou gostar de corretor tendo somente experiências ruins com corretores?

para mim não passam de intermediários, cujo serviço pode ser substituído por um site de internet de procura de imóveis. e ainda economizo com a corretagem.

Anônimo disse...

Coitado de quem comprou também em Aguas Claras, pagou 6500 na planta e hoje encontra por 4500 pronto. Olha a queda nos preços aí genteeeeeeeeeeeeeeeeee

Anônimo disse...

Prezado anônimo 09:09, uma amostra mal selecionada influencia qualquer estudo.
A título exemplificativo, o estudo dos 7 erros citado acima teve como amostra os meses de julho de 2011 a 2013 e demonstrou uma curva descendente na venda de imóveis novos na capital paulista. Mas e se ao invés de julho pegássemos os meses de maio desses mesmos 3 últimos anos? Segundo dados retirados do secovi, teríamos uma curva ascendente, totalmente oposta, com os respectivos números 2380, 2728 e 3278.
O mercado está bombando como demonstra os dados de maio? Óbvio que não.
Por outro lado, o mercado está um desastre como demonstrado pelos dados de julho? Tampouco.
Note que foram amostras selecionadas de uma mesma população cuja seleção de cada elemento é de 1/12. Na seleção do estudo em comento a seleção de um elemento é de 1/365, ou seja, o cuidado deve ser redobrado, ainda mais num mercado em que o fator sazonalidade está presente.
Se você realmente acha que não existe qualquer influência, tudo bem, cada um com a sua convicção. Mas achar que um elemento selecionado sem critério no meio de uma população de 365 reflete essa população é ter um pensamento bem fraco.
Se toda a "população" de 365 elementos desses 5 anos fosse conhecida, qualquer um faria o gráfico que quisesse com cinco elementos retirados de cada ano: curva ascendente, descendente, reta, parábola, pirâmide, escada, etc.
Na minha opinião estes dois estudos, emprestando o termo mencionado pelo anônimo aí em cima, não passam de "evidências anedóticas".

Anônimo disse...

Caro anônimo, o caso sobre o qual estamos falando se refere ao número de anúncios, não número de vendas. Este número vem crescendo de forma constante ( eu acompanho), e não tem grandes variações de um dia para o outro, como estivéssemos falando de índices pluvimetricos, por exemplo. Se um ano e 20 dias atras olhássemos o número de anúncios encontraríamos um valor menor que hoje. Se olhássemos os mesmos dados , mas exatamente um ano atras, encontraríamos um valor um pouco menor ou um pouco maior do que encontramos na amostra d um ano e vinte dias. Mas este número continuaria sendo menor do que há hoje. Bem , como você mesmo falou, cada um com sua convicção, mas olhando o balanço das construtoras, quantidade de "descontos" oferecidos e relatos de amigos que trabalham na área, eu acho que o mercado imobiliário vai mal das pernas. Nem os tolos de plantão caem mais na conversa da valorização, copa olimpíadas, etc.

«Mais antigas ‹Antigas   201 – 229 de 229   Recentes› Mais recentes»

Postar um comentário

Observação: comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões) ou conteúdo ofensivo, racista, homofóbico ou de teor neonazista ou fascista (e outras aberrações do tipo) serão apagados sem prévio aviso.

alert('Olá prazer em conhecê-lo!'); alert('Olá ' + comment.authorUrl + ', prazer em conhecê-lo!');