quarta-feira, 25 de abril de 2012

Bolha Imobiliária no Brasil: a culpa é do governo federal

A escalada dos preços dos imóveis brasileiros torna o acesso à moradia cada vez mais difícil, o que leva uma grande parte das pessoas a se revoltar, procurar culpados e buscar soluções milagrosas. A "culpa" em geral recaí sobre os "empresários gananciosos" e investidores, e a "solução mágica" é a esperança em estouro de uma bolha, que faria os preços dos imóveis voltarem para patamares acessíveis.

absurdo preço dos imóveis no Brasil

Nem os empresários são culpados e nem a bolha irá estourar, pois a causa fundamental dos preços dos imóveis estarem onde estão é a incompetência do "governo" petralha federal. A única coisa que o governo do PT fez durante os 10 anos que está no poder foi estimular o uso do excedente advindo da explosão dos preços das commodities para a população de baixa renda comprasse bugigangas eletrônicas via taxa de câmbio baixa. Agora, o sujeito mora na favela, vive de bolsa família, mas tem uma TV LCD de 40” no barraco - e o governo petralha chama isso de “inclusão social”.

Quando a farra correu o risco de acabar com o colapso do sistema de crédito em 2008, a primeira atitude do petralha-mor, sua "eçelençia o companheiro", foi negar: “é só uma marolinha”. Mas viram que o rebanho de votos estava em risco pois não daria mais para parcelar bugigangas eletrônicas em 72x, e colocaram em ação o programa MCMV – Minha Casa Minha Vida - elaborado com a consultoria de donos de construtoras de imóveis populares.

Ocorre que um plano de estímulo à construção civil sem uma contra-partida de ampliação da infra-estrutura urbana dá nisso aí: preço dos imóveis nas alturas por uma questão muito simples: lei da oferta e da procura. Com a ampliação do crédito, aumenta a procura por áreas para construir, mas como o governo não investe em ampliação das áreas urbanas e em transporte público eficiente de áreas periféricas para as áreas centrais, o que vemos é uma demanda gigantesca pelas áreas centrais, e com isso seu preço dispara. É exatamente o que acontece com os bairros nobres nas grandes cidades brasileiras hoje.

O problema é que o Brasil, hoje, tem dinheiro para construir uma infra-estrutura classe mundial, mas falta competência do governo federal para gerenciar isso. Os governos petralhas são bons em não fazer nada, e isso é bom em alguns casos, como na economia, onde é melhor não fazer nada a fazer bobagem.

Mas na atual conjuntura econômica brasileira, o país precisa urgentemente de investimentos, obras, projetos e gestão. Enfim, precisa de um governo que TRABALHE, coisa que o governo do PT não sabe fazer. A Dilma, "mãe do PAC" (cuja execução não passou de 10%), foi vendida (e o povo acreditou) como “boa gestora”, mesmo ela tendo levado à falência sua única experiência empresarial: uma loja de R$ 1.99.

O governo petralha evidentemente não vai nunca admitir sua culpa, e, como é usual, estão tentando atribuir seus erros e incompetências para os espantalhos de sempre: “ganânia de empresários”, "EUA", "direita", "elite", "imprensa". É sempre a mesma e velha ladainha.

É preciso ficar claro que os empresários brasileiros cumprem o seu papel com competência: buscam onde há lucro, investem, e como resultado geram emprego, renda e obras e mais obras no Brasil. E as milhares de obras residenciais que acontecem no Brasil são evidencia disso. E só não fazem mais por culpa da incompetência e letargia do governo federal.

Lucratividade das construtoras

Margem de Lucro das construtoras no Brasil

O gráfico acima compara a margem bruta de lucro da Petrobrás , Vale e Eletrobrás com as das construtoras MRV, PDG Realty, Brookfield, Rossi e EVEN. Como se pode observar, a margem das construtoras brasileiras é muito inferior à observada em empresas estatais, como Petrobrás e Eletrobrás, e também inferior à da Vale, o que evidencia o fato de as construtoras no Brasil estarem com suas margens de lucro em níveis baixos, mostrando que a competição no setor está em níveis saudáveis.

A eficiência das construtoras brasileiras contrasta com a ineficácia do estado brasileiro, o que demonstra que o que falta ao Brasil é um governo menos medíocre e que tenha condições de identificar o que precisa ser feito, elaborar, propor e executar as soluções para os problemas. Coisa que o governo do PT já demonstrou não ter a menor condição de fazer por absoluta falta de competência.

O governo brasileiro é piada de péssimo gosto. Nesses dez anos de mediocridade petralha, o que conseguiram foi fazer a população consumir bugigangas às expensas de reservas internacionais ou endividamento público, mas no mercado imobiliário, onde não é possível importar, produziram uma bolha imobiliária que impede o acesso da população à moradia de qualidade. Ou seja, trata-se de um governo medíocre, incompetente, que não sabe o que quer e não tem competência para levar a cabo um grande programa de obras de infra-estrutura.

