terça-feira, 27 de novembro de 2012

Professor da Poli-USP considera que os preços de imóveis estão adequados

A revista Exame publica uma reportagem informando que o momento atual é propício à compra de imóveis, graças às agressivas estratégicas de vendas que estão sendo adotadas pelas principais construtoras e incorporadoras.


Além disso, um dos principais especialistas do setor imobiliário no Brasil, o professor titular de real estate da Escola Politécnica da USP, João da Rocha Lima, considera que os preços de imóveis no Brasil "estejam adequados neste momento”.

Essa opinião é compartilhada pelo diretor de marketing do Secovi, Luiz Fernando Gambi, que avalia que os preços ainda crescem acima da inflação, mas a disparada que aconteceu recentemente está diminuindo e entrando em uma parte da curva mais favorável.

Isso apenas confirma o que estamos falando neste blog há muito tempo: não há nenhuma Bolha Imobiliária no mercado brasileiro e os preços dos imóveis não vão cair. Ao contrário, devem subir ainda mais, e quem não comprar (imóvel) agora, pagará mais caro no futuro.

13 comentários:

Anônimo disse...

Ele esqueceu de completar: os preços estão adequados aos interesses das grandes construtoras e grandes imobiliárias.

Pois em relação aos compradores de imóveis, nada está adequado:

1. Os preços aumentaram muito além dos custos da construção civil;

2. A oferta está muito maior do que a demanda, ou seja, os preços devem cair, e é isto que já está acontecendo, com vários descontos;

3. o padrão de qualidade de várias empresas está muito ruim, conforme reclamações de consumidores nos procons e ações na justiça;

Enfim, nada está adequado. O momento é de poupar. Comprar não.

Kássia Tavares disse...

Isso mesmo. Poupe e depois compre mais caro no futuro, como fez aquela pessoa que perdeu R$ 75.000 acreditando nos profetas do Bolha Imobiliária:

http://www.politicaeconomia.com/2012/07/consumidora-tem-prejuizo-de-r-75000-por.html

O fato é o seguinte. Quem pretende comprar imóvel e tem dinheiro para tal, deve comprar logo, pois os imóveis estão subindo acima da inflação e da Poupança, logo, quem adotar a estratégia de poupar, tem elevada probabilidade de pagar mais caro nos imóveis no futuro.

Isso não é apenas minha opinião, mas a de um dos maiores especialistas em mercado imobiliário do Brasil, conforme mostrado acima.

Anônimo disse...

Kássia, este professor é um bolhota! Olha a bobagem que ele diz:

"No primeiro semestre de 2011 avaliamos que havia uma gordura especulativa nos preços. De lá para cá, os preços vêm se acomodando para baixo (...)"

Acomodando para baixo? É só ver o FIPE-ZAP para saber que, fora casos isolados e devido a enxurrada de imóveis novos e de menor valor (caso do Park Sul), os preços vem subindo!

E me surpreende logo você falar "elevada probabilidade de pagar mais caro"! Elevada probabilidade, não, CERTEZA! Estes descontos pontuais de 30% que apareceram agora (espero que a Cláudia não tenha comprado logo antes do desconto), não vão ocorrer mais, tenho CERTEZA!

Não esmoreça! Você é um bastião da lógica e da credibilidade no meio deste mar de beócios incompetentes que não sabem lidar com dinheiro!

Visitante Carioca disse...

Kássia, me explica uma coisa:

Por que os preços anunciados dos imóveis estão subindo a taxas muito superiores aos preços anunciados dos aluguéis?

FIPE-ZAP RJ Venda 2008-2012: +188,2%
FIPE-ZAP RJ Aluguel 2008-2012: +110,7%
Diferencial Venda/Aluguel = 36,78%

FIPE-ZAP SP Venda 2008-2012: +154,1%
FIPE-ZAP SP Aluguel 2008-2012: +80,5%
Diferencial Venda/Aluguel = 40,72%


FIPE-ZAP RJ Venda 2008-2011: +155,4%
FIPE-ZAP RJ Aluguel 2008-2011: +93%
Diferencial Venda/Aluguel = 32,33%

FIPE-ZAP SP Venda 2008-2011: +123,8%
FIPE-ZAP SP Aluguel 2008-2011: +80,5%
Diferencial Venda/Aluguel = 25,45%

Diferencial Venda/Aluguel 2008-2012/2008-2011 RJ : 3,36%
Diferencial Venda/Aluguel 2008-2012/2008-2011 RJ : 12,17%

Ou seja, as velocidades não só estão diferentes como estão se distanciando ano a ano.

Isso significa....?

Significa que permanecerei morando de aluguel por mais 15, 20 anos? É isso?

Kássia Tavares disse...

Aluguel responde mais lentamente pois são baseados em contratos mais longos. Porém, depois que os preços dos imóveis estabilizarem, os aluguéis continuarão subindo.

