quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Investidores retornam ao mercado imobiliário

No segundo semestre, lançamentos residenciais mais focados em investidores apresentaram alta velocidade de vendas


Os pequenos investidores do mercado imobiliário residencial voltaram ao setor com mais força neste segundo semestre, disse José Roberto Federighi, diretor da Brasil Brokers SP, durante a sexta edição da Conferência Cityscape Latin America, realizada esta semana em São Paulo.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Imóveis vão subir no mínimo 10% nos primeiros 6 meses de 2013, segundo professor da FGV

Quem acompanha este blog sabe que desde sempre nossa opinião é a de que não existe nenhuma bolha no mercado imobiliário brasileiro. Mais: acreditamos que os preços devem continuar a subir, inclusive, mais intensamente em 2013 do que o observado em 2012, e, portanto, quem não comprar agora, vai pagar mais caro no futuro.


Pois bem, uma notícia no Infomoney informa que os "preços dos imóveis devem continuar subindo em 2013, dizem especialistas", como o professor Paulo Gala da FGV, que faz a seguinte estimativa sobre os preços dos imóveis: "nos primeiros seis meses de 2013 a alta vai passar dos dois dígitos – de no mínimo 10%." A notícia completa segue abaixo.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Sam Zell afirma que não há bolha imobiliária no Brasil

O megainvestidor norte-americano Sam Zell concedeu uma entrevista à revista EXAME, onde faz considerações a respeito da economia brasileira em geral, e do mercado imobiliário em particular.

Bolha Imobiliária Brasileira

Zell, que foi um dos primeiros investidores a apostar no mercado imobiliário brasileiro, investindo milhões de dólares por intermédio de sua administradora - Equity International, quando questionado sobre a suposta bolha impobiliária brasileira, declarou:

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Estudo da FGV nega Bolha Imobiliária no Brasil

O jornal Valor Econômico de hoje informa que o Centro de Macroeconomia Aplicada da Fundação Getulio Vargas (FGV) estudou, com modelos econométricos, o mercado imobiliário de São Paulo e conclui que é improvável a existência de uma bolha imobiliária.


Segundo o estudo, o aumento dos preços de imóveis ocorreu por excesso de demanda por imóveis gerada por aumento da renda das famílias, melhoria das condições de crédito e queda dos juros.

Bolhas e bolas murchas - está difícil de ver bolha imobiliária no Brasil

FMI volta a falar em 'bolha imobiliária' no Brasil, mas o perigo está em bolas cheias demais em outros setores.

Os preços de imóveis estão horríveis no Brasil, a gente sabe. Desde 2008, outro ano que não termina, as casas ficaram em média uns 150% mais caras em São Paulo e ainda mais extravagantes 180% no Rio.


Na semana passada, o FMI voltou a falar em bolha imobiliária no Brasil. Há várias bolas murchas ou furadas, mas bolha imobiliária está difícil de ver. Por ora, ao menos.

Mercado Imobiliário em SP: lançamentos, vendas e preços em alta

O mercado imobiliário em São Paulo observou uma evolução nas vendas de 10,1% em agosto quando comparado com o resultado do mês anterior, com vendas totais de 1.860 unidades. O volume geral de vendas observou aceleração ainda maior: crescimento de 14,9%, para R$ 978,8 milhões.


O mês de agosto também representou uma evolução nos lançamentos, com 2.078 unidades - uma alta de 19,6% em relação às 1.737 de julho, evidenciando a boa fase do mercado imobiliário em SP com uma combinação de avanço em vendas, lançamentos e preços.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Bolha Imobiliária? Construtoras vivem bom momento na Bovespa

O COPOM reduziu a SELIC para 7,25% e, como sabemos, juros menores favorecem o setor imobiliário duplamente, pois, por um lado levam a uma maior expansão do PIB, e, por outro, reduzem os custos do financiamento imobiliário. Com financiamento mais barato, a demanda por imóveis deve subir, e, consequentemente, seu preço.


Assim, refletindo essas melhores expectativas para o setor de construção civil, as ações das construtoras têm observado uma valorização nos últimos dias, com os papéis da Gafisa (GFSA3) liderando o processo, com ganhos, só hoje, de 8,50%.

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

FGV: Não há risco de bolha imobiliária no Brasil

A facilitação do crédito e o rápido avanço nos preços dos imóveis não criaram uma bolha imobiliária no Brasil, segundo avaliação da coordenadora de estudos de construção da Fundação Getulio Vargas (FGV), Ana Maria Castelo. Para ela, não existe no país um cenário que leve o setor a uma crise, como aconteceu em países desenvolvidos.

bolha imobiliária no Brasil

Não vejo espaço para termos uma grande desvalorização nos preços dos imóveis. Para isso acontecer muitas pessoas teriam que colocar suas casas à venda, o que não é provável de acontecer”, diz Ana. Ela argumenta que a inadimplência no setor imobiliário é muito baixa porque a última coisa que as famílias querem perder é sua moradia. Além disso, Ana acredita que a tendência é de aumentos menores nos preços dos imóveis daqui pra frente, com o ritmo de reajustes ficando próximo ao da inflação.

Bolha Imobiliária? Analistas projetam melhora no mercado imobiliário em 2013

Não é de hoje que estamos apontando que o mercado imobiliário brasileiro deve passar por um processo de aceleração a partir do final de 2012, iniciando 2013 em um ritmo superior ao observado nos últimos dois anos.

Bolha Imobiliária - SP

Corroborando essa tese, temos hoje uma notícia que informa que analistas preveem melhoria na construção a partir do próximo ano, e que, em 2013, após solucionarem problemas de atrasos de obras e desvios nos orçamentos e incrementar a geração de caixa e a qualidade de seus recebíveis, as construtoras e incorporadoras devem apresentar resultados melhores do que os que tiveram entre 2011 e 2012.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Fipe-Zap de setembro: queda de 1.7% nos imóveis no DF

Hoje tivemos a divulgação do indicador FIPE-ZAP dos preços dos imóveis relativo à setembro de 2012. O indicador nacional - média das sete regiões analisadas - mostrou que os imóveis se valorizaram 0,9% nesse último mês, entretanto, dessas regiões, tivemos valorização em cinco, e queda de preços (desvalorização) em duas.

Bolha Imobiliária - Brasil

A queda mais expressiva apareceu no Distrito Federal, com uma retração de 1.7% nos preços em setembro de 2012.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Bolha Imobiliária é descartada por especialistas

Especialistas do mercado imobiliário brasileiro voltaram a negar a existência de uma bolha imobiliária no Brasil, durante debate na 12ª conferência Latin American Real Estate Society (Lares), realizada de 19 a 21 de setembro. Eduardo Zylberstajn, coordenador do índice FipeZap, disse que "a imprensa está ansiosa para anunciar o estouro da bolha e alguns analistas já vêm falando há cerca de um ano que a bolha já estourou, mas, pelo menos nossos números e outros, como da Embraesp [Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio], ainda não detectaram isso".

Bolha Imobiliaria

Zylberstajn explica que a alta dos preços dos imóveis, principal motivo para insuflar uma bolha, foi compensada pela melhoria das condições de pagamento do financiamento imobiliário.