13 comentários:

Unknown disse...

Vc é a mesma pessoa que há 2 meses batia o pé que nao existia bolha?

Carlos Wagner disse...

Ta caindo na real heim!

O que fez você mudar de idéia?

Yeeks von Dyke disse...

Não to entendendo! Eu via você defendendo com unhas e dentes - i.e. com vários argumentos furados - que não tinha esse negócio de bolha,e agora mudou de opinião assim, fácil, de uma hora para outra?

Você é bipolar?

Aramis disse...

Você não defendia há pouco tempo que não havia bolha e que havia uma ideologia da inveja contra o Setor Noroeste?

http://www.politicaeconomia.com/2011/11/ideologia-da-inveja-e-o-movimento.html

O que houve para mudar de idéia?
As vendas de imóveis novos caiu tanto assim?
No mercado de usados, as vendas estão péssimas, pois muita gente quer comprar, mas não tem condições de arcar financiamentos milionários na excludente Brasília.
Eu já imaginava que um dia esta subida dos preços iria ter um efeito maléfico, mas eu acreditava que pessoas como você fosse defender a inexistência da bolha até o último segundo.

Kássia Tavares disse...

Não mudei de ideia nem um pouco. Apenas passei a usar o termo "Bolha Imobiliária" como sinônimo de elevação de preços no mercado imobiliário, já que é o termo que "pegou".

Apesar disso, continuo a não acreditar em redução de preços dos imóveis, pois todos os componentes econômicos que criaram essa elevação de preços (Bolha Imobiliária) continuam presentes.

Os preços dos imóveis só cairiam de valor drasticamente se fossem retirados os elementos que propriciaram a subida: crédito farto, juros baixos e prazos longos. Como tudo isso tende, na minha opinião, a se manter, e, inclusive ampliar no curto/médio prazo, a tendência dos preços em termos Brasil é de subida moderada.

Carlos Wagner disse...

Você comete o erro classico Keynesiano em não levar em consideração que existe um limite de capacidade de endividamento numa economia essencialmente movida a crédito e consumo interno.

Esse limite foi alcançado e a redução de juros pelos bancos públicos foi uma medida artificiosa governamental em estatizar as dividas da população e dar sobrevida a um sistema finito e estagnado que é seu modelo de gestão, ao mesmo tempo em que joga para a platéia e planta a idéia de que está peitando o sistema bancário e reduzindo juros por ser o governo do povo.

Isso tudo é um grande estelionato eleitoral. Esse governo petralha é pessimo administrador, cpmposto por analfabetos funcionais e corruptos incorrigiveis.

Perceba que só pelo fator "ESTAGNAÇÃO DE CONSUMO E CAPACIDADE DE ENDIVIDAMENTO" da população, sua teoria de estabilização de preços e de alta moderada é derrubada facilmente.

Não tenha vergonha em mudar de idéia, isso engrandece a pessoa. Ainda há tempo de enxergar a realidade, todos o fatos estão presentes, é preciso apenas olhar critico e ler as entrelinhas!

Kássia Tavares disse...

Que o governo petralha é uma piada (de mau gosto) no quesito administração pública eu não tenho a menor dúvida.
Concordo que a única coisa que eles sabem fazer é estimular o consumo e o endividamento da população.
O problema é que até o brasileiro chegar em um nível de endividamento similar ao dos EUA e Europa ainda tem muito chão.
E mais: a paradeira que se vê no mercado agora decorre da freada fiscal e monetária de 2011, mas tanto os juros quanto os gastos estão sendo flexibilizados agora, e o efeito da política monetária na economia demora uns 6 meses para ser sentido, de forma que no segundo semestre o setor deve melhor bastante.

Carlos Wagner disse...

"O problema é que até o brasileiro chegar em um nível de endividamento similar ao dos EUA e Europa ainda tem muito chão."

Partindo desse raciocinio, poderiamos aferir que só quando o brasileiro chegar em tal grau de endividamento é que precisariamos nos preocupar, certo?

Acontece que isso nunca vai acontecer! Tal grau de endividamento é impossivel atingirmos aqui justamente porque a base monetaria circulante no país é infinitamente menor que a dos EUA e EUROPA, além disso não temos poupança interna capaz de suportar nem mesmo 1/10 do endividamento destes paises em questão. Se na nossa atual conjuntura o financiamento imobiliario ja esta sendo posto em cheque, mesmo com 5% do PIB.

Fato é que para suportar tal endividamento pelo qual estamos assando é necessario capital estrangeiro que entra no país de forma especulativa e dá a sensação de prosperidade aos consumidores.