Kássia Tavares disse...

Eu sei que os bolhotas (que realmente devem saber muito como lidar com dinheiro, afinal estão esperando imóveis caírem de preços faz dois anos - período no qual eles subiram 60%...rs...rs) já comemoraram algumas declarações desse professor. Vamos ver se vão comemorar essa..kkk

Anônimo disse...

o contrario. aluguel responde mais rapidamente pois esta ligado a renda mensal da familia. e mais contrato de locacao e media de 30 meses. financiamento imobiliario ate 420 meses.

como brasileiro nao faz conta do valor final entra na onda de corretor e se cabe a parcela no orcamento. paga mais caro na casa propria. se soubesse fazer conta nao entraria nessa fria de comprar apartamento bolhudo.

Visitante Carioca disse...

Ai kássia, hahaha. Estou tomando seu chá em doses cavalares, preciso dar um tempo senão viro cracolhudo (mistura de cracudo com bolhudo).

Depois dessa explicação, rsss, na boa, vou lá me estressar com as imobiliárias mesmo, ver meus apartamentos para alugar.

Se você que "entende" de política e economia realmente acha normal os preços de imóveis e alugueis aumentarem 8% real ao ano e meu salário/renda aumentar 1,5% real ao ano, imagina o povão do meu estado que até pouquíssimo tempo tinha o segundo pior desempenho no IDEB do Ensino Médio.

Vão continuar consumindo imóveis até enlouquecerem. Afinal, "la vivienda nunca baja" é infinita e além. Não é? rss

Bom, deixo os devaneios de exagero de "pagará mais caro no futuro" ou de "só compro depois dos -85%" para os insanos de plantão. Eu vou estudar e fazer algo produtivo.

Anônimo disse...

Em Brasília não conheço nenhum lugar onde imóvel subiu 60% em dois anos.
Muito ao contrário, os preços estão estáveis há dois anos, e muitos até caíram, por falta de compradores.

Anônimo disse...

A sua amiga imaginária Cláudia?

Pois é, e até hoje você não provou a existência da Cláudia, não disse nada a respeito do negócio dela:

- qual apartamento ela ia comprar
- o preço da época
- o preço hoje
- outros dados que reforcem a veracidade das informações

Mentira tem perna curta.

Anônimo disse...

Circunscrição : 9 - SAMAMBAIA
Processo : 2012.09.1.019892-7
Vara : 1402 - SEGUNDO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL E CRIMINAL E SEGUNDO JUIZADO DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER DE SAMAMBAIA - CÍVEL
Processo : 2012.09.1.019892-7
Ação : REPETICAO DE INDEBITO
Requerente : DEBORA CRISTINA CHARALLO CARVALHO
Requerido : LPS BRASILIA CONSULTORIA DE IMOVEIS LTDA e outros

Ressalta-se que o pagamento da remuneração do corretor, caso não haja estipulação em contrário pelas partes contratantes, deverá ser realizado por quem o contratou. 

Na situação em apreço, verifica-se que não foi a autora quem contratou os serviços de intermediação da venda do imóvel nem assumiu a obrigação de pagar pelos serviços de corretagem.

O corretor, ao trabalhar no estande de vendas da construtora, faz a ele presumir que se trata de preposto da construtora. Em assim sendo, sequer houve a prestação de serviços de corretagem, mas simples atuação de prepostos da empresa, uma vez que a corretagem exige que o corretor não esteja subordinado por qualquer relação de dependência com o contratante, violando o disposto no art. 722 do Código Civil.

Diante do exposto, julgo PARCIALMENTE PROCEDENTES os pedidos formulados na inicial para condenar os réus, solidariamente, a restituir à autora a quantia de R$ 3.818,09 (três mil oitocentos e dezoito reais e nove centavos), com correção monetária a partir do desembolso e juros de mora a partir da citação. 

Anônimo disse...

Viu Kássia, quem paga a corretagem é a construtora e não o comprador, como você afirma no seu artigo

http://www.politicaeconomia.com/2012/06/taxa-de-corretagem-de-imoveis-na-planta.html

Você, como investidora de imóveis que é, deveria entrar com um processo na justiça para reaver os valores pagos de corretagem.

Quem paga é a construtora, e não quem comprou o imóvel.

Anônimo disse...

Os preços dos imóveis estão adequados para quem? A renda dos brasileiros não acompanhou o preço dos imóveis. Então os preços devem estar adequados à vontade especuladora das construtoras, só pode.

Postar um comentário

Observação: comentários que contenham palavras de baixo calão (palavrões) ou conteúdo ofensivo, racista, homofóbico ou de teor neonazista ou fascista (e outras aberrações do tipo) serão apagados sem prévio aviso.

alert('Olá prazer em conhecê-lo!'); alert('Olá ' + comment.authorUrl + ', prazer em conhecê-lo!');