Porém, se o grau de endividamento d população é alta suficiente para colocar em risco a manutenção deste sistema, o crédito tende a secar e era justamente o que vinha acontecendo até a intervenção governamental em baixar juros na marretada.

Vamos ver quem está certo em pouco tempo! Eu, particularmente, acredito que começamos a descer a ladeira e este governo não vai conseguir reverter o quadro, pois já começou errado ao escolher esta politica economica baseada em crédito/consumo/geração de empregos, quando o mais prudente seria estimular a poupança interna para que ela alavancasse o setor produtivo.

Outro ponto que deve ser apontado é a incapacidade intelectual e administrativa dos membros do poder em reverter esse quadro. Estamos em mals lençõis!

Portanto acho dificil o quadro se reverter em 6 meses ou mais, seja qual for a politica adotada. Estamos fadados ao fracasso desde o começo por causa do rumo escolhido ser o que menor tempo necessitava para dar resultados e elevar a aprovação do governo nas estatisticas, era o que eles queriam.

Governo populista é isso, vive de mentiras, estatisticas forjadas e propagandas sensacionalistas, mas o que a vida no dia a dia nos mostra é extremamente o contrário.

Carlos Wagner disse...

Outra coisa, desculpe minha ignorancia, mas não entendi o que voce quis dizer nessa frase do segundo parágrafo:

"a paradeira que se vê no mercado agora decorre da freada fiscal e monetária de 2011, mas tanto os juros quanto os gastos estão sendo flexibilizados agora"

Muito termo técnico esconde a clareza das coisas, entende?

Aramis disse...

Kássia, não ponha a culpa no governo por atos dos empresários brasileiros, dentre eles donos de construtoras, donos de imobiliárias, corretores de imóveis, e até mesmo os consumidores, que fomentaram a alta nos preços. O fato é que o reajuste nos imóveis em mais de 100% em poucos anos não poderia ter resultado diferente.
Mas por favor, não ponha a culpa no governo. O governo fomentou o crédito. Quem reajustou mês a mês o valor dos imóveis e brincou de leilão imobiliário, foram os construtores, algo que todos estamos carecas de saber.
Me estranha imensamente, você, uma grande corretora de imóveis da capital federal, grande defensora do maior bairro ecológico do país, agora, de repente mudar de idéia.
Estou muito curioso para saber os motivos.

Kássia Tavares disse...

Outra coisa, desculpe minha ignorancia, mas não entendi o que voce quis dizer nessa frase do segundo parágrafo:

"a paradeira que se vê no mercado agora decorre da freada fiscal e monetária de 2011, mas tanto os juros quanto os gastos estão sendo flexibilizados agora"

Muito termo técnico esconde a clareza das coisas, entende?


Eu quis dizer que o mercado imobiliário agora está um pouco depreciado, e isso decorre do aumento de taxas de juros ocorrido em 2011 (política monetária contracionista) e da redução dos gastos e investimentos públicos também em 2011 (política fiscal contracionista).

Como sabemos neste blog, o mercado de imóveis é influenciado pelo PIB e juros.

Por tal motivo, considero que com a redução dos juros que está sendo feita agora, o mercado deve estar melhor no segundo semestre.

Vasconcelos & Associados disse...

Então se o vosso competente governo TUCANO de SP tem um transporte púlbico que dia sim, dia não, faz o usuário andar quilômetros por conta das quebra dos trens; que faz os maiores recordes de engarrafamento serem batidos diariamente: se VÓS que sois competentes, e não eles lá em Brasília (à frente do Governo Federal), então o que esperar quando RE-tomarem o Poder Federal, no dia do engarrafamento final?
Antônio Mattarazzo


O problema é que o Brasil, hoje, tem dinheiro para construir uma infra-estrutura classe mundial, mas falta competência do governo federal para gerenciar isso. Os governos petralhas são bons em não fazer nada, e isso é bom em alguns casos, como na economia, onde é melhor não fazer nada a fazer bobagem. Mas na atual conjuntura econômica brasileira, o país precisa urgentemente de investimentos, obras, projetos e gestão. Enfim, precisa de um governo que TRABALHE, coisa que o governo do PT não sabe fazer. A Dilma, "mãe do PAC" (cuja execução não passou de 10%), foi vendida (e o povo acreditou) como “boa gestora”, mesmo ela tendo levado à falência sua única experiência empresarial: uma loja de R$ 1.99.

Marcelo disse...

"O PT é o partido dos trabalhadores que não trabalham, dos estudantes que não estudam e dos intelectuais que não pensam." - Roberto Campos

Postar um comentário

Observação: comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões) ou conteúdo ofensivo, racista, homofóbico ou de teor neonazista ou fascista (e outras aberrações do tipo) serão apagados sem prévio aviso.

alert('Olá prazer em conhecê-lo!'); alert('Olá ' + comment.authorUrl + ', prazer em conhecê-lo